Casa Petra - Eventos Exclusivos em São Paulo SP - /tipos-de-buffet/

  
  
CASAMENTOS     CORPORATIVO     DEBUTANTES     LANÇAMENTOS DE PRODUTOS     LUA DE MEL     PODCASTS     SEM CATEGORIA      TODAS AS CATEGORIAS   
  

Tipos de buffet: quais são e qual o melhor para casamento?

Existem aproximadamente cinco tipos de buffet que podem ser executados em uma festa de casamento. Serviço de coquetel, coquetel + ilha, franco americano, empratado ou à la cloche. Acima de tudo, a diferença de cada um deles se refere ao quanto é servido para cada convidado e qual o tipo de gastronomia oferecida.

Ao lado da decoração e da trilha sonora, a gastronomia é um dos protagonistas da festa, por isso merece atenção na sua escolha. Em geral ela vai de encontro ao perfil dos noivos e ao orçamento proposto. Para isso, preparamos um guia básico para conhecer os principais tipos de buffet para casamento. Vamos lá?

 

Por Luciano Martins
Sócio-Proprietário da Casa Petra

 

Tipos de buffet para casamento: o guia completo

Coquetel

Também conhecido como volante, esse serviço se baseia na circulação de garçons pela festa para servir os convidados. Porções pequenas são oferecidas com diferentes opções de canapés, salgadinhos fritos e assados, que não necessariamente demandam pratos. Esse é um tipo de buffet com o custo menor dentre todas as opções e, por isso, costuma ser a escolha dos noivos com orçamento menor.

Acabo não aconselhando o coquetel para casamentos no Brasil. Porque como aqui há a tradição de festas de casamento com abundância de comida, essa é uma opção que pode desagradar os convidados. Em outras palavras, este tipo de buffet deixa a desejar para os padrões brasileiros.

 

Coquetel + ilha

Por outro lado, o serviço de coquetel com ilha já dá mais liberdade aos convidados. Há mais variedade de saladas, queijos e mini porções, onde as pessoas podem se servir sozinhas. Não necessariamente significa que seja oferecido um almoço ou jantar completo, mas esse tipo de buffet é mais confortável que a opção anterior.

 

Franco Americano

Esse é um dos tipos de buffet mais utilizados nos casamentos brasileiros. Ele mistura dois serviços distintos: o americano e o à francesa.

O primeiro se caracteriza por ilhas ou estações onde os convidados se servem sozinhos. O segundo, por sua vez, é mais formal: com os convidados sentados à mesa, os garçons circulam pelo salão com travessas e baixelas servindo-os de acordo com o que querem.

Por ser muito requintado – e considerado por muitos organizadores quase uma cerimônia por si só – o serviço à francesa recebeu toques do buffet americano e ganhou o gosto dos brasileiros. Ele é o mais adequado para um grande número de convidados, por exemplo.

Nesse tipo de buffet, os alimentos são dispostos em uma mesa de apoio e as pessoas se servem com auxílio de uma equipe especializada.

 

Empratado

O tipo de buffet empratado é mais estático, engessado. É uma versão do serviço à inglesa, porém mais simples. Neste caso, os pratos prontos já saem montados da cozinha e são entregues aos convidados. É recomendado quando a maior parte dos convidados tem mais idade, mas costuma não agradar por ter horário específico.

Esse formato prende as pessoas na mesa por até duas horas. Consequentemente, torna a festa um pouco mais parada, já que os convidados precisam esperar que o serviço seja finalizado para ir à pista de dança, por exemplo. Em geral, é mais procurado por casais clássicos ou formais.

 

À la cloche

Um dos tipos de buffet menos usuais no Brasil, com certeza, é o à la cloche.

Na verdade, esse é um serviço que tem caído em desuso até mesmo nos restaurantes. Pouquíssimas empresas ainda fazem – eu diria algo como uma em cada cidade.

Neste modelo, é escolhido o que vai ser servido, em que momento, e a ordem de entrada dos pratos. É o que exige maior equipe, portanto é o mais caro de todos os tipos de buffet.

Claro que também é o mais luxuoso, mas demanda ainda mais cuidado na escolha da empresa prestadora.

Tipos de buffet

Como escolher o buffet para o meu casamento?

Agora que você já conhece os tipos de buffet, vem a pergunta: qual escolher?

Bem, há uma série de fatores que devem ser levados em conta no momento de escolher a melhor opção para a festa de casamento. Orçamento, personalidade dos noivos e até mesmo como é a maioria dos convidados são pontos-chave nessa decisão.

Para budgets menores, festas bastante informais e mais despojadas – onde os convidados permaneçam em pé na maior parte do tempo -, o formato coquetel vai bem. Mas nas festas que recebem muitos idosos, os modelos empratados são mais bem aceitos pela comodidade.

 

Na dúvida, é melhor ir pela maioria?

Acredito que toda festa de casamento precisa transparecer a personalidade do casal. E nem sempre modelos pré-estabelecidos do mercado comportam exatamente o que os noivos e seus convidados esperam. Não há problema em mesclar tipos de buffet ou até mesmo utilizar mais de um, desde que haja bom senso.

O serviço franco americano, mesmo sendo amplamente aceito nos casamentos brasileiros, pode ser precedido de um coquetel, por exemplo.

Portanto, conhecer todos os tipos de buffet é válido para saber o que é melhor para cada caso. Mas toda noiva também pode criar algo personalizado, resultando num casamento único!

 

Agora que você já sabe como escolher o melhor serviço de buffet para o seu casamento, que tal ver outras dicas para ajudar na organização do grande dia? É só acessar aqui.




Deixe seu comentário
O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios.

COMENTÁRIO
NOME*
E-MAIL*



Quer receber mais dicas e novidades sobre eventos?

NOME*
E-MAIL*



  
AV ARATÃS Nº 1010 - CEP: 04081-004 - SÃO PAULO, SP - BRASIL | TEL e  +55 (11) 5053.2231  
contato@casapetra.com.br / Mantido por 8ponto3 Comunicação
{"continue":{"imcontinue":"225371|Tennessee-StateSeal.svg","grncontinue":"0.181010645366|0.181010645366|0|0","continue":"grncontinue||revisions"},"warnings":{"main":{"*":"Subscribe to the mediawiki-api-announce mailing list at for notice of API deprecations and breaking changes. Use [[Special:ApiFeatureUsage]] to see usage of deprecated features by your application."},"revisions":{"*":"Because \"rvslots\" was not specified, a legacy format has been used for the output. This format is deprecated, and in the future the new format will always be used."}},"query":{"pages":{"855370":{"pageid":855370,"ns":0,"title":"Ode-Otim","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{desambigua\u00e7\u00e3o}}\n'''Ode-Otim''' pode referir-se a:\n\n* [[Batuque (religi\u00e3o)#Od\u00e9|Od\u00e9]] - Orix\u00e1 da religi\u00e3o Batuque\n* [[Batuque (religi\u00e3o)#Otin|Otin]] - Orix\u00e1 da religi\u00e3o Batuque"}]},"2316335":{"pageid":2316335,"ns":0,"title":"Nadia (filme)","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Filme\n|t\u00edtulo=Nadia\n|t\u00edtulo-pt=N\u00e1dia\n|t\u00edtulo-br=Nadia\n|imagem = {{semimagem|cine|data=dezembro de 2009}}\n|dura\u00e7\u00e3o= 100\n|ano= [[1984]]\n|idioma=[[L\u00edngua inglesa|ingl\u00eas]]\n|g\u00e9nero= [[Hist\u00f3ria|hist\u00f3rico]] [[filme biogr\u00e1fico|biogr\u00e1fico]]\n|dire\u00e7\u00e3o= [[Alan Cooke]]\n|roteiro= [[Jim McGinn]]\n|elenco= [[Marcia Frederick]]
[[Johann Carlo]]
[[Leslie Weiner]]
[[Joe Bennett]]\n|c\u00f3digo-\n|tipo=LF\n|pa\u00eds={{USA}} / {{YUG}}\n|cor-pb=Cor\n}}\n'''''Nadia''''' ([[Brasil|br]]: '''''Nadia''''') \u00e9 um [[filme biogr\u00e1fico]] [[Estados Unidos|estadunidense]] de [[1984]] da [[ginasta]] [[Nadia Comaneci]] feito para a [[televis\u00e3o]], dirigido por [[Alan Cooke]].{{citar web|url=http://movies.yahoo.com/movie/1800098853/info|t\u00edtulo=Nadia (1984)|acessodata=08-01-2010|publicado=Yahoo|l\u00edngua=ingl\u00eas}}\n\n== Sinopse ==\nBaseado na hist\u00f3ria da campe\u00e3 ol\u00edmpica [[Nadia Com\u0103neci]]. Nadia come\u00e7ou sua carreira na [[gin\u00e1stica art\u00edstica|gin\u00e1stica]] aos seis anos, sob o aux\u00edlio do t\u00e9cnico [[B\u00e9la K\u00e1rolyi]], e sua esposa [[Marta K\u00e1rolyi|Marta]]. Oito anos mais tarde, Comaneci tornou-se a primeira ginasta a conquistar a nota dez em um evento ol\u00edmpico, saindo com tr\u00eas medalhas de ouro, uma de prata e uma de bronze dos [[Gin\u00e1stica nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o de 1976|Jogos de Montreal]], em 1976. Seu ganho de peso, a press\u00e3o em competi\u00e7\u00f5es e a les\u00e3o sofrida na m\u00e3o, amea\u00e7ou sua carreira.\n\n== Elenco ==\n* [[Marcia Frederick]].... Nadia Com\u0103neci\n* [[Johann Carlo]].... Nadia Com\u0103neci (adulta)\n* [[Leslie Weiner]].... Nadia Com\u0103neci (crian\u00e7a)\n* [[Joe Bennett]].... Bela Karolyi\n* [[Talia Balsam]].... Marta Karolyi\n* [[Jonathan Banks]].... George Comaneci\n\n{{refer\u00eancias}}\n\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n* {{imdb t\u00edtulo|0087774|Nadia}}\n\n{{Portal3|Estados Unidos|Gin\u00e1stica|Cinema}}\n{{esbo\u00e7o-filme}}\n\n\n{{DEFAULTSORT:Nadia 1984}}\n[[Categoria:Filmes sobre atletismo]]\n[[Categoria:Filmes dos Estados Unidos de 1984]]\n[[Categoria:Filmes biogr\u00e1ficos dos Estados Unidos]]\n[[Categoria:Filmes em l\u00edngua inglesa]]\n[[Categoria:Filmes ambientados na Rom\u00eania]]\n[[Categoria:Filmes da Iugosl\u00e1via de 1984]]\n[[Categoria:Filmes biogr\u00e1ficos da Iugosl\u00e1via]]"}]},"1559286":{"pageid":1559286,"ns":0,"title":"Branca I de Navarra","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":":''Para outras pessoas com este nome ver '''[[Branca de Navarra]]''' (desambigua\u00e7\u00e3o).''\n{{Info/Nobre\n| nome = Branca I de Navarra\n| imagem = Blanca I de Navarra.jpg\n| imgw = 180px\n| sucess\u00e3o = [[Lista de reis de Navarra|Rainha de Navarra]]\n| reinado = [[8 de setembro]] de [[1425]] \u2013 [[1 de abril]] de [[1441]]\n| coroa\u00e7\u00e3o = [[15 de maio|15]]/[[18 de maio]] de [[1429]] em [[Pamplona]]\n| predcessor = [[Carlos III de Navarra|Carlos III]]\n| sucessor = [[Carlos, Pr\u00edncipe de Viana|Carlos IV]]\n| sucess\u00e3o1 = [[Reino da Sic\u00edlia|Rainha consorte da Sic\u00edlia]]\n| reinado1 = [[26 de dezembro]] de [[1402]] \u2013 [[25 de julho]] de [[1409]]\n| predecessor1 = [[Martim I da Sic\u00edlia]]\n| sucessor1 = [[Margarida de Prades]]\n| c\u00f4njuge = [[Martim I da Sic\u00edlia]]
[[Jo\u00e3o II de Arag\u00e3o]]\n| descendencia = [[Branca II de Navarra]]
[[Leonor de Navarra]]
[[Carlos, Pr\u00edncipe de Viana|Carlos IV de Navarra]]\n| casa = [[Casa de \u00c9vreux|\u00c9vreux]] {{small|(por nascimento)}}
[[Casa de Barcelona|Barcelona]] {{small|(por casamento)}}
[[Dinastia de Trast\u00e2mara|Trast\u00e2mara]] {{small|(por casamento)}}\n| pai = [[Carlos III de Navarra]]\n| m\u00e3e = [[Leonor de Castela, Rainha de Navarra|Leonor de Castela]]\n| data de nascimento = {{circa}} {{dni|lang=br|||1385|si}}\n| local de nascimento = [[Pamplona]], [[Navarra]], [[Espanha]]\n| data da morte = {{morte|3|4|1441|||1385|df=yes}}\n| local da morte = [[Santa Mar\u00eda la Real de Nieva]], [[Castela e Le\u00e3o]], [[Espanha]]\n| local de enterro = [[Nuestra Se\u00f1ora de la Soterra\u00f1a]], [[Santa Mar\u00eda la Real de Nieva]]\n| assinatura = Firma de Blanca de Navarra..jpg\n|}}\n\n'''Branca I de Navarra''' ({{lang-es|''Blanca''}}; [[Pamplona]], c. [[1385]] \u2014 [[Santa Mar\u00eda la Real de Nieva]], [[3 de abril]] de [[1441]]) foi [[rei de Navarra|rainha soberana de Navarra]] de [[1425]] at\u00e9 sua morte. Pertencente \u00e0 [[Casa de \u00c9vreux]], era filha de [[Carlos III de Navarra|Carlos III, o Nobre]], a quem sucedeu, e de [[Leonor de Castela, Rainha de Navarra|Leonor de Castela]].\n\n== Biografia ==\n=== Primeiro casamento ===\nEm [[26 de novembro]] de [[1401]], casou com o rei [[Martim I da Sic\u00edlia]] e tamb\u00e9m herdeiro da [[Coroa de Arag\u00e3o]]. Branca tinha por volta de onze anos de idade e Martim, vinte e oito. Ele era vi\u00favo de [[Maria da Sic\u00edlia]], sua antecessora, com quem tivera apenas um filho, morto ainda crian\u00e7a. Tamb\u00e9m com Branca, teria apenas um filho:\n* Martim ([[1403]] - [[1407]])\nTal qual seu primeiro filho, tamb\u00e9m ele veio a morrer em tenra idade. Dois anos depois, o pr\u00f3prio Martim I veio a falecer e foi sucedido pelo pai, [[Martim I de Arag\u00e3o]].\n\n=== Segundo casamento ===\nBranca ent\u00e3o voltou para [[Navarra]] e, em [[28 de Outubro]] de [[1416]], foi declarada herdeira de Navarra. Casou pela segunda vez, com [[Jo\u00e3o II de Arag\u00e3o|Jo\u00e3o, duque de Pe\u00f1afiel]], em [[6 de novembro]] de [[1419]], por procura\u00e7\u00e3o. Jo\u00e3o era o segundo filho var\u00e3o de [[Fernando I de Arag\u00e3o]] e de [[Leonor de Arag\u00e3o, rainha de Castela|Leonor de Arag\u00e3o]]. Fernando era primo de Martim II e o sucessor do ex-sogro de Branca.\n\nJo\u00e3o viajou para conhec\u00ea-la e eles se casaram pessoalmente em [[10 de Junho]] de [[1420]], em [[Pamplona]]. Em [[8 de Setembro]] de [[1425]], com a morte de seu pai, Branca tornou-se rainha soberana de Navarra e Jo\u00e3o, rei consorte. O casal teve quatro filhos:\n* [[Carlos, Pr\u00edncipe de Viana|Carlos]] ([[29 de Maio]] de [[1421]] - [[23 de Setembro]] de [[1461]]);\n* Joana ([[1423]] - [[22 de Agosto]] de [[1425]]);\n* [[Branca II de Navarra|Branca]] ([[9 de Junho]] de [[1424]] - [[1464]])\n* [[Leonor I de Navarra|Leonor]] ([[2 de Fevereiro]] de [[1425]] - [[12 de Fevereiro]] de [[1479]]).\n\nSegundo as capitula\u00e7\u00f5es matrimoniais de [[1419]], Carlos devia ser o sucessor de Branca como rei de Navarra. Entretanto, ao morrer a rainha, seu vi\u00favo usurpou o trono, alegando, entre outras raz\u00f5es, o testamento de Branca, no qual a rainha recomendava a Carlos que n\u00e3o se fizesse coroar sem o consentimento de seu pai. O resultado foi uma guerra civil na qual se enfrentaram os partid\u00e1rios de Jo\u00e3o II (chamados de [[agramonteses]]) e os do Pr\u00edncipe de Viana ([[beaumonteses]], que tinham o apoio de [[Reino de Castela|Castela]]) entre [[1451]] e [[1455]] (e reacesa seis anos depos, com a morte de Carlos).\n\n{{Commonscat|Blanche I of Navarre}}\n\n{{come\u00e7a caixa}}\n{{caixa de sucess\u00e3o feminina\n|t\u00edtulo = [[Ficheiro:Armoiries Navarre Evreux.png|70px|Bras\u00e3o dos reis de Navarra da Casa de \u00c9vreux]]
[[Rei de Navarra|Rainha de Navarra]]
(com [[Jo\u00e3o II de Arag\u00e3o|Jo\u00e3o II]])\n|anos = [[8 de setembro]] de [[1425]] - [[3 de abril]] de [[1441]]\n|antes = [[Carlos III de Navarra|Carlos III]]\n|depois = [[Carlos, Pr\u00edncipe de Viana|Carlos IV]] (de jure)
[[Jo\u00e3o II de Arag\u00e3o|Jo\u00e3o II]] (de facto)}}\n{{caixa de sucess\u00e3o feminina\n|t\u00edtulo = Herdeira de Navarra\n|anos = [[28 de outubro]] de [[1416]] - [[8 de setembro]] de [[1425]]\n|antes = [[Joana de \u00c9vreux (1382-1412)|Joana de \u00c9vreux]]\n|depois = [[Carlos, Pr\u00edncipe de Viana|Carlos de Trast\u00e2mara]]\n}}\n{{caixa de sucess\u00e3o feminina\n|t\u00edtulo = [[Ficheiro:Blason Sicile Insulaire.png|70px|Bras\u00e3o dos reis aragoneses da Sic\u00edlia]]
Rainha consorte da Sic\u00edlia\n|anos = [[26 de novembro]] de [[1401]] - [[25 de julho]] de [[1409]]\n|antes = [[Martim I da Sic\u00edlia|Martim I]]\n|depois = [[Margarida de Prades]]\n}}\n{{termina caixa}}\n\n{{Portal3|It\u00e1lia}}\n\n{{DEFAULTSORT:Branca I Navarra}}\n{{esbo\u00e7o-rainha}}\n\n[[Categoria:Mortos em 1441]]\n[[Categoria:Reis de Navarra]]\n[[Categoria:Casa de \u00c9vreux]]\n[[Categoria:Casa de Barcelona]]\n[[Categoria:Casa de Trast\u00e2mara]]\n[[Categoria:Rainhas consortes aragonesas da Sardenha]]\n[[Categoria:Mulheres da Fran\u00e7a medieval]]\n[[Categoria:Mulheres da It\u00e1lia medieval]]\n[[Categoria:Rainhas soberanas de Navarra]]\n[[Categoria:Mulheres da Espanha medieval]]\n[[Categoria:Mulheres do s\u00e9culo XIV]]\n[[Categoria:Mulheres do s\u00e9culo XV]]\n[[Categoria:Naturais de Pamplona]]\n[[Categoria:Espanh\u00f3is do s\u00e9culo XV]]"}]},"1496624":{"pageid":1496624,"ns":0,"title":"Bugesera (distrito)","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Assentamento\n|nome_oficial = Bugesera\n|assentamento_tipo = [[Distritos de Ruanda|Distrito]]\n|imagem_horizonte = \n|imagem_tamanho = \n|imagem_legenda = \n|imagem_bandeira = \n|bandeira_tamanho = \n|imagem_selo = \n|selo_tamanho = \n|imagem_escudo = \n|escudo_tamanho = \n|imagem_emblema_vazio = \n|apelido = \n|lema = \n|imagem_mapa = BugeseraDist.png\n|mapa_tamanho = \n|mapa_legenda = Localiza\u00e7\u00e3o de Bugesera na Prov\u00edncia do Leste e em Ruanda\n|imagem_mapa_ponto = \n|mapa_ponto_tamanho = \n|mapa_ponto_legenda = \n|ponto_x = |ponto_y = \n|mapa_alfinete = \n|mapa_alfinete_posi\u00e7\u00e3o = \n|mapa_alfinete_tamanho = \n|mapa_alfinete_legenda = \n|latd = |latm = |lats = |latNS = \n|longd = |longm = |longs = |longEW = \n|subdivis\u00e3o_tipo = [[Pa\u00edses do Mundo|Pa\u00eds]]\n|subdivis\u00e3o_nome = {{RWA}}\n|subdivis\u00e3o_tipo1 = [[Prov\u00edncias de Ruanda|Prov\u00edncia]]\n|subdivis\u00e3o_nome1 = [[Leste (prov\u00edncia)|Prov\u00edncia do Leste]]\n|subdivis\u00e3o_tipo2 = \n|subdivis\u00e3o_nome2 = \n|estabelecido_t\u00edtulo = \n|estabelecido_data = \n|fundador = \n|nomeado_por = \n|sede_tipo = Capital\n|sede = [[Nyamata]]\n|governo_notas = \n|governo_tipo = \n|l\u00edder_partido = \n|l\u00edder_t\u00edtulo = \n|l\u00edder_nome = \n|l\u00edder_t\u00edtulo1 = \n|l\u00edder_nome1 = \n|total_tipo = \n|unid_pref = Metric\n|\u00e1rea_notas = \n|\u00e1rea_magnitude = \n|\u00e1rea_total_km2 = \n|\u00e1rea_total_sq_mi = \n|\u00e1rea_total_dunam = \n|\u00e1rea_terra_km2 = \n|\u00e1rea_terra_sq_mi = \n|\u00e1rea_\u00e1gua_km2 = \n|\u00e1rea_\u00e1gua_sq_mi = \n|\u00e1rea_\u00e1gua_percent = \n|altitude_notas = \n|altitude_m = \n|altitude_ft = \n|popula\u00e7\u00e3o_notas = \n|popula\u00e7\u00e3o_total = \n|popula\u00e7\u00e3o_em = \n|popula\u00e7\u00e3o_densidade_km2 = \n|popula\u00e7\u00e3o_densidade_sq_mi = \n|popula\u00e7\u00e3o_est = \n|popula\u00e7\u00e3o_est_em = \n|popula\u00e7\u00e3o_obs = \n|gent\u00edlico =\n|timezone = \n|utc_offset = \n|timezone_DST = \n|utc_offset_DST = \n|c\u00f3digo_postal_tipo = \n|c\u00f3digo_postal = \n|c\u00f3digo_\u00e1rea_tipo = \n|c\u00f3digo_\u00e1rea = \n|s\u00edtio = \n|notas = \n}}\n'''Bugesera''' \u00e9 um distrito (''akarere'') na [[Leste (prov\u00edncia)|Prov\u00edncia do Leste]], em [[Ruanda]]. Sua capital \u00e9 [[Nyamata]].\n\n== Geografia ==\nBugesera engloba \u00e1reas do sul de [[Kigali]], que estavam anteriormente na prov\u00edncia [[Kigali Ngali]], ao redor da cidade de Nyamata. A \u00e1rea \u00e9 propensa a seca, e tem sido afectada como a localiza\u00e7\u00e3o de um poss\u00edvel novo [[aeroporto]] internacional para servir Kigali, 40 km de dist\u00e2ncia, e o resto da na\u00e7\u00e3o, substituindo o [[Aeroporto Internacional de Kigali]].\n\nA \u00e1rea tem uma maior [[temperatura]] m\u00e9dia diurna do que a m\u00e9dia ruand\u00eas, e menor precipita\u00e7\u00e3o, o que por vezes conduzem a per\u00edodos de seca.\n\n== Setores ==\nO distrito de Bugesera \u00e9 dividido em 16 setores (''imirenge''): Gashora, Juru, Kamabuye, Ntarama, Mareba, Mayange, Musenyi, Mwogo, Ngeruka, Nyamata, Nyarugenge, Rilima, Ruhuha, Rutonde, Rweru e Shyara.\n\n== Refer\u00eancias ==\n* {{statoids|id=yrw|title=Distritos de Rwanda}}\n* [http://www.minaloc.gov.rw/events/Inzego.doc Inzego.doc] \u2014 Prov\u00edncia, Distrito e Setor Informa\u00e7\u00e3o de MINALOC, o minist\u00e9rio do governo local de Ruanda.\n\n{{Distritos de Ruanda}}\n\n{{esbo\u00e7o-georw}}\n\n[[Categoria:Distritos de Ruanda]]"}]},"1763056":{"pageid":1763056,"ns":0,"title":"Transiente emissor de raio X","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"'''Transiente emissor de raio X''' ou simplesmente '''transiente de raio X''' (frequentemente abreviados como SXT, do [[l\u00edngua inglesa|ingl\u00eas]] ''soft X-ray transients'') s\u00e3o tamb\u00e9m conhecidos como '''novas de raios X'''. Tipicamente SXTs s\u00e3o normalmente muito fracos, ou mesmo inobserv\u00e1veis, nos raios X e sua [[magnitude aparente]] nos comprimentos de onda \u00f3ticos \u00e9 aproximadamente 20. Isto \u00e9 chamado o estado \"quiescente\".\n\n{{esbo\u00e7o-astronomia}}\n\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n\n* [http://cacella.tachyonweb.net/P_TAO.htm Observa\u00e7\u00e3o de Objetos Transientes e/ou ativos - '''cacella.tachyonweb.net''']\n\n== Ver tamb\u00e9m ==\n\n* [[Erup\u00e7\u00e3o de raio X]]\n* [[Bin\u00e1rio de baixa massa emissor de raio X]]\n* [[Bin\u00e1rio de alta massa emissor de raio X]]\n* [[Bin\u00e1rio emissor de raio X Be]]\n\n{{esbo\u00e7o-astronomia}}\n\n[[Categoria:Astronomia]]\n[[Categoria:Astrof\u00edsica]]"}]},"2813594":{"pageid":2813594,"ns":0,"title":"Lista de epis\u00f3dios de Pair of Kings","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Sem-fontes|data=outubro de 2012}}\n\nSegue, abaixo, uma lista de epis\u00f3dios da s\u00e9rie ''[[Pair of Kings]]''.\n\n{| class=\"wikitable\"\n|-\n! colspan=\"2\"|Temporada !! # Epis\u00f3dios !! Exibi\u00e7\u00e3o original !! Estreia da temporada !! Final da temporada\n|-\n|bgcolor=\"#00b8f1\" height=\"10px\"|\n|align=\"center\"| '''[[#1.\u00aa Temporada: 2010|1]]'''\n|align=\"center\"| 21\n|align=\"center\"| 2010-2011\n|align=\"center\"| 10 de setembro de 2010\n|align=\"center\"| 2 de maio de 2011\n|-\n|bgcolor=\"008000\" height=\"10px\"|\n|align=\"center\"| '''[[#2.\u00aa Temporada: 2011|2]]'''\n|align=\"center\"| 26\n|align=\"center\"| 2011-2012\n|align=\"center\"| 13 de junho de 2011\n|align=\"center\"| 16 de abril de 2012\n|-\n| style=\"background: #F8D85C; color:#100;\"| \n|align=\"center\"| '''[[#3.\u00aa Temporada: 2012|3]]'''\n|align=\"center\"| 22\n|align=\"center\"| 2012-2013\n|align=\"center\"| 18 de junho de 2012\n|align=\"center\"| 18 de fevereiro de 2013\n|-\n|}\n\n== Elenco ==\n{| class=\"wikitable\" style=\"width:100%; margin:auto; background:#FFFFFF;\"\n|-\n! style=\"background-color: #ASDSD8; color:#000000; text-align: center;\"|Nome \n! style=\"background-color: #ASDSD8; color:#000000; text-align: center;\"|Personagem\n! style=\"background-color: #ASDSD8; color:#000000; text-align: center;\"|N\u00ba de Epis\u00f3dios Presente\n! style=\"background-color: #ASDSD8; color:#000000; text-align: center;\"|N\u00ba de Epis\u00f3dios Ausente\n|-\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''[[Mitchel Musso]]'' \n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''Brady''\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''48''\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''21''\n|-\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''[[Doc Shaw]]''\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''Boomer''\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''69''\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''0''\n|-\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''[[Adam Hicks]]'' \n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''Boz''\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''22''\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''47''\n|-\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''[[Kelsey Chow]]''\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''Mikayla''\n| cosspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''65''\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''4''\n|-\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''[[Ryan Ochoa]]''\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''Lanny ''\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''69''\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''0''\n|-\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''[[Geno Segers]]''\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''Mason''\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''55''\n| colspan=\"1\" rowspan=\"1\" align=\"center\" | ''14''\n|}\n\n== 1.\u00aa temporada (2010-2011) ==\n* A temporada possui 21 epis\u00f3dios.\n* Um epis\u00f3dio \u00e9 dividido em duas partes.\n* Mitchel Musso, [[Doc Shaw]] e [[Ryan Ochoa]] est\u00e3o presentes em todos os epis\u00f3dios.\n* [[Kelsey Chow]] e [[Geno Segers]] est\u00e3o ausentes por quatro epis\u00f3dios.\n* [[Tichina Arnold]] participa de dois epis\u00f3dios.\n* [[Doug Brochu]] participa de um epis\u00f3dio.\n* A temporada estreou no [[Disney Channel Brasil]] dia 13 de junho de 2011 \u00e0s 17h30.\n\n{| class=\"wikitable\" style=\"width:100%; margin:auto; background:#FFFFFF;\" \n|-\n! style=\"background-color: #00b8f1; color:#FFFFFF; text-align: center;\"|#\n!! style=\"background-color: #00b8f1; color:#FFFFFF; text-align: center;\"|T\u00edtulo\n!! style=\"background-color: #00b8f1; color:#FFFFFF\"| Estreia E.U.A. !! style=\"background-color: #00b8f1; color:#FFFFFF\"| Estreia Brasil !! style=\"background-color: #00b8f1; color:#FFFFFF\"| Estreia Portugal\n!! style=\"background-color: #00b8f1; color #FFFFFF\"| Audi\u00eancia em milh\u00f5es \n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 1\n |Title = O Regresso dos Reis, Parte 1\n |AltTitle = ''Return of the Kings''\n | OriginalAirDate = 5 de dezembro de 2010\n | Aux2 = 10 de setembro de 2010 ([[Disney Channel|DC]])
22 de setembro de 2010 ([[Disney XD|XD]])\n | Aux3 = 15 de maio de 2011\n | Aux4 = 4,7\n |ShortSummary = Brady e Boomer, g\u00eameos fraternos, cresceram na cidade de Chicago sem pensar que s\u00e3o herdeiros de uma ilha no Pac\u00edfico. Como n\u00e3o h\u00e1 provas de quem \u00e9 o mais velho, eles ter\u00e3o de dividir o trono. Por\u00e9m, o primo distante dos g\u00eameos, Lanny, \u00e9 contra isso. Na cerim\u00f4nia de coroa\u00e7\u00e3o, os reis acordam o vulc\u00e3o da ilha e t\u00eam duas alternativas de salvar a ilha: ou se sacrificam ou procuram um segundo diamante rubi. \n* '''Participa\u00e7\u00e3o especial''': [[Tichina Arnold]] como Tia Nancy.\n |LineColor = 00b8f1\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 2\n |Title = O Regresso dos Reis, Parte 2\n |AltTitle = ''Return of the Kings''\n | OriginalAirDate = 5 de dezembro de 2010\n | Aux2 = 10 de setembro de 2010 ([[Disney Channel|DC]])
22 de setembro de 2010 ([[Disney XD|XD]])\n | Aux3 = 15 de maio de 2011\n | Aux4 = 4,3\n |ShortSummary = Eles optam pela segunda alternativa, mas Lanny informa ao povo de Kinkou que eles se sacrificaram, autodenominando-se rei de Kinkou. No lado escuro da ilha, Brady e Boomer encontram o povo tar\u00e2ntula e Brady os faz levar at\u00e9 o diamante rubi. Minutos depois, Brady e Boomer voltam e s\u00e3o coroados.\n |LineColor = 00b8f1\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 3\n |Title = Valent\u00e3o no Bingo da Praia\n |AltTitle = ''Beach Bully Bingo''\n |OriginalAirDate= 18 de dezembro de 2010\n | Aux2 = 22 de setembro de 2010\n | Aux3 = 22 de maio de 2011\n | Aux4 = 4,2\n |ShortSummary = Ser rei de Kinkou n\u00e3o quer dizer ser rei da praia. Pra isso, precisa ser o Grande Kahula, cargo esse ocupado por Hibachi, um surfista baixinho com 6 dedos em cada p\u00e9. Para serem os Grandes Kahulas, Brady e Boomer pedem ajuda a Mason, que fora surfista profissional e n\u00e3o Grande Kahula por uma trapa\u00e7a de Hibachi. Depois de muito treino, os reis iniciam a competi\u00e7\u00e3o. Hibachi tenta trapacear, mas o plano n\u00e3o d\u00e1 certo e os reis ganham a competi\u00e7\u00e3o. Ao ganharem, Brady e Boomer d\u00e3o o t\u00edtulo de Grande Kahula a Mason.\n* '''Participa\u00e7\u00e3o especial:''' [[Martin Klebba]] como Hibachi\n |LineColor = 00b8f1\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 4\n |Title = Um Conto de Sereia\n |AltTitle = ''A Mermaid's Tail''\n |OriginalAirDate= 19 de dezembro de 2010\n | Aux2 = 29 de setembro de 2010\n | Aux3 = 22 de maio de 2011\n | Aux4 = 4,0\n|ShortSummary = Brady e Boomer encontram um grupo de sereias que querem ser levadas ao castelo. Brady e Boomer realizam o pedido, mesmo com o conselho de Mikayla. As sereias criam pernas e expulsam os reis do castelo. Mikayla tenta agir, mas acaba caindo em um truque e vira sereia. Mason e os reis precisam tir\u00e1-las do castelo e ajudar Mikayla, mas Lanny \u00e9 contra pois se apaixonou por Amaz\u00f4nia.\n* '''Participa\u00e7\u00e3o especial:''' Leslie Anne Ruff como Aerosol, Madison Riley como Sereia Amaz\u00f4nia. \n |LineColor = 00b8f1\n}}\n{{Episode list \n |EpisodeNumber = 5\n |Title = Onde Vivem os Reis Selvagens/Onde Est\u00e3o os Reis Loucos\n |AltTitle = ''Where the Wild Kings Are''\n |OriginalAirDate= 2 de janeiro de 2011\n | Aux2 = 6 de outubro de 2010\n | Aux3 = 29 de maio de 2011\n | Aux4 = 4,3\n |ShortSummary = Brady e Boomer encontram uma criatura na selva e decidem domestic\u00e1-la. No come\u00e7o tudo fica normal, mas logo ela se transforma em uma criatura grande e rude, que acaba domesticando os reis a ponto de Mason tentar salv\u00e1-los. Enquanto isso, Lanny hipnotiza um bobo da corte para se livrar dos reis, mas acaba sendo encrencado ao Mason coloc\u00e1-lo como rei interino.\n* '''Ausente:''' [[Kelsey Chow]] como Mikayla.\n |LineColor = 00b8f1\n}}\n{{Episode list \n |EpisodeNumber = 6\n |Title = Grandes Reis na Escola/Os Grandes Reis no Campus \n |AltTitle = ''Big Kings on Campus'' \n |OriginalAirDate= 23 de janeiro de 2011\n | Aux2 = 13 de outubro de 2010\n | Aux3 = 29 de maio de 2011\n | Aux4 = 3,4\n |ShortSummary = Mikayla vai \u00e0 escola e os reis acham isso rid\u00edculo, mas quando ela lhes apresenta Tristan, Brady acredita que Mikayla gosta dele e convence Boomer a voltar \u00e0 escola. Depois, Brady acha que Mikayla gosta de pessoas radicais e portanto segue Tristan at\u00e9 os g\u00eaiseres. Mas Mikayla acaba sendo espirrada para um penhasco por um g\u00eaiser e Brady tenta salv\u00e1-la.\n* '''Ausente:''' Geno Segers como Mason.\n* '''Participa\u00e7\u00f5es especiais:''' Christoph Sanders como Tristan, [[Davis Cleveland]] como Rich.\n |LineColor = 00b8f1\n}}\n{{Episode list \n |EpisodeNumber = 7\n |Title = Um Palpite do Brady/A Suspeita de Brady\n |AltTitle = ''A Brady Hunch'' \n |OriginalAirDate= 29 de janeiro de 2011\n | Aux2 = 20 de outubro de 2010\n | Aux3 = 12 de junho de 2011\n | Aux4 = 3,5 \n|ShortSummary = Brady e Boomer conhece Ogie, que acaba enciumando Brady por ele ter toda a aten\u00e7\u00e3o de Boomer. Lanny ent\u00e3o fala a Brady que o grupo de Ogie \u00e9 canibal, fazendo Brady tentar resgatar Boomer, mas eles descobrem que o grupo de Ogie \u00e9 vegetariano e que Boomer s\u00f3 estava na caldeira porque queriam saber se nela cabia o peru de tofu.\n* '''Ausente:''' [[Kelsey Chow]] como Mikayla\n* '''Participa\u00e7\u00e3o especial:''' [[Doug Brochu]] como Ogie. \n |LineColor = 00b8f1\n}}\n{{Episode list \n |EpisodeNumber = 8\n |Title = Bola Junga\n |AltTitle = ''Floresta bol'' \n |OriginalAirDate= 4 de fevereiro de 2011\n | Aux2 = 27 de outubro de 2010\n | Aux3 = 3 de julho de 2011\n | Aux4 = 3,9 \n|ShortSummary = Os reis passam a praticar ''florestabol'', que se assemelha ao basquete e aceitam treinar grupos de florestabolistas. Por\u00e9m Brady passa a ficar mand\u00e3o, levando Boomer a deixar o time e criar seu pr\u00f3prio para competir contra o do irm\u00e3o.\n* '''Ausentes:''' [[Kelsey Chow]] como Mikayla\n |LineColor = 00b8f1\n}}\n{{Episode list \n |EpisodeNumber = 9\n |Title = A Vingan\u00e7a da M\u00famia\n |AltTitle = ''Revenge of the Mummy'' \n |OriginalAirDate= 5 de fevereiro de 2011\n | Aux2 = 3 de novembro de 2010\n | Aux3 = \u00b419 de junho de 2011\n | Aux4 = 4,4 \n|ShortSummary = Os reis tentam resgatar o medalh\u00e3o que perderam no lado escuro da ilha, mas Brady e Mikayla acabam sequestrados pelo povo tar\u00e2ntula a mando da m\u00famia. Enquanto isso, Lanny constrange Mason na frente de toda Kinkou por Brady e Boomer acus\u00e1-lo de perder o medalh\u00e3o. No fim, os reis confessam que perderam o medalh\u00e3o e acabam sendo constrangidos.\n|LineColor = 00b8f1\n}}\n{{Episode list \n |EpisodeNumber = 10\n |Title = Onde Est\u00e3o Voc\u00eas?\n |AltTitle = ''Where Arr Thou?'' \n |OriginalAirDate= 12 de fevereiro de 2011\n | Aux2 = 10 de novembro de 2010\n | Aux3 = 19 de junho de 2011\n | Aux4 = 3,1 \n|ShortSummary = Um falso pirada d\u00e1 aos reis um enigma que leva a um tesouro. Eles decidem segui-lo e Mikayla, Mason e Lanny v\u00e3o junto. Por\u00e9m, eles caem em uma armadilha para que Duas Pernas de Pau roube o tesouro real. Ele decide mant\u00e9m Brady como ref\u00e9m, que luta contra o pirata para salvar seu tesouro; j\u00e1 Boomer e Mikayla aproveitam para tentar escapar da armadilha.\n* '''Participa\u00e7\u00f5es especiais:''' Chris Wylde como Duas Pernas, Noah Crawford como Sem Barba.\n |LineColor = 00b8f1\n}}\n{{Episode list \n |EpisodeNumber = 11\n |Title = Reis N\u00e3o Admitidos\n |AltTitle = ''No Kings Allowed'' \n |OriginalAirDate= 5 de janeiro de 2011\n | Aux2 = 17 de novembro de 2010\n | Aux3 = 17 de julho de 2011\n | Aux4 = 3,6 \n|ShortSummary = Os reis se juntam aos aventureiros Maremotos, mas t\u00eam de se fantasiar para n\u00e3o serem reconhecidos. Quando os Maremotos pedem aos reis para pegar o peixe de Lanny, eles decidem peg\u00e1-lo emprestado, mas as coisas saem do planejado quando os Maremotos querem transformar o peixe em um trof\u00e9u, levando-os a tentar fugir com Yamakooshi. Esse \"empr\u00e9stimo\", por\u00e9m, levou Lanny a fechar o castelo e fazer os reis ca\u00edrem numa roubada.\n* '''Ausente:''' Geno Segers como Mason\n |LineColor = 00b8f1\n}}\n{{Episode list \n |EpisodeNumber = 12\n |Title = Par de Coringas\n |AltTitle = ''Pair of Jockers'' \n |OriginalAirDate= 14 de janeiro de 2011\n | Aux2 = 29 de novembro de 2010\n | Aux3 = 10 de julho de 2011\n | Aux4 = 3,4 \n|ShortSummary = Os reis se divertem pregando pe\u00e7as no povo de Kinkou, mas acabam tendo carma ruim e precisam deixar que o povo se vingue. Enquanto isso, Mason fica viciado em videogames.\n |LineColor = 00b8f1\n}}\n{{Episode list \n |EpisodeNumber = 13\n |Title = Par de Reis no Baile\n |AltTitle = ''Pair of Prom Kings'' \n |OriginalAirDate= 18 de agosto de 2011\n | Aux2 = 17 de dezembro de 2010\n | Aux3 = 10 de julho de 2011\n | Aux4 = 4,5 \n|ShortSummary = Brady e Boomer voltam a Chicago para se formarem no Ensino M\u00e9dio, mas o povo tar\u00e2ntula vira tar\u00e2ntulas e se escondem na mala dos reis, e o problema ocorre na festa quando o povo tar\u00e2ntula mant\u00e9m os outros estudantes como ref\u00e9ns. No final, Boomer dan\u00e7a com Rebecca e Brady com Mikayla.\n* '''Participa\u00e7\u00e3o especial:''' [[Logan Browning]] como Rebecca Dawson.\n |LineColor = 00b8f1\n}}\n{{Episode list \n |EpisodeNumber = 14\n |Title = Tom de Surdez no Jam/O Rei Sem Voz\n |AltTitle = ''Tone Deaf Jam'' \n |OriginalAirDate= 29 de janeiro de 2011\n | Aux2 = 17 de dezembro de 2010\n | Aux3 = 10 de julho de 2011\n | Aux4 = 4,8 \n|ShortSummary = Chega o festival da colheita e os reis t\u00eam de fazer uma boa apresenta\u00e7\u00e3o para n\u00e3o serem atingidos por um tomate gigante. Mikayla diz que os pais deles tinham a melodia e Boomer resolve cantar, mas ele canta muito mal. Brady promete tacos ao p\u00fablico se n\u00e3o vaiarem para Boomer, mas ele acaba descobrindo e Lanny lan\u00e7a o tomate. Isso faz com que Boomer considere o irm\u00e3o como mentiroso. Mais para frente, Mikayla descobre que Brady tem a melodia e resolve fazer Boomer perdo\u00e1-lo e Brady acaba cantando.\n* '''Ausente:''' Geno Segers como Mason.\n |LineColor = 00b8f1\n}}\n{{Episode list \n |EpisodeNumber = 15\n |Title = As Coisas Mordidas\n |AltTitle = ''The Bite Stuff'' \n |OriginalAirDate= 19 de dezembro de 2010\n | Aux2 = 17 de janeiro de 2011\n | Aux3 = 14 de agosto de 2011\n | Aux4 = 4,9 \n|ShortSummary = Brady e Boomer convidam Tia Nancy e Tio Bill para passarem um tempo em Kinkou, mas Tia Nancy descobre os perigos em Kinkou e resolve levar os reis de volta a Chicago. Pra piorar, Brady tem alucina\u00e7\u00f5es ao ser mordido por um inseto. No final, Tia Nancy n\u00e3o leva os g\u00eameos para Chicago.\n* '''Participa\u00e7\u00e3o Super Especial:''' [[Tichina Arnold]] como Tia Nancy\n* '''Participa\u00e7\u00e3o especial:''' John Eric Bentley como Tio Bill\n* '''Nota:''' Este epis\u00f3dio foi exibido primeiramente no [[Brasil]].\n |LineColor = 00b8f1\n}}\n{{Episode list \n |EpisodeNumber = 16\n |Title = A Batalha de Brady\n |AltTitle = ''Brady Battle-Mer Boo'' \n |OriginalAirDate= 7 de abril de 2011\n | Aux2 = 24 de janeiro de 2011\n | Aux3 = 28 de agosto de 2011\n | Aux4 = 3,8 \n|ShortSummary = Brady diz que h\u00e1 uma maldi\u00e7\u00e3o no castelo, mas Boomer discorda. Pra provar, Brady compra o fantasma de um viking, mas as coisas come\u00e7am a desandar quando o viking entra no corpo de Boomer.\n* '''Ausente:''' [[Kelsey Chow]] como Mikayla.\n |LineColor = 00b8f1\n}}\n{{Episode list \n |EpisodeNumber = 17\n |Title = O Rei e os Olhos/O Rei dos Tr\u00eas Olhos \n |AltTitle = ''The King and Eyes'' \n |OriginalAirDate= 28 de julho de 2011\n | Aux2 = 31 de janeiro de 2011\n | Aux3 = 11 de setembro de 2011\n | Aux4 = 4,0 \n|ShortSummary = Kinkou e a ilha vizinha est\u00e3o em desacordo, e a \u00fanica forma de melhorar as coisas \u00e9 um namoro real: um dos reis precisa namorar a princesa \u00cdris de C\u00f3rnea por um ano, assim a alian\u00e7a das duas ilhas \u00e9 reatado. Assim, Brady e Boomer resolvem competir para quem vai namorar \u00cdris, at\u00e9 descobrirem que a princesa tem um terceiro olho, para desgosto dos dois.\n* '''Participa\u00e7\u00e3o especial:''' Mulheron Tiffany como Princesa \u00cdris de C\u00f3rnea.\n |LineColor = 00b8f1\n}}\n{{Episode list \n |EpisodeNumber = 18\n |Title = Os Reis Abaixo das Minhas Asas/Reis Debaixo de Asas\n |AltTitle = ''The Kings Beneath My Wings''\n |OriginalAirDate= 11 de agosto de 2011\n | Aux2 = 11 de fevereiro de 2011\n | Aux3 = 11 de setembro de 2011\n | Aux4 = 3,3 \n|ShortSummary = Brady e Boomer s\u00e3o obrigados a realizar \"Um dia com os Reis\", em que um adolescente, no caso, passa um dia junto aos reis. Hilo ganha o concurso, mas acaba encrencando-os.\n* '''Ausente:''' Geno Segers como Mason.\n* '''Participa\u00e7\u00f5es especiais:''' [[Tyrel Jackson Williams]] como Hilo, [[Martin Klebba]] como Hibachi, David Forgeman como Guarda #1.\n |LineColor = 00b8f1\n}}\n{{Episode list \n |EpisodeNumber = 19\n |Title = Escola de Luta/Escola de Combate \n |AltTitle = ''Fight School''\n |OriginalAirDate= 3 de junho de 2011\n | Aux2 = 20 de abril de 2011\n | Aux3 = 15 de novembro de 2011\n | Aux4 = 3,5\n|ShortSummary = Mason inscreve os reis na escola de luta e logo na primeira semana lhes d\u00e1 a espada da fam\u00edlia para agrad\u00e1-los, mas Mikayla fica irritada pois ela s\u00f3 \u00e9 concedida ap\u00f3s dois anos de treinamento. Ent\u00e3o Mikayla chama o gigante Atogh para lutar com os reis, mas as coisas saem do conforme quando os reis topam lutar. Na luta, Atogh vence a luta em menos de um minuto e ganha e espada. Os reis pedem uma revance e utilizam t\u00e9cnicas que aprenderam em Chicago e, por serem desconhecidas em Kinkou, eles derrotam Atogh.\n* '''Nota''': Esse epis\u00f3dio estreou dia 5 de abril de 2011 no [[Reino Unido]].\n |LineColor = 00b8f1\n}}\n{{Episode list \n |EpisodeNumber = 20\n |Title = O Problema com Duplas/O Problema dos Duplos\n |AltTitle = ''The Trouble with Doubles''\n |OriginalAirDate= 4 de agosto de 2011\n | Aux2 = 25 de abril de 2011\n | Aux3 = 5 de outubro de 2011\n | Aux4 = 3,8 \n|ShortSummary = Os reis descobrem uma planta duplicadora, que copia tudo o que toca. Ent\u00e3o, fazem seus pr\u00f3prios clones, que tomam seu lugar.\n* '''Nota:''' Este epis\u00f3dio deveria ser duplo. \n |LineColor = 00b8f1\n}}\n{{Episode list \n |EpisodeNumber = 21\n |Title = Viagem ao Centro do Sr. Spew\n |AltTitle = ''Journey to the Center of the Mt. Spew''\n |OriginalAirDate= 25 de agosto de 2011\n | Aux2 = 2 de maio de 2011\n | Aux3 = 6 de novembro de 2011\n | Aux4 = 4,0 \n|ShortSummary = No anivers\u00e1rio dos reis, eles decidem pedir um desejo. Enquanto Brady pediu que Mikayla elogiasse-a o dia inteiro, Boomer pede uma chance de saber quem nasceu primeiro. Ent\u00e3o, Lanny leva Boomer ao vulc\u00e3o da ilha em dire\u00e7\u00e3o ao Or\u00e1culo, para poder responder \u00e0 pergunta. No final, Boomer desiste de saber e tenta a todo custo fazer com que o Or\u00e1culo n\u00e3o responda \u00e0 pergunta.\n* '''Refer\u00eancia do T\u00edtulo:''' [[Viagem ao Centro da Terra]]\n* '''Nota:''' Nesse epis\u00f3dio, Brady admite que s\u00f3 espalhou rumores de que nasceu primeiro porque queria ser melhor em apenas uma coisa do que Boomer, e achou que essa coisa seria ser mais velho.\n |LineColor = 00b8f1\n}}\n|}\n\n== 2.\u00aa temporada (2011-2012) ==\n* Foi confirmada a produ\u00e7\u00e3o da segunda temporada da s\u00e9rie em 20 de novembro de 2010.\n* As grava\u00e7\u00f5es da temporada foram iniciadas no dia 1 de fevereiro de 2011, na ''Hollywood Center Studios'', de acordo com a imprensa da [[Disney XD]].\n* [[Mitchel Musso]], [[Doc Shaw]], [[Kelsey Chow]] e [[Ryan Ochoa]] est\u00e3o presentes em todos os epis\u00f3dios at\u00e9 agora.\n* [[Geno Segers]] est\u00e1 ausente em seis epis\u00f3dios.\n* Dois epis\u00f3dios est\u00e3o divididos em duas partes.\n{| class=\"wikitable\" style=\"width:100%; margin:auto; background:#FFFFFF;\" \n|-\n! style=\"background-color: #008000; color:#FFFFFF; text-align: center;\"|#\n!! style=\"background-color: #008000; color:#FFFFFF; text-align: center;\"|# T.\n!! style=\"background-color: #008000; color:#FFFFFF; text-align: center;\"|T\u00edtulo\n!! style=\"background-color: #008000; color:#FFFFFF\"| Estreia E.U.A. !! style=\"background-color: #008000; color:#FFFFFF\"| Estreia Brasil !! style=\"background-color: #008000; color:#FFFFFF\"| Estreia Portugal \n!! style=\"background-color: #008000; color:#FFFFFFF\"| Audi\u00eancia em milh\u00f5es\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 22\n |EpisodeNumber2 = 1\n |Title = Reis Lend\u00e1rios: Parte 1\n |AltTitle = ''Kings of Legend, Part 1''\n | OriginalAirDate = 19 de dezembro de 2011 \n | Aux2 = 13 de junho de 2011\n | Aux3 = 6 de janeiro de 2012\n | Aux4 = 4,1\n |ShortSummary = Ao provarem que s\u00e3o os verdadeiros reis de Kinkou, os g\u00eameos trazem Zadoque, a est\u00e1tua que os habitantes acreditavam ter destru\u00eddo, fazendo a ilha decretar estado de extremo perigo. Os dois tentam fugir para Chicago, mas o bal\u00e3o perde o controle e cai na parte negra da ilha. Enquanto Lanny usa pela terceira vez a coroa, Mason e Mikayla tentam procurar os reis.\n* '''Participa\u00e7\u00f5es especiais:''' James Hong como o Governante Elder e John Tartaglia como a voz da Parrot.\n|LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 23\n |EpisodeNumber2 = 2\n |Title = Reis Lend\u00e1rios: Parte 2\n |AltTitle = ''Kings of Legend, Part 2''\n | OriginalAirDate = 20 de dezembro de 2011\n | Aux2 = 20 de junho de 2011\n | Aux3 = 6 de janeiro de 2012\n | Aux4 = 3,9\n |ShortSummary = Ao ser capturado e quase esmagado por Zadoque, Lanny devolve o trono para os g\u00eameos. Mason vai atr\u00e1s de Zadoque e v\u00ea a luta dos reis para derrotar Zadoque e percebe que eles podem ser os reis da lenda.\n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 24\n |EpisodeNumber2 = 3\n |Title = Bom Rei Ca\u00e7ando\n |AltTitle = ''Good King Hunting''\n | OriginalAirDate = 21 de dezembro de 2011\n | Aux2 = 27 de junho de 2011\n | Aux3 = 9 de janeiro de 2012\n | Aux4 = 3,4\n |ShortSummary = Brady finalmente chama Mikayla para sair usando um bilhete escrito por Lanny. Quando acidentalmente Brady perde o bilhete, Mikayla acha que ele \u00e9 de Boomer e Mason come\u00e7a \u00e0 ca\u00e7\u00e1-lo. Durante a noite, Brady revela a verdade \u00e0 Mason e come\u00e7a a ser ca\u00e7ado. No dia seguinte, Mikayla recusa sair com Brady, pois ele humilhou Mason na frente de toda a ilha.\n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 25\n |EpisodeNumber2 = 4\n |Title = Jantar para Squonks\n |AltTitle = ''Dinner for Squonks''\n | OriginalAirDate = 22 de dezembro de 2011\n | Aux2 = 11 de julho de 2011\n | Aux3 = 7 de janeiro de 2012\n | Aux4 = 3,5\n|ShortSummary = Os reis descobrem que Mason e Mikayla t\u00eam feito as opera\u00e7\u00f5es di\u00e1rias da ilha de seu quartel secreto. Indignados, os g\u00eameos insistem em realizar todas as decis\u00f5es futuras, assumindo a lideran\u00e7a em uma reuni\u00e3o importante com os Squonks. A fim de fazerem as coisas certas, os dois devem suportar um banquete com a rainha Squonk.\n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 26\n |EpisodeNumber2 = 5\n |Title = Reis de Ladr\u00f5es\n |AltTitle = ''Kings of Thieves''\n | OriginalAirDate = 23 de dezembro de 2011\n | Aux2 = 18 de julho de 2011\n | Aux3 = 14 de janeiro de 2012\n | Aux4 = 2,6 \n|ShortSummary = Os reis est\u00e3o gastando muito e acabam provocando uma crise monet\u00e1ria, fazendo Lanny pagar doa\u00e7\u00f5es obrigat\u00f3rias. Acumulando tempo at\u00e9 encontrarem a melhor sa\u00edda para amornar a cris, os g\u00eameos se disfar\u00e7am de bandidos, roubando doa\u00e7\u00e3o reais e devolvendo o dinheiro ao povo. Com os bandidos soltos, os habitantes come\u00e7am a ficar com raiva e os g\u00eameos t\u00eam de encontrar uma maneira de restaurar a fortuna do reino, capturar os criminosos e recuperar o apoio do reino.\n* '''Participa\u00e7\u00f5es especiais:''' John O'Hurley como Ron, o Narrador de Aventura.\n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 27\n |EpisodeNumber2 = 6\n |Title = Uma Garota de Gelo para Boomer\n |AltTitle = ''An Ice Girl for Boomer''\n | OriginalAirDate = 24 de dezembro de 2011\n | Aux2 = 25 de julho de 2011\n | Aux3 = 29 de janeiro de 2012\n | Aux4 = 3,1 \n|ShortSummary = Est\u00e1 muito quente em Kinkou e os reis descobrem uma caverna de gelo na floresta onde mora uma menina e Boomer decide cham\u00e1-la para o luau. Mas Dawson tamb\u00e9m vai ao luau e os reis tentam se livrar dela.\n* '''Participa\u00e7\u00e3o Super Especial:''' Ron Fassler como Dale Davis.\n* '''Participa\u00e7\u00f5es especiais:''' Logan Browning como Rebecca \"Awesome\" Dawson e Jillian Nelson como a garota da caverna.\n* '''Ausente:''' Geno Segers como Mason\n|LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 28\n |EpisodeNumber2 = 7\n |Title = Um par de G\u00eanios\n |AltTitle = ''A Pair of Geniuses''\n | OriginalAirDate = 26 de dezembro de 2011\n | Aux2 = 31 de julho de 2011\n | Aux3 = 14 de fevereiro de 2012\n | Aux4 = 4,2\n|ShortSummary = Os reis ficam encantados pelas rainhas da ilha vizinha elogiarem sua inven\u00e7\u00e3o, a ponto de convid\u00e1-los para serem reis de Sununu. Por\u00e9m, eles percebem que elas s\u00e3o v\u00edtimas de uma maldi\u00e7\u00e3o que os far\u00e3o ficar burros. A fim de fazer a ilha se curar da maldi\u00e7\u00e3o, eles devem resolver os enigmas da esfinge, aos quais Brady desvenda de forma errada, fazendo a est\u00e1tua p\u00f4r a maldi\u00e7\u00e3o de deix\u00e1-lo burro, e Boomer pede ajuda a Mason, Mikayla e Lanny para resolver o enigma at\u00e9 o p\u00f4r-do-sol, ou ficar\u00e3o burros para sempre.\n* '''Participa\u00e7\u00f5es especiais:''' Kara Pacitto como Rainha Hesta e Katelyn Pacitto como Rainha Desta.\n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 29\n |EpisodeNumber2 = 8\n |Title = Como eu Conheci seu Irm\u00e3o\n |AltTitle = ''How I Met Your Brother''\n | OriginalAirDate = 28 de dezembro de 2011\n | Aux2 = 8 de agosto de 2011\n | Aux3 = 17 de janeiro de 2012\n | Aux4 = 4,0 \n|ShortSummary = O irm\u00e3o de Mason, Jason, chega \u00e0 ilha, mas Mason n\u00e3o simpatiza com ele devido a um incidente na inf\u00e2ncia. Quando Jason simpatiza com os reis, Mason acaba saindo, mas volta quando o povo tar\u00e2ntula sequestra Boomer e Jason foge em um ato de covardia. Por\u00e9m, Mason e Brady acabam capturados.\n* '''Refer\u00eancia do T\u00edtulo:''' A s\u00e9rie ''[[How I Met Your Mother]]''. \n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 30\n |EpisodeNumber2 = 9\n |Title = Aquele Sobre os Amigos de Mikayla\n |AltTitle = ''The One About Mikayla\u2019s Friends''\n | OriginalAirDate = 16 de janeiro de 2012\n | Aux2 = 22 de agosto de 2011\n | Aux3 = 16 de janeiro de 2012\n | Aux4 = 3,7 \n|ShortSummary = Os reis encontram uma amiga para Mikayla para ela parar de lhes dar tanta aten\u00e7\u00e3o, mas ela acaba colocando todos em perigo. \n* '''Refer\u00eancia do T\u00edtulo:''' Epis\u00f3dios de ''[[Friends]]'', que todos come\u00e7am com um ''The One About'' (ex: ''The One with the Sonogram at the End'').\n* '''Participa\u00e7\u00e3o especial:''' Brittany Ross como Candace\n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 31\n |EpisodeNumber2 = 10\n |Title = Repetir\n |AltTitle = ''Do Over''\n | OriginalAirDate = 17 de janeiro de 2012\n | Aux2 = 26 de setembro de 2011\n | Aux3 = 28 de fevereiro de 2012\n | Aux4 = 2,9 \n|ShortSummary = Os reis encontram um rel\u00f3gio que tem o poder de reiniciar o dia fazendo com que somente seus detentores se lembrem. Enquanto Boomer usa o poder do rel\u00f3gio para brincar com Mason, Brady usa-o para tentar melhorar seu encontro com Mikayla. Por\u00e9m, as coisas come\u00e7am a sair do planejado quando o rel\u00f3gio falha quando eles acabam capturados pelo povo tar\u00e2ntula.\n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 32\n |EpisodeNumber2 = 11\n |Title = Big Mama Waka\n |AltTitle = ''Big Mama Waka''\n | OriginalAirDate = 27 de dezembro de 2011\n | Aux2 = 3 de outubro de 2011\n | Aux3 = 22 de janeiro de 2012\n | Aux4 = 4,5 \n|ShortSummary = Mikayla descobre que est\u00e1 febril e come\u00e7a a se transformar em um Big Mama Waka. Ent\u00e3o os reis v\u00e3o \u00e0 colmeia waka em uma tentativa de conseguir um raro medicamento para cur\u00e1-la. No final do epis\u00f3dio, Lanny \u00e9 mordido por um mosquito waka.\n* '''Participa\u00e7\u00e3o especial''': James Hong\n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 33\n |EpisodeNumber2 = 12\n |Title = Dormindo para sempre no Castelo\n |AltTitle = ''Sleepless in the Castle''\n | OriginalAirDate = 18 de janeiro de 2012\n | Aux2 = 17 de outubro de 2011\n | Aux3 = 17 de fevereiro de 2012\n | Aux4 = 2,8 \n|ShortSummary = Farto de h\u00e1bito incomum Brady se torna um ninja quando vai dormir \u00e0 noite, e Boomer impulsivamente se move para fora.\n* '''Refer\u00eancia do t\u00edtulo:''' O filme de 1993 ''[[Sleepless in Seattle]]''.\n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 34\n |EpisodeNumber2 = 13\n |Title = Par de Clubes\n |AltTitle = ''Pair of Clubs''\n | OriginalAirDate = 19 de janeiro de 2012\n | Aux2 = 24 de outubro de 2011\n | Aux3 = 29 de janeiro de 2012\n | Aux4 = 2,6\n|ShortSummary = Boomer abre o hotspot adolescente dos seus sonhos e contrata Brady como seu assistente. Por\u00e9m, Brady acaba abrindo seu pr\u00f3prio clube dentro uma cripta.\n* '''Ausente:''' Geno Segers como Mason\n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 35\n |EpisodeNumber2 = 14\n |Title = As trapa\u00e7as da vida de Brady e Boomer\n |AltTitle = ''The Cheat Life of Brady and Boomer''\n | OriginalAirDate = 20 de janeiro de 2012\n | Aux2 = 21 de novembro de 2011\n | Aux3 = 12 de fevereiro de 2012\n | Aux4 = 2,7 \n|ShortSummary = Os reis devem suportar um desafio que testa intelig\u00eancia, for\u00e7a e esp\u00edrito. Quando Mikayla percebe que eles n\u00e3o v\u00e3o passar, decide ajud\u00e1-los, mas as coisas saem do conforme quando Boomer e Brady trocam de corpo com, respectivamente, Mikayla e Lanny.\n\n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 36\n |EpisodeNumber2 = 15\n |Title = O Ex-Fator\n |AltTitle = ''The Ex Factor''\n | OriginalAirDate = 23 de janeiro de 2012\n | Aux2 = 28 de novembro de 2011\n | Aux3 = 2 de fevereiro de 2012\n | Aux4 = 3,4 \n|ShortSummary = Quando o ex de Mikayla, Lucas, se recusa a participar do ritual, os reis rastreiam-o e descobrem que Lucas se assemelha a Boomer. Para ajudar Brady a namorar Mikayla, Boomer se passa por Lucas, mas o tiro sai pela culatra e Mikayla revela seus verdadeiros sentimentos.\n\n'''Nota''': O nome \u00e9 uma par\u00f3dia de [[The X Factor]].\n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 37\n |EpisodeNumber2 = 16\n |Title = Par de Noeis\n |AltTitle = ''Pair of Santas''\n | OriginalAirDate = 25 de dezembro de 2011\n | Aux2 = 5 de dezembro de 2011\n | Aux3 = 14 de dezembro de 2012\n | Aux4 = 4,0 \n|ShortSummary = Em um esfor\u00e7o para trazer suas tradi\u00e7\u00f5es para a ilha, os reis prometem ao povo um Super Natal e contratam os duendes da ilha para fabricar os brinquedos. Mas os duendes se revoltam e os g\u00eameos devem descobrir como salvar o Natal.\n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 38\n |EpisodeNumber2 = 17\n |Title = Sem Rima ou Trai\u00e7\u00e3o\n |AltTitle = ''No Rhyme or Treason''\n | OriginalAirDate = 23 de julho de 2012\n | Aux2 = 23 de janeiro de 2012\n | Aux3 = 31 de janeiro de 2012\n | Aux4 = 3,8 \n|ShortSummary = Quando Mikala termina a sua amizade com Brady por n\u00e3o suport\u00e1-lo. Quando Mikayla e Boomer aproximam-se por do mesmo hobby, Brady fica com ci\u00fames.\n* '''Ausente:''' Geno Segers como Mason\n* '''Participa\u00e7\u00e3o especial:''' Walter Emanuel Jones\n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 39\n |EpisodeNumber2 = 18\n |Title = Sapatos do Sr. Boogey\n |AltTitle = ''Mr. Boogey Shoes''\n | OriginalAirDate = 25 de julho de 2012\n | Aux2 = 30 de janeiro de 2012\n | Aux3 = 9 de fevereiro de 2012\n | Aux4 = 3,1\n|ShortSummary = Boomer culpa Sr. Boogey quando o par de t\u00eanis favorito de Brady \u00e9 roubado. Todos em Kinkou acham que Boomer est\u00e1 mentindo, exceto Mason.\n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 40\n |EpisodeNumber2 = 19\n |Title = O Jovem e o Inquieto\n |AltTitle = ''The Young and the Restless''\n | OriginalAirDate = 26 de janeiro de 2012\n | Aux2 = 6 de fevereiro de 2012\n | Aux3 = 15 de fevereiro de 2012\n | Aux4 = 3,6 \n|ShortSummary = Brady e Boomer conhecem 2 meninas em seu \"Meet the Kings\" mixer. As meninas ent\u00e3o tentando enganar os reis em ativar a Fonte da Juventude e vire de idade. Mas as coisas pioram quando Mason tenta salv\u00e1-los, mas acaba prejudicando a si mesmo como tamb\u00e9m por se transformar em um beb\u00ea. Ent\u00e3o, cabe a Mikayla para salvar todos os 3 os caras antes de os reis tornar-se demasiado velho para viver, e antes de Mason \u00e9 tomada pelas bruxas velhas.\n* \"'Ator convidado: Abbie Cobb t\u00e3o jovem Ethel e Wilson Emily t\u00e3o jovem Gertrude \n* '''Refer\u00eancia do t\u00edtulo:''' A [[The Young and the Restless|''soap opera'' hom\u00f4nima]].\n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 41 \n |EpisodeNumber2 = 20\n |Title = Deixem as Mem\u00f3rias Falar\n |AltTitle = Let the Clips Show\n | OriginalAirDate = 13 de fevereiro de 2012\n | Aux2 = ''por anunciar''\n | Aux3 = 17 de novembro de 2012\n | Aux4 =4,2\n|ShortSummary = Boomer e Brady s\u00e3o culpados por destruir o castelo e v\u00e3o a tribunal. Pensa-se que \u00e9 Brady,o culpado, mas quando Boomer acha que \u00e9 o papagaio que estava a gozar com eles naquele momento, eles v\u00e3o confirmar \u00e0 Pedra M\u00e1gica. No final, descobre-se que o culpado era mesmo o papagaio.\n* '''Ator convidado''': James Hong como Juiz\n|LineColor = 008000\n\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 42\n |EpisodeNumber2 = 21\n |Title = Agache Brady, Esconda Boomer\n |AltTitle = ''Crouchin Brady, Hidden Bommer''\n | OriginalAirDate = 27 de janeiro de 2012\n | Aux2 = 13 de fevereiro de 2012\n | Aux3 = 2 de mar\u00e7o de 2012\n | Aux4 = 3,3 \n|ShortSummary = Brady vai a um encontro com Sabrina, uma linda garota do Guerreiro Nanju tribo, e logo percebe que ela \u00e9 a maior rival Mikayla da escola de Kinkow luta. Sabrina desafia Mikayla para um duelo. Mas quando se recusa Mikayla, Sabrina leva prisioneiro Brady. Mikayla vai para a floresta Nanju, conhecida por seus campos magn\u00e9ticos, e compete em um duelo a\u00e9reo para salvar seu amigo. No final, Mikayla ganha porque Brady levou o Cintur\u00e3o de Sabrina que lhe permite voar.\n* '''Ator convidado''': Skylar Vallo como Sabrina.\n* '''Ausente''': Geno Segers como Mason \n* '''Nota''': Este epis\u00f3dio foi ao ar no Canad\u00e1 em Fam\u00edlia em 29 de janeiro de 2012.\n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 43\n |EpisodeNumber2 = 22\n |Title = Festa na Praia, Larva Massacra\n |AltTitle = ''Beach Party Maggot Masacre'\n | OriginalAirDate = 24 de janeiro de 2012\n | Aux2 = 26 de mar\u00e7o de 2012\n | Aux3 = 1 de abril de 2012\n | Aux4 = 4,6 \n|ShortSummary =Quando uma c\u00f3pia antecipada do seu anu\u00e1rio de um col\u00e9gio chega, os reis percebem que est\u00e3o indo para ser lembrado em Chicago para lan\u00e7ar o pior partido que nunca. Para reparar sua reputa\u00e7\u00e3o, Boomer e Brady convidar sua classe escola inteira para Kinkow para uma festa na praia \u00e9pico, mas um desastre quando seus colegas s\u00e3o ca\u00e7ados por um gigante Kinkow Areia Maggot. \n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 44\n |EpisodeNumber2 = 23\n |Title = \"Fa\u00e7a sujeira, n\u00e3o guerra\"\n |AltTitle = ''Make Dirt, Not War''\n | OriginalAirDate = 24 de julho de 2012\n | Aux2 = 2 de abril de 2012\n | Aux3 = 22 de abril de 2012\n | Aux4 = 3,8\n|ShortSummary = Brady tenta unir duas tribos em conflito para impressionar Mikayla, mas as coisas n\u00e3o correram como eles planejavam.\n* '''Especiais estrelas convidados: Jennifer Stone como Priscila e Doug Brochu como Oogie.\n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 45\n |EpisodeNumber2 = 24\n |Title = Cozinheiros podem iludir-se\"\n |AltTitle = ''Cooks Can Be Deceiving''\n | OriginalAirDate = 24 de janeiro de 2012\n | Aux2 = 9 de abril de 2012\n | Aux3 = 25 de abril de 2012\n | Aux4 = 4,3 \n|ShortSummary = O chef sai quando lhe \u00e9 ordenado pelo rei Boomer e Brady Rei para preparar um bolo de carne, quando ele deveria estar fazendo uma refei\u00e7\u00e3o muito importante para um ogro gigante que est\u00e1 prestes a acordar de seu sono de dez anos.\n* '''Convidado especial: Dwight Howard como o cozinheiro chefe.\n* '''Ausente: Geno Segers como Mason.\n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 46\n |EpisodeNumber2 = 25\n |Title = O Rei do Mal: Parte 1\n |AltTitle = ''The Evil King, Part 1''\n | OriginalAirDate = 26 de julho de 2012\n | Aux2 = 16 de abril de 2012\n | Aux3 = 5 de janeiro de 2012\n | Aux4 = 5,1\n|ShortSummary = Quando duas luas aparecem, os reis atender o fantasma de Malakai, o primeiro rei de Kinkow, que explica que um irm\u00e3o g\u00eameo do mal vai destruir a ilha. Depois de interrogar cada g\u00eameo em Kinkow, Boomer e Brady come\u00e7ar a ligar um ao outro. Seguindo o conselho de Lanny, a viagem reis para o lado negro para o castelo do rei mal para se sentar no trono do mal e aprender a verdade. A profecia se torna realidade quando o rei do mal \u00e9 revelado, colocando Brady sob um feiti\u00e7o e transformando-o em mau Brady. Com Mason e Mikayla no reboque cabe\u00e7as, Boomer vai para o lado negro para salvar seu irm\u00e3o e da ilha de afundar nos mares.\nEntretanto, na sequ\u00eancia de um sonho onde beija Brady, Mikayla acredita que ela pode ter uma queda por ele. Sua amiga Candace diz que ela tem.\n |LineColor = 008000\n}}\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 47\n |EpisodeNumber2 = 26\n |Title = O Rei do Mal: Parte 2\n |AltTitle = ''The Evil King, Part 2''\n | OriginalAirDate = 27 de julho de 2012\n | Aux2 = 16 de abril de 2012\n | Aux3 = 5 de janeiro de 2012\n | Aux4 = 5,1 \n|ShortSummary = A profecia se torna realidade quando o rei do mal \u00e9 revelado, colocando Brady sob um feiti\u00e7o e transformando-o em mau Brady. Com Mason e Mikayla no reboque cabe\u00e7as, Boomer vai para o lado negro para salvar seu irm\u00e3o e a ilha. Mais tarde, quando se dirige com Mikayla e Mason para salvar Brady do mal rei Kalakai, um mal Brady se engaja com Boomer em uma luta de espadas. Pouco antes de Brady pode acabar com Boomer, Mikayla lhe d\u00e1 um beijo longo, quebrando o feiti\u00e7o de Kalakai. Juntos Brady e Boomer usam seus an\u00e9is especiais para derrotar Kalakai. Brady pega a m\u00e3o de Mikayla e pergunta sobre o que acontecer\u00e1 com eles. Mikayla por sua vez, diz Brady que o beijo foi apenas para salv\u00e1-lo e foi por amor a seu pa\u00eds, e vai embora. Ele acha que ainda est\u00e1 impl\u00edcito que Mikayla ainda pode realmente amar Brady, mas simplesmente lhe disse que o beijo n\u00e3o foi sobre isso. Brady, Boomer, e Mason seguem Mikayla de volta para o castelo.\n |LineColor = 008000\n}}\n|}\n\n== 3.\u00aa temporada (2012-2013) ==\n* Em 12 de dezembro de 2011, Disney XD anunciou que Pair of Kings foi renovada para uma terceira temporada com o ator Adam Hicks para se juntar ao elenco, substituindo Mitchel Musso. Esta \u00e9 tamb\u00e9m a \u00faltima temporada da s\u00e9rie. \n* Adam Hicks se juntar ao elenco principal como Boz e substitui Mitchel Musso como Brady. \n* Geno Segers est\u00e1 ausente por cinco epis\u00f3dios.\n* Esta temporada possui 22 epis\u00f3dios.\n\n{| class=\"wikitable\" style=\"width:100%; margin:auto; background:#FFFFFF;\" \n|-\n! style=\"background-color: #30FF11; color:#FFFFFF; text-align: center;\"|#\n!! style=\"background-color: #30FF11; color:#FFFFFF; text-align: center;\"|# T.\n!! style=\"background-color: #30FF11; color:#FFFFFF; text-align: center;\"|T\u00edtulo\n!! style=\"background-color: #30FF11; color:#FFFFFF\"| Estreia E.U.A. !! style=\"background-color: #30FF11; color:#FFFFFF\"| Estreia Brasil !! style=\"background-color: #30FF11; color:#FFFFFF\"| Estreia Portugal \n!! style=\"background-color: #30FF11; color:#FFFFFFF\"| Audi\u00eancia em milh\u00f5es\n{{Episode list\n |EpisodeNumber = 48\n |EpisodeNumber2 = 1\n |Title = O Novo Rei, Parte 1: Destinys Child\n |AltTitle = ''The New King, Part 1: Destiny's Child''\n | OriginalAirDate = 24 de setembro de 2012\n | Aux2 = 18 de junho de 2012\n | Aux3 = ''por anunciar''\n | Aux4 = 0,8\n |ShortSummary = Quando Brady ouve Candace fofocando com Mikayla, Candace diz que Mikayla disse que ela nunca vai sair com ele, j\u00e1 que ele \u00e9 imaturo e nunca vai crescer, enquanto ele \u00e9 o rei da Kinkow, Brady deixa a ilha para voltar para Chicago e votos para nunca mais voltar at\u00e9 que ele possa provar a si mesmo para ser digno de Mikayla. Boomer descobre sobre isso e tenta seguir Brady. Mas quando uma tempestade atinge Kinkow enviando pessoas para a ilha vizinha de Mindu para eles, obriga-o a ficar. Eles encontram o jovem rei do Mindu tem a marca de nascen\u00e7a Kinkow em seu umbigo, o que significa que ele tamb\u00e9m \u00e9 o rei da Kinkow. Ele revela que o menino \u00e9 Brady e tempo perdido irm\u00e3o trio de Boomer, Boz.\n\n* '''Estrelas convidados:''' James Hong como o \u00c9lder\n* '''\u00daltima apari\u00e7\u00e3o:''' Mitchel Musso como Brady \n* '''Primeira apari\u00e7\u00e3o:''' Adam Hicks como Boz\n|LineColor = 30FF11\n}}\n|}\n\n[[Categoria:Listas de epis\u00f3dios de s\u00e9ries de televis\u00e3o dos Estados Unidos|Pair of Kings]]\n[[Categoria:Disney XD]]"}]},"225371":{"pageid":225371,"ns":0,"title":"Condado de Van Buren (Tennessee)","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{coor title dms|35|41|25|N|85|27|35|W|region:US-TN_type:adm2nd_source:dewiki|display=title}}\n{{Ver desambig|prefixo=Se procura|por outros condados com o mesmo nome|Condado de Van Buren}}\n{{Info/Condado dos EUA\n |nome = Van Buren\n |mapa = [[Ficheiro:Van Buren County Tennessee.png|250px|center]]\n |descri\u00e7\u00e3o_mapa= Localiza\u00e7\u00e3o do condado de Van Buren no Tennessee\n |mapa2 = [[Ficheiro:Map of USA TN.svg|200px|center]]\n |descri\u00e7\u00e3o_mapa2= Localiza\u00e7\u00e3o do Tennessee nos Estados Unidos\n |n_condados = 95\n |estado = [[Tennessee]]\n |capital = [[Spencer (Tennessee)|Spencer]]\n |maior_cidade = Spencer\n |\u00e1rea = 711\n |\u00e1rea_\u00e1gua = 3\n |perc_\u00e1gua = 0,42\n |populacao = 5508\n |densidade = 8\n |censo_data = 2000\n |data_funda\u00e7\u00e3o = {{Dtlink|||1840|idade}}\n |extra = \n |estado_art = o\n |estado_cat = Tennessee\n |nome_condado = Van Buren\n |link_externo = \n}}\nO '''Condado de Van Buren''' \u00e9 um dos 95 [[condado]]s do [[Estados dos Estados Unidos|Estado]] [[Estados Unidos|norte-americano]] do [[Tennessee]]. A [[sede de condado|sede do condado]] \u00e9 [[Spencer (Tennessee)|Spencer]], que \u00e9 tamb\u00e9m a sua maior cidade. O condado tem uma \u00e1rea de 711 [[quil\u00f4metro quadrado|km\u00b2]] (dos quais 3 km\u00b2 est\u00e3o cobertos por \u00e1gua), uma popula\u00e7\u00e3o de 5508 habitantes, e uma [[densidade populacional]] de 8 hab/km\u00b2 (segundo o [[Censo demogr\u00e1fico|censo]] nacional de [[2000]]). O condado foi fundado em [[1840]] e recebeu o seu nome em homenagem a [[Martin Van Buren]] (1782\u20131862), senador, diplomata, governador de Nova Iorque, [[vice-presidente dos Estados Unidos]] (1833-1837) e depois o oitavo [[presidente dos Estados Unidos]] (1837-1841).\n\n[[Ficheiro:Van-buren-county-tennessee-courthouse1.jpg|esquerda|thumb|250px|Tribunal do condado de Van Buren, em Spencer, Tennessee.]]\n\n{{Refer\u00eancias}}\n\n{{Tennessee}}\n{{esbo\u00e7o-geoeua}}\n{{Portal3|Geografia|Tennessee|Estados Unidos}}\n\n{{DEFAULTSORT:Van Buren}}\n[[Categoria:Condados do Tennessee]]\n[[Categoria:Condado de Van Buren (Tennessee)| ]]"}],"images":[{"ns":6,"title":"Ficheiro:Crystal Clear app demo.png"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Disambig grey.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Flag of Tennessee.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Flag of the United States.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Map of USA TN.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Portal.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Sciences de la terre.svg"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Seal of Tennessee.svg"}]},"2019540":{"pageid":2019540,"ns":0,"title":"Chongoyape (distrito)","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"[[Ficheiro:Distrito de Chongoyape.jpg|thumb|200px|Vista do Distrito de Chongoyape.]]\n'''Chongoyape''' \u00e9 um distrito do [[Peru]], departamento de [[Lambayeque (regi\u00e3o)|Lambayeque]], localizada na prov\u00edncia de [[Chiclayo (prov\u00edncia)|Chiclayo]].\n\n==Transporte==\nO distrito de Chongoyape \u00e9 servido pela seguinte rodovia:\n* [[PE-6A]], que liga a cidade de [[Cochabamba (distrito de Chota)|Cochabamba]] ([[Cajamarca (regi\u00e3o)|Regi\u00e3o de Cajamarca]]) ao distrito de [[Reque (distrito)|Reque]] ([[Lambayeque (regi\u00e3o)|Regi\u00e3o de Lambayeque]])\n* [[LA-118 (Peru)|LA-118]], que liga a cidade ao distrito de [[Cayalti (distrito)|Cayalti]] https://www.deperu.com/red-vial/amazonas.phphttps://sinia.minam.gob.pe/mapas/mapa-sistema-nacional-carreteras-peruhttp://portal.mtc.gob.pe/transportes/caminos/normas_carreteras/mapas_viales.html\n{{refer\u00eancias}}\n\n{{esbo\u00e7o-geope}}\n\n{{Prov\u00edncia de Chiclayo}}\n[[Categoria:Distritos da prov\u00edncia de Chiclayo]]"}]},"5036193":{"pageid":5036193,"ns":0,"title":"Ghassoul","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Assentamento\n|nome_oficial = Ghassoul\n|nome_nativo = {{lang|ar|\u063a\u0633\u0648\u0644}}\n|assentamento_tipo = Comuna e cidade\n|imagem_horizonte = \n |imagem_legenda = \n|imagem_mapa = DA - 32-05 - Ghassoul - Wilaya d'El Bayadh map.svg\n |mapa_legenda = Localiza\u00e7\u00e3o da cidade dentro da prov\u00edncia de El Bayadh\n}}\n'''Ghassoul''' ({{lang-ar|\u063a\u0633\u0648\u0644}}) \u00e9 um [[Comunas da Arg\u00e9lia|munic\u00edpio]] localizado na [[Prov\u00edncias da Arg\u00e9lia|prov\u00edncia]] de [[El Bayadh (prov\u00edncia)|El Bayadh]], [[Arg\u00e9lia]]. Segundo o censo de 2008, a popula\u00e7\u00e3o total da cidade era de {{fmtn|7880}} habitantes.{{en}} [http://www.geohive.com/cntry/algeria.aspx?levels=El%20Bayadh Chiffres du recensement 2008 de la population alg\u00e9rienne, wilaya d'El Bayadh, sur le site de geohive.]\n\n{{refer\u00eancias}}\n\n{{esbo\u00e7o-geodz}}\n{{El Bayadh (prov\u00edncia)}}\n\n[[Categoria:Comunas da Arg\u00e9lia]]\n[[Categoria:Cidades da Arg\u00e9lia]]"}]},"5409878":{"pageid":5409878,"ns":0,"title":"Nexus 5X","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Telem\u00f3vel\n| nome = Nexus 5X\n| logo = [[Imagem:Nexus logo 2015.svg|170px]]\n| imagem = Nexus 5X (White).jpg\n| tamanhoimagem = 275px\n| legenda = Vis\u00e3o frontal do Nexus 5X\n| nomec\u00f3digo = Bullhead\n| developer = [[Google]], [[LG Electronics]]\n| fabricante = [[Google]] e [[LG Electronics]]\n| s\u00e9rie = [[Google Nexus]]\n| rede = {{collapsible list|2G/3G/4G LTE
GSM/EDGE: 850/900/1800/1900 MHz

'''Modelo norte-americano (LG-H790):'''
\nBandas UMTS/WCDMA: 1/2/4/5/8
\nBandas CDMA: 0/1/10
\nBandas LTE (FDD): 1/2/3/4/5/7/12/13/17/20/25/26/29
\nBandas LTE (TDD): 41
\n
\n'''Modelo de Hong Kong (LG-H798):'''
\nBandas UMTS/WCDMA: 1/2/5/8
\nBandas LTE (FDD): 1/3/7/8/26
\nBandas LTE (TDD): 38/40/41
\n
\n'''Modelo internacional (LG-H791):'''
\nBandas UMTS/WCDMA: 1/2/4/5/6/8/9/19
\nBandas LTE (FDD): 1/2/3/4/5/7/8/9/17/18/19/20/26/28
\nBandas LTE (TDD): 38/40/41
\nLTE CA DL: B1-B3, B1-B5, B1-B7, B1-B8, B1-B18, B1-B19, B1-B26, B3-B3, B3-B5, B3-B7, B3-B8, B3-B19, B3-B20, B3-B28, B5-B7, B7-B7, B7-B20, B7-B28, B40-B40, B41-B41}}\n| lan\u00e7ado = {{Start date and age|2015|10|22}}{{citar web|ultimo1=Langshaw|primeiro1=Mark|t\u00edtulo=Google's Nexus 5X smartphone has an official release date|url=http://www.digitalspy.com/tech/news/a673251/googles-nexus-5x-smartphone-has-an-official-release-date.html|publicado=Digital Spy|data=12 de outubro de 2015|acessodata=3 de maio de 2017}}\n| disponibilizado = {{Collapsible list|title=29 de setembro de 2015\n|1={{flag|Jap\u00e3o}}\n|2={{flag|Reino Unido}}\n|3={{flag|Estados Unidos}}\n|4={{flag|Irlanda}}\n|5={{flag|Canad\u00e1}}\n|6={{flag|Coreia do Sul}}\n}}\n{{Collapsible list|title=13 de outubro de 2015\n|1={{flag|\u00cdndia}}\n}}\n{{Collapsible list|title=2 de novembro de 2015\n|1={{flag|Hong Kong}}\n|2={{flag|Uni\u00e3o Europeia}}\n}}\n{{Collapsible list|title=21 de novembro de 2015\n|1={{flag|R\u00fassia}}\n}}\n{{Collapsible list|title=23 de novembro de 2015\n|1={{flag|Taiwan}}\n}}\n| antecessor = [[Nexus 5]]\n| sucessor = [[Pixel (smartphone)|Google Pixel]]{{citar web|url=http://www.androidbeat.com/2016/10/google-unveils-pixel-and-pixel-xl/|titulo=Google Unveils Pixel and Pixel XL with Snapdragon 821 Chipset, Android 7.1 Nougat, and Google Assistant|data=4 de outubro de 2016|acessodata=3 de maio de 2017}}\n| relacionado = [[Nexus 6P]]\n| tipo = [[Smartphone]]\n| dimens\u00f5es = {{convert|147.0|mm|in|abbr=on}} '''H'''
{{convert|72.6|mm|in|abbr=on}} '''W'''
{{convert|7.9|mm|in|abbr=on}} '''D'''\n| peso = {{convert|136|g|oz|2|abbr=on}}\n| sistema_operativo = [[Android]] [[Android Marshmallow|\"Marshmallow\" 6.0]] atualiz\u00e1vel para o [[Android Oreo|Android 8.1 (Oreo)]])\n| soc = [[Qualcomm]] [[Snapdragon|Snapdragon 808]]\n| cpu = 1.8 GHz [[Multin\u00facleo|seis n\u00facleos]] 64-bit [[Arquitetura ARM|ARMv8-A]]\n| gpu = [[Adreno]] 418\n| mem\u00f3ria = 2 GB [[LPDDR3]] [[RAM]]\n| armazenamento = 16 GB or 32 GB\n| bateria = 2,700 [[Amp\u00e8re-hora|mAh]] [[Bateria pol\u00edmero de l\u00edtio|Li-Po]] 100 minutos de carga, 6h 25 minutos de uso{{citar web|url=http://www.phonearena.com/news/Google-Nexus-5X-battery-life-test-results-are-out_id74852|t\u00edtulo=Google Nexus 5X battery life test results are out|obra=Phone Arena|data=19 de outubro de 2015|acessodata=3 de maio de 2017}}\n| tela = {{convert|5.2|in|mm|abbr=on}}, [[Resolu\u00e7\u00e3o de imagem|resolu\u00e7\u00e3o]] de 1920 x 1080 [[pixel]]s (423 [[Pixel por polegada|ppi]])
[[1080p|1080p Full HD]], painel [[IPS In-Plane Switching|IPS]] [[LCD]] com [[Corning Inc.|Corning]] [[Gorilla Glass]] 3\n| c\u00e2mara = 12,3 [[Pixel|MP]], [[Abertura (\u00f3ptica)|abertura]] ''f/'' 2.0, sensor de 1/2.3\", pixel de 1.55 \u00b5m, flash de LED duplo, [[autofocus]] a [[laser]], [[Sony]] [[Exmor]] IMX377{{citar web\n |primeiro=Steven\n |ultimo=Zimmerman\n |url=http://www.xda-developers.com/sony-imx378-comprehensive-breakdown-of-the-google-pixels-sensor-and-its-features/\n |titulo=Sony IMX378: Comprehensive Breakdown of the Google Pixel\u2019s Sensor and its Features\n |publicado=[[XDA Developers]]\n |data=12 de outubro de 2016\n |acessodata=3 de maio de 2017}}\n| segundac\u00e2mara = 5 MP, pixel 1.4 \u00b5m, abertura ''f/'' 2.0, Omnivision OV5693{{citar web|url=http://www.anandtech.com/show/9742/the-google-nexus-5x-review/6|titulo=The Google Nexus 5X Review|ultimo=Chester|primeiro=Brandon|data=9 de novembro de 2015|acessodata=3 de maio de 2017|website=AnandTech}}\n| site = {{url|https://www.google.com/nexus/5x}}\n}}\n\nO '''Nexus 5X''' (codinome ''bullhead'') \u00e9 um [[smartphone]] com [[sistema operacional m\u00f3vel]] [[Android]] fabricado pela [[LG Electronics]], e desenvolvido e comercializado pela [[Google]]. O aparelho integra a linha [[Google Nexus|Nexus]] de dispositivos [[topo de linha]] da [[empresa]] sediada em [[Mountain View (condado de Santa Clara)|Mountain View]]. Lan\u00e7ado em [[29 de setembro]] de [[2015]], \u00e9 o sucessor do [[Nexus 5]]. Juntamente com o [[Nexus 6P]], foi utilizado no lan\u00e7amento do [[Android Marshmallow|Android 6.0 ''Marshmallow'']], o qual introduziu uma [[interface]] renovada, melhorias de desempenho, maior integra\u00e7\u00e3o com o [[Google Now]] e outros novos recursos.{{citar web|ultimo1=Hall|primeiro1=Chris|t\u00edtulo=Nexus 5X official: What's the story so far?|url=http://www.pocket-lint.com/news/134692-nexus-5x-official-what-s-the-story-so-far|website=Pocket-lint|acessodata=2 de maio de 2017|data=19 de outubro de 2015}} Atualmente, \u00e9 um dos dos poucos smartphones que podem conectar-se via [[Project Fi]], ao lado do [[Nexus 6]], do [[Nexus 6P]] e do [[Pixel (smartphone)|Pixel]].{{citar web|url=https://fi.google.com/about/faq/#supported-devices-1|titulo=Why is Project Fi only available on the Nexus 6P, Nexus 5X and Nexus 6P?|publicado=Google Project Fi|acessodata=2 de maio de 2017}}\n\nEm [[4 de outubro]] de [[2016]], a Google apresentou o sucessor deste aparelho, o [[Pixel (smartphone)|Google Pixel]]. De acordo com a Google, o Nexus 5X tem a garantia de receber atualiza\u00e7\u00f5es das vers\u00f5es do Android at\u00e9 [[setembro]] de [[2017]].{{citar web|url=https://support.google.com/nexus/answer/4457705#nexus_devices|titulo=Check & update your Android version - Nexus Help|website=support.google.com|acessodata=2 de maio de 2017}}\n\n== Especifica\u00e7\u00f5es ==\n\n=== Hardware ===\nO dispositivo possui um leitor de impress\u00e3o digital na parte traseira denominado \"Nexus Imprint\", que pode ser utilizado por [[Aplicativo m\u00f3vel|aplicativos]] de outros [[Programador|desenvolvedores]].{{citar web|url=http://www.theverge.com/2015/9/29/9412113/hands-on-with-new-nexus-6p|t\u00edtulo= Hands-on with Google's new Nexus 6P smartphone |obra=[[The Verge]]||data=29 de setembro de 2015|acessodata=2 de maio de 2017}} \u00c9 compat\u00edvel com o [[Project Fi]], a [[Rede de telefonia celular|rede m\u00f3vel]] da pr\u00f3pria Google.{{citar web|url=http://www.androidcentral.com/nexus-5x-and-nexus-6p-will-be-available-project-fi|t\u00edtulo=Nexus 5X and Nexus 6P will be available on Project Fi|obra=Android Central|data=29 de setembro de 2015|acessodata=2 de maio de 2017}}\n\nCom o objetivo de reduzir o consumo de energia, a Google implementou uma nova tecnologia designada como \"Android Sensor Hub\". Trata-se de um [[microprocessador]] secund\u00e1rio de baixo consumo cujo prop\u00f3sito \u00e9 executar [[algoritmo]]s para detec\u00e7\u00e3o de movimentos de modo a monitorar diretamente o [[aceler\u00f4metro]], o [[girosc\u00f3pio]], o leitor de impress\u00e3o digital e os sensores da [[c\u00e2mera]] do dispositivo. Este chip executa algoritmos de reconhecimento de atividade que o possibilitam interpretar a\u00e7\u00f5es e gestos independentemente do processador principal. Deste modo, a [[Unidade central de processamento|CPU]] principal permanece inativa at\u00e9 que algo requeira a sua aten\u00e7\u00e3o. O \"Sensor Hub\" reconhece quando o dispositivo \u00e9 tirado do [[bolso]] e exibe automaticamente as notifica\u00e7\u00f5es em modo econ\u00f4mico, em [[preto e branco]], at\u00e9 que o display seja propriamente ativado. Adicionalmente, o \"Sensor Hub\" tamb\u00e9m suporta o [[processamento batch|loteamento]] de sensores de hardware, um recurso introduzido com o [[Android KitKat]] que possibilita aos sensores, por um curto per\u00edodo de tempo, atrasar a entrega de dados n\u00e3o cr\u00edticos para o [[sistema operacional]] - ao contr\u00e1rio de enviar um fluxo constante de dados para a CPU, o que resultaria no consumo de mais energia. O loteamento de sensores tem sido usado em [[ped\u00f4metro]]s de modo a evitar que o processador principal permane\u00e7a constantemente acordado para que cada passo seja aferido.{{citar web|url=http://www.engadget.com/2015/09/29/google-android-sensor-hub/|t\u00edtulo=Google's Android Sensor Hub knows how your Nexus is moving|obra=[[Engadget]]|data=29 de setembro de 2015|acessodata=2 de maio de 2017}}{{citar web|url=http://www.androidpolice.com/2015/09/29/the-new-android-sensor-hub-will-significantly-improve-idle-battery-life-while-doing-more-with-sensor-data/|t\u00edtulo=The New Android Sensor Hub Will Significantly Improve Idle Battery Life While Doing More With Sensor Data|obra=[[Android Police]]|data=29 de setembro de 2015|acessodata=2 de maio de 2017}}\n\nO Nexus 5X possui uma [[c\u00e2mera]] principal [[Sony]] IMX377EQH5 de 12,3 mega[[pixel]]s (pixels de 1.55 \u03bcm) com [[Abertura (\u00f3ptica)|abertura focal]] ''f/''2.0, [[autofocus]] a [[laser]] e [[Flash (fotografia)|flash]] de LED duplo. \u00c9 capaz de gravar [[v\u00eddeo]]s em [[Resolu\u00e7\u00e3o 4K|4K]] [[2160p|UHD]] a 30 [[quadros por segundo]] e v\u00eddeos em [[c\u00e2mera lenta]] a 120 quadros por segundo. O aparelho tamb\u00e9m conta com uma [[c\u00e2mera frontal]] Omnivision OV5693 de 5 mega[[pixel]]s.{{citar web|t\u00edtulo=Nexus 5X hands-on: a look at Google\u2019s new affordable phone|url=http://www.androidauthority.com/nexus-5x-hands-on-645577/|website=Android Authority|data=29 de setembro de 2015|acessodata=3 de maio de 2017}}{{citar web|t\u00edtulo=Google Nexus 5X Pros And Cons|url=http://www.techgadget360.com/google-nexus-5x-pros-and-cons/|website=Tech Gadget 360|data=16 de outubro de 2015|acessodata=3 de maio de 2017}}\n\nO [[site]] [[iFixit]] avaliou o Nexus 5X como um smartphone de f\u00e1cil reparo, sendo os \u00fanicos problemas a aus\u00eancia de uma [[Bateria (energia)|bateria]] remov\u00edvel e o [[display]] fundido com o [[vidro]] frontal.{{citar web|url=http://www.gsmarena.com/lg_nexus_5x_is_quite_easy_to_repair_according_to_ifixit_-blog-14631.php|titulo=LG Nexus 5X is quite easy to repair according to iFixit|obra=GSMArena.com|data=22 de outubro de 2015|acessodata=3 de maio de 2017}}\n\nO Nexus 5X e o 6P foram os primeiros smartphones a utilizarem a conex\u00e3o [[USB-C]] em lugar do [[Conector el\u00e9trico|conector]] no padr\u00e3o [[Universal Serial Bus|Micro-USB]]{{citar web|url=http://www.slashgear.com/googles-nexus-didnt-just-pull-an-apple-with-usb-c-02407644/|website=SlashGear|titulo=Google\u2019s Nexus didn\u2019t just pull an Apple with USB-C|data=2 de outubro de 2015|idioma=en-US|acessodata=3 de maio de 2017}} Infelizmente, apesar do conector USB-C, a porta USB transfere dados apenas \u00e0 velocidade USB 2.0 (480 Mb/s), e n\u00e3o \u00e0 velocidade USB 3.0 (5.0 Gb/s). Al\u00e9m disso, o v\u00eddeo n\u00e3o est\u00e1 dispon\u00edvel nesta porta, de modo que [[adaptador]]es de Type-C para [[High-Definition Multimedia Interface|HDMI]] n\u00e3o funcionam. Entretanto, h\u00e1 suporte para [[USB On-The-Go]]. Google e LG fizeram o carregamento r\u00e1pido via USB-C compat\u00edvel com este dispositivo, assegurando at\u00e9 4 horas de uso para 10 [[minuto]]s de carga.\n\n===Software===\nO smartphone originalmente vinha de f\u00e1brica com o [[sistema operacional]] [[Android]] na vers\u00e3o 6.0 \"Marshmallow\". Esta vers\u00e3o inclui os recursos \"Now On Tap\", a fun\u00e7\u00e3o de economia de bateria conhecida como \"Doze\", a possibilidade de editar as permiss\u00f5es de cada aplicativo, e suporte ao leitor de impress\u00e3o digital \"Google Imprint\".{{citar web|url=http://www.android.com/versions/marshmallow-6-0/|t\u00edtulo=Android \u2013 Marshmallow|obra=android.com|acessodata=3 de maio de 2017}}\n\nEm dezembro de [[2015]], a Google lan\u00e7ou o Android 6.0.1 Marshmallow para o Nexus 5X, e tamb\u00e9m para outros smartphones.{{citar web|\u00faltimo1 =Sivanandan|primeiro1 =Anvinraj|titulo=Android 6.0.1 Marshmallow With New Emoji Available For Nexus 6P, Nexus 5X, Nexus 6, Nexus 5, Nexus 9, Nexus 7 (2013)|url=http://www.ibtimes.com/android-601-marshmallow-new-emoji-available-nexus-6p-nexus-5x-nexus-6-nexus-5-nexus-9-2215346|website=International Business Times|publicado=IBT Media Inc.|data=8 de dezembro de 2015|acessodata=3 de maio de 2017}}\n\nEm [[22 de agosto]] de [[2016]], a Google disponibilizou o [[Android Nougat|Android 7.0 Nougat]] para o Nexus 5X, bem como para outros aparelhos.{{citar web|ultimo1=Whitwam|primeiro1=Ryan|titulo=Android 7.0 Nougat is rolling out to Nexus devices starting today|url=http://www.androidpolice.com/2016/08/22/android-7-0-nougat-rolling-nexus-devices-starting-today/|website=Android Police|publicado=Illogical Robot LLC|data=22 de agosto de 2016|acessodata=3 de maio de 2017}}\n\nEm [[6 de dezembro]] de 2016, a Google lan\u00e7ou o Android 7.1.1 Nougat para o Nexus 5X, assim como para v\u00e1rios outros dispositivos.{{citar web|ultimo1=Fonts|primeiro1=Agustin|titulo=A sweet update to Nougat: Android 7.1.1|url=https://blog.google/products/android/sweet-update-nougat-android-711/|website=The Keyword|publicado=Google Inc.|data=5 de dezembro de 2016|acessodata=3 de maio de 2017}}\n\n===Design===\nAs op\u00e7\u00f5es de [[cor]]es incluem carbono, quartzo e gelo. O corpo do aparelho \u00e9 constitu\u00eddo por um [[pol\u00edmero]] [[pl\u00e1stico]] duro, com o [[sensor de proximidade]], o [[sensor de luminosidade]] e o [[Altifalante|alto-falante]] acima do [[display]]. A sa\u00edda de [[Som|\u00e1udio]] fica localizada abaixo do display, e o LED RGB de notifica\u00e7\u00f5es, abaixo dela. A [[c\u00e2mera frontal]] fica na frente do aparelho. A parte traseira do dispositivo, por sua vez, inclui uma c\u00e2mera de 12,3 megapixels, o leitor de impress\u00e3o digital \"Google Imprint\", um [[Flash (fotografia)|flash]] de LED duplo e o sensor de [[autofocus]] a [[laser]] da LG.{{citar web|url=https://www.google.com/nexus/5x/|t\u00edtulo=Nexus 5X|obra=google.com|acessodata=2 de maio de 2017}} De um lado do aparelho, encontra-se a entrada para o [[Cart\u00e3o SIM|cart\u00e3o nano SIM]], e do outro, o bot\u00e3o de energia e os bot\u00f5es de [[volume]]. Os [[microfone]]s est\u00e3o no topo e na base do smartphone.{{citar web|t\u00edtulo=Nexus 5X VS Nexus 6P: All The Differences To Help You Decide Which One To Pick|data=29 de setembro de 2015|acessodata=2 de maio de 2017|publicado=Android Police|url=http://www.androidpolice.com/2015/09/29/nexus-5x-vs-nexus-6p-differences-help-decide-one-pick/}}\n\n==Problemas==\nAlguns Nexus 5X, nos lotes iniciais, apresentavam displays amarelados, que foram substitu\u00eddos pela Google.{{citar web|url=http://www.talkandroid.com/271274-some-nexus-5x-devices-have-a-display-malfunction-google-will-happily-replace-it/|t\u00edtulo=Some Nexus 5X devices have a display malfunction, Google will happily replace it|obra=TalkAndroid.com|data=27 de outubro de 2015|acessodata=2 de maio de 2017}}\n\nAlguns usu\u00e1rios apontaram problemas de [[Ecr\u00e3 t\u00e1til|sensibilidade ao toque na tela]] quando o [[carregador de bateria]] estava conectado ao dispositivo.{{citar web|url=http://www.androidauthority.com/nexus-5x-touch-lag-charging-656869/|t\u00edtulo=Nexus 5X users reporting issues with touch response during charging|obra=Android Authority|data=20 de novembro de 2015|acessodata=2 de maio de 2017}}\n\nAlguns usu\u00e1rios tamb\u00e9m relataram loops de inicializa\u00e7\u00e3o espont\u00e2neos e irrecuper\u00e1veis. O problema tornou-se mais proeminente ap\u00f3s a atualiza\u00e7\u00e3o para o Android 7.0. No entanto, usu\u00e1rios tamb\u00e9m alegaram estar sendo afetados no Android 6.0.{{citar web|url=http://www.ubergizmo.com/2016/09/nexus-5x-boot-loop-android-7-0/|titulo=Nexus 5X Users Stuck In Boot Loops After Android 7.0 Update|obra=Ubergizmo|data=21 de setembro de 2016|acessodata=2 de maio de 2017}} Nenhum padr\u00e3o claro entre as unidades afetadas surgiu e tampouco uma declara\u00e7\u00e3o identificando os modelos atingidos foi emitida pela LG.\n\n{{refer\u00eancias}}\n\n==Liga\u00e7\u00f5es externas==\n*{{Website oficial|https://www.google.com/nexus/5x|Nexus 5X}}\n\n== Ver tamb\u00e9m ==\n{{Portal|Google}}\n* [[Google Nexus]]\n\n{{Google Nexus}}\n{{Google}}\n\n[[Categoria:Google]]\n[[Categoria:Dispositivos com sistema operativo Android]]\n[[Categoria:LG Electronics]]\n[[Categoria:Produtos introduzidos em 2015]]\n[[Categoria:Smartphones]]"}]},"4866828":{"pageid":4866828,"ns":0,"title":"Alien Outpost","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Mais notas|data=julho de 2020}}\n{{Info/Filme\n|t\u00edtulo = Outpost 37\n |t\u00edtulo-prt = {{semtitprt}} \n |t\u00edtulo-bra = {{semtitbra}} \n|imagem = Alien Outpost 2014.jpg\n|imagem_tamanho = 230px\n|descri\u00e7\u00e3o = Cartaz do filme\n|ano = 2014\n|dura\u00e7\u00e3o = 90\n|idade =\n|idioma = [[L\u00edngua inglesa|ingl\u00eas]]\n|g\u00e9nero = [[Filme de fic\u00e7\u00e3o cient\u00edfica|Fic\u00e7\u00e3o cient\u00edfica]]\n|dire\u00e7\u00e3o = [[Jabbar Raisani]]\n|roteiro = Jabbar Raisani\n|elenco = [[Adrian Paul]]
[[Reiley McClendon]]
[[Rick Ravanello]]\n|c\u00f3digo-IMDB = 2474972\n|tipo = LF\n|pa\u00eds = {{UK}}
{{ZAF}}\n|cor-pb = cor\n}}\n'''''Alien Outpost''''', tamb\u00e9m conhecido como '''''Outpost 37''''', \u00e9 um filme [[Reino Unido|britano]]-[[\u00c1frica do Sul|sul-africano]] de 2014, do g\u00eanero fic\u00e7\u00e3o cient\u00edfica, dirigido por [[Jabbar Raisani]].\n\nA trama acompanha uma equipe de documentaristas que cobre o dia a dia de uma base militar chamada \"Outpost 37\", 12 anos ap\u00f3s uma invas\u00e3o alien\u00edgena. As cenas da base e das a\u00e7\u00f5es militares s\u00e3o intercaladas com entrevistas com os militares. A IFC Midnight lan\u00e7ou o filme nos cinemas e em v\u00eddeo nos Estados Unidos em 30 de janeiro de 2014.{{citar web|url = http://variety.com/2015/film/news/alien-outpost-helmer-options-jack-sigler-book-series-exclusive-1201419044/|t\u00edtulo= \u2018Alien Outpost\u2019 Helmer Options \u2018Jack Sigler\u2019 Book Series (EXCLUSIVE)|\u00faltimo = Kroll|primeiro = Justin|obra= [[Variety]]|data=29 de janeiro de 2015|acessodata=11 de julho de 2015}}\n\n== Enredo ==\n{{sinopse|data=mar\u00e7o de 2020}}\nEm 2021, alien\u00edgenas chamados \"heavies\" invadem a Terra e rapidamente avan\u00e7am sobre as for\u00e7as desorganizadas das na\u00e7\u00f5es terr\u00e1quias. Quando a [[ONU]] \u00e9 dissolvida e substitu\u00edda pela USDF (United Services Defense Force; For\u00e7a de Defesa dos Servi\u00e7os Unidos), os alien\u00edgenas s\u00e3o expulsos da Terra, mas deixam milhares para tr\u00e1s. Uma frota de sat\u00e9lites \u00e9 colocada em \u00f3rbita para proteger o planeta de futuras invas\u00f5es. Em 2033, dois jornalistas s\u00e3o autorizados a acompanhar refor\u00e7os enviados para uma zona desmilitarizada entre o [[Paquist\u00e3o]] e o [[Afeganist\u00e3o]] onde fica o Outpost 37.\n\nUm dia, habitantes locais tentam atacar a base, e um soldado explica que eles n\u00e3o tinham problemas antes, e que a viola\u00e7\u00e3o da soberania dos pa\u00edses talvez esteja irritando os nativos. Embora os soldados consigam debelar o ataque, um deles \u00e9 ferido e enviado para cuidados m\u00e9dicos. Os pedidos deles por suprimentos s\u00e3o negados, mas eles recebem um substituto para o soldado ferido: Hans, um alem\u00e3o que se alistou voluntariamente para servir o grupo majoritariamente estadunidense. Mais tarde, Saleem, um nativo fiel \u00e0 base ap\u00f3s ser resgatado por eles, relata que os nativos andam reclamando de animais mutilados. O capit\u00e3o envia v\u00e1rios solados com Salem para determinar a causa das mutila\u00e7\u00f5es.\n\nUm habitante irritado diz que um morteiro matou seus animais, mas os soldados negam. Conforme Saleem faz o trabalho de tradutor, um outro habitante confuso se aproxima deles, ignorando avisos. Ele explode ao ser abordado pelo tradutor. De uma colina acima deles, um heavy abre fogo, e os soldados recuam. Saleem nota que North, um dos soldados, desapareceu; buscas organizadas pelos colegas fracassam. Um v\u00eddeo recuperado de seu capacete revela que ele foi abduzido pelos heavies. Preocupados com a possibilidade dos heavies terem mudado sua t\u00e1tica de ataque, o capit\u00e3o deixa a base para discutir a situa\u00e7\u00e3o com seus superiores e ordena a seus homens para n\u00e3o deixarem a base em hip\u00f3tese alguma.\n\nUm militar do setor privado chega \u00e0 base e afirma estar assumindo o comando, o que mais tarde \u00e9 confirmado por ordens superiores. Impossibilitados de organizar uma miss\u00e3o de resgate, eles liberam um drone e descobrem que Saleem est\u00e1 em perigo. Eles violam as ordens para salv\u00e1-lo e capturam um heavy durante a busca. O capit\u00e3o se enfurece ao retornar; ele executa o heavy e ordena que eles parem de tentar salvar North. Saleem se oferece para ajudar, mas quando volta para a base, ele parece confuso e incomunicativo. Repentinamente, ele abre fogo contra os soldados e \u00e9 morto, mas n\u00e3o sem antes matar um deles. Omohundro, o m\u00e9dico, descobre uma incis\u00e3o na nuca de Saleem.\n\nPara encontrar respostas, os soldados partem para a vila de Saleem. L\u00e1, eles encontram North quase desacordado e ferido. Eles o levam para a base, onde ele entra em coma. Um dos soldados reconhece suas piscadas r\u00edtimas como um c\u00f3digo e eles o traduzem como uma s\u00e9rie de coordenadas. Quando eles tentam interrogar North, ele acorda e enforca o capit\u00e3o, exigindo que este o mate; e o capit\u00e3o assim o faz. Omohundro descobre uma peincis\u00e3o na nuca dele e recupera um implante, que ele suspeita ser um dispositivo de controle mental. Durante o pr\u00f3ximo ataque dos locais, Omohundro examina as cabe\u00e7as deles e tamb\u00e9m encontra incis\u00f5es. Incapazes de conter a insurrei\u00e7\u00e3o, os soldados abandonam a base e a explodem.\n\nViolando as ordens novamente, os soldados investigam as coordenadas. L\u00e1, eles encontram uma estrutura alien\u00edgena. V\u00e1rios soldados recuam para dentro da estrutura para se proteger de um ataque dos heavies e de nativos controlados. L\u00e1 dentro, eles encontram os militares privados e v\u00e1rios habitantes locais. V\u00e1rios soldados e um dos jornalistas s\u00e3o mortos, mas os restantes conseguem destruir a estrutura e libertar os nativos. O jornalista que sobreviveu revela que a estrutura foi constru\u00edda para destruir o sistema de sat\u00e9lites da USDF e permitir que suprimentos alien\u00edgenas fossem entregues. Por conseguir frustrar o plano, os soldados sobreviventes s\u00e3o condecorados, mas o jornalista afirma ter d\u00favidas se o p\u00fablico ap\u00e1tico reconhecer\u00e1 o sacrif\u00edcio. Uma cena p\u00f3s-cr\u00e9ditos mostra v\u00e1rios dos soldados sobreviventes (alguns com pr\u00f3teses substituindo membros perdidos) combatendo uma segunda invas\u00e3o dos heavies.\n\n== Elenco ==\n{{duas colunas|\n* Adrian Paul como General Dane\n* [[Reiley McClendon]] como Ryan Andros \n* [[Rick Ravanello]] como Spears\n* Douglas Tait como O Heavy\n* Joe Reegan como Alex Omohundro\n* Andy Davoli como Savino (voz)\n* Nic Rasenti como Harty\n* Matthew Holmes como North\n* Sven Ruygrok como Frankie Forello\n* Brandon Auret como Savino\n* Scott E. Miller como John Wilks\n* Jordan Shade como soldado PMC\n* Kenneth Fok como Zilla\n* Darron Meyer como Roger Hollis\n* Stevel Marc como Righty\n* Justin Munitz como Hans\n* Michael Dube como Brick\n* Lemogang Tsipa como Mac\n* Khalil Kathrada como Saleem\n* Tyrel Meyer como Duke\n* Tapiwa Musvosvi como Tyrone \"Bones\" Ridell\n* Edwin Jay como soldado\n* Craig Macrae como Lefty\n* Sherwyn Budraj como soldado}}\n\n== Recep\u00e7\u00e3o da cr\u00edtica ==\n''Outpost 37'' recebeu cr\u00edticas geralmente negativas. No [[Metacritic]], o filme tem uma pontua\u00e7\u00e3o de 26 de 100.{{citar web|url = http://www.metacritic.com/movie/alien-outpost|t\u00edtulo= Alien Outpost|obra= Metacritic|acessodata=16 de fevereiro de 2015}} Frank Scheck do ''[[The Hollywood Reporter]]'' chamou seu enredo de \"uma desculpa para a bagun\u00e7a militar em estilo videogame que surge periodicamente\".{{citar web|url = http://www.hollywoodreporter.com/review/alien-outpost-film-review-768243|t\u00edtulo= 'Alien Outpost': Film Review|obra= [[The Hollywood Reporter]]|data=29 de janeiro de 2015|acessodata=11 de julho de 2015}} Jeannette Catsoulis do ''[[The New York Times]]'' elogiou as atua\u00e7\u00f5es mas disse que elas n\u00e3o compensam o enredo.{{citar jornal|url = http://www.nytimes.com/2015/01/30/movies/alien-outpost-directed-by-jabbar-raisani.html?&_r=0|t\u00edtulo= Embedded With the E. T. Fighters|\u00faltimo = Catsoulis|primeiro = Jeannette|obra= [[The New York Times]]|data=29 de janeiro de 2015|acessodata=11 de julho de 2015}} Michael Rechtshaffen do''[[Los Angeles Times]]'' escreveu que o filme seria melhor como um videogame.{{citar jornal|url = http://www.latimes.com/entertainment/movies/la-et-mn-alien-outpost-review-20150130-story.html?|t\u00edtulo= Review Sci-fi thriller 'Alien Outpost' plays out like a video game|\u00faltimo = Rechtshaffen|primeiro = Michael|obra= [[Los Angeles Times]]|data=29 de janeiro de 2015|acessodata=11 de julho de 2015}} Ed Gonzalez da ''[[Slant Magazine]]'' deu nota 1.5/4 e escreveu, \"''Alien Outpost'' divide seu tempo de maneira igual entre devotamente fingir que \u00e9 uma alegoria sobre a nossa atual guerra ao terro e fingindo que n\u00e3o a \u00e9.\"{{citar web|url = http://www.slantmagazine.com/film/review/alien-outpost|t\u00edtulo= Alien Outpost|\u00faltimo = Gonzalez|primeiro = Ed|obra= [[Slant Magazine]]|data=25 de janeiro de 2015|acessodata=11 de julho de 2015}} Andrew Lapin do ''The Dissolve'' deu nota 2/5 e o chamou de \"''Starship Troopers'' sem a ironia\".{{citar web|url = http://thedissolve.com/reviews/1347-alien-outpost/|t\u00edtulo= Alien Outpost|\u00faltimo = Lapin|primeiro = Andrew|obra= [[The Dissolve]]|data=28 de janeiro de 2015|acessodata=11 de julho de 2015}}\n\n{{Refer\u00eancias}}\n{{esbo\u00e7o-filme-fc}}\n{{portal3|cinema|fc|\u00c1frica do Sul|Reino Unido}}\n{{normdaten}}\n\n{{DEFAULTSORT:Alien Outpost 2014}}\n[[Categoria:Filmes de fic\u00e7\u00e3o cient\u00edfica do Reino Unido]]\n[[Categoria:Filmes do Reino Unido de 2014]]\n[[Categoria:Filmes de fic\u00e7\u00e3o cient\u00edfica da \u00c1frica do Sul]]\n[[Categoria:Filmes gravados na \u00c1frica do Sul]]\n[[Categoria:Filmes ambientados em 2033]]\n[[Categoria:Invas\u00f5es alien\u00edgenas no cinema]]\n[[Categoria:Filmes da \u00c1frica do Sul de 2014]]\n[[Categoria:Filmes em l\u00edngua inglesa]]\n[[Categoria:Filmes de fic\u00e7\u00e3o cient\u00edfica da d\u00e9cada de 2010]]"}]},"1863293":{"pageid":1863293,"ns":0,"title":"Idries Shah","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Formatar refer\u00eancias}}\n{{m\u00e1 tradu\u00e7\u00e3o}}\n{{Info/Biografia/Wikidata\n |nome = Idries Shah
\u0627\u062f\u0631\u06cc\u0633 \u0634\u0627\u0647
\u0907\u0926\u0930\u0940\u0938 \u0936\u093e\u0939\n |pseud\u00f4nimo = Arkon Daraul\n |imagem = Imagem:Idries Shah.gif\n |imagem_tamanho = 200px\n |nome_completo = Idries Shah\n |nascimento_data = {{dni|16|6|1924|sem idade}}\n |nascimento_local = [[Shimla]], [[\u00cdndia]]\n |morte_data = {{morte|23|11|1996|16|6|1924}}\n |morte_local = [[Londres]], [[Reino Unido]]\n |nacionalidade = Brit\u00e2nico\n |parentesco = [[Omar Ali-Shah]] (irm\u00e3o)\n |c\u00f4njuge = Cynthia (Kashfi) Kabraji\n |filhos = [[Saira Shah]], [[Tahir Shah]], [[Safia Shah]]\n |principais_trabalhos = {{URL|http://www.idriesshahfoundation.org/}}\n}}\n\n\n'''Idries Shah''' ([[16 de junho]] de [[1924]] \u2013 [[23 de novembro]] de [[1996]]) ([[L\u00edngua persa|persa]]: '''\u0627\u062f\u0631\u06cc\u0633 \u0634\u0627\u0647, '''Urdu: \u0627\u062f\u0631\u06cc\u0633 \u0634\u0627\u0647\u200e, Hindi: \u0907\u0926\u0930\u0940\u0938 \u0936\u093e\u0939;),tamb\u00e9m conhecido como Idris Shah, ou ainda '''[[Sa\u00edde]] Idris al-Hashimi''' (\u00e1rabe: '''\u0633\u064a\u062f \u0625\u062f\u0631\u064a\u0633 \u0627\u0644\u0647\u0627\u0634\u0645\u064a''') e pelo pseud\u00f4nimo '''Arkon Daraul''', foi autor e mestre da tradi\u00e7\u00e3o [[Sufi]] que escreveu mais que tr\u00eas dezenas de t\u00edtulos cujos temas abrangem desde a psicologia e espiritualidade a livros de viagem e estudos culturais.\n\nNascido na India e descendente de nobres [[Pashtun]], Shah viveu a maior parte da sua inf\u00e2ncia na Inglaterra. Seus primeiros trabalhos focalizaram os temas de [[magia]] e [[bruxaria]]. Em 1960 fundou a editora [[Octagon Press]], que publicou cl\u00e1ssicos da tradi\u00e7\u00e3o Sufi, bem como v\u00e1rios de seus pr\u00f3prios livros. Seu trabalho seminal, Os Sufis, lan\u00e7ado em 1964, foi muito bem recebido internacionalmente. Em 1965, Shah fundou o [[Instituto de Pesquisa Cultural]], uma institui\u00e7\u00e3o de caridade educacional sediada em Londres e dedicada ao estudo de cultura e comportamento humano. Uma organiza\u00e7\u00e3o similar, o [[Instituto para o Estudo do Conhecimento Humano]] (sigla em ingl\u00eas, ISHK), existe nos Estados Unidos sob dire\u00e7\u00e3o do professor de psicologia [[Robert Ornstein]], da [[Universidade de Stanford]], nomeado por Shah para ser seu representante nos EUA.\n\nEm livros e artigos Shah apresentava Sufismo como uma forma universal de sabedoria de origem anterior ao [[Isl\u00e3]]. Enfatizando o fato de que o Sufismo \u00e9 uma forma de ensinamento que sempre se adapta ao tempo, ao lugar e \u00e0s pessoas, ele o apresentou em termos psicol\u00f3gicos ocidentais. Fazia uso extensivo de [[par\u00e1bolas]] e contos tradicionais, bem como textos de origem ocidental com v\u00e1rias camadas de significado projetadas para provocar a percep\u00e7\u00e3o e a auto-reflex\u00e3o por parte do leitor. Ele \u00e9 talvez melhor conhecido por suas cole\u00e7\u00f5es humor\u00edsticas sobre [[Nasrudin|Mullah Nasrudin]].\n\nShah foi por vezes criticado por orientalistas que questionavam suas credenciais e background. Seu papel na controv\u00e9rsia em torno de uma nova tradu\u00e7\u00e3o do Rubaiyat de [[Omar Khayyam]], publicado por seu amigo [[Robert Graves]] e seu irm\u00e3o mais velho [[Omar Ali-Shah]], teve um escrut\u00ednio especial. No entanto, ele tamb\u00e9m tinha muitos defensores not\u00e1veis, sendo a mais eminente entre eles a romancista [[Doris Lessing]]. Shah chegou a ser reconhecido como porta-voz do Sufismo no Ocidente, e lecionou como professor visitante em v\u00e1rias universidades ocidentais. Suas obras t\u00eam desempenhado um papel significativo na apresenta\u00e7\u00e3o de Sufismo como uma forma individualista de uma sabedoria espiritual n\u00e3o necessariamente ligada a nenhuma religi\u00e3o espec\u00edfica.{{citar livro\n|\u00faltimo = Shah\n|primeiro = Idries\n|t\u00edtulo= The Sufis\n|publicado= Octagon Press\n|anooriginal= 1964|ano= 1977\n|local= London, UK\n|p\u00e1gina= 54\n| isbn = 0-86304-020-9}}: \u201cThough commonly mistaken as a Moslem sect, the Sufis are at home in all religions\u201d\n\n== Vida ==\n=== Fam\u00edlia e juventude ===\nIdries Shah nasceu em [[Shimla|Simla]], \u00cdndia, filho de pai [[afeg\u00e3o]]-indiano, o escritor e diplomata [[Sirdar Ikbal Ali Shah]], e m\u00e3e escocesa, [[Saira Elizabeth Luiza Shah]]. Sua fam\u00edlia pelo lado paterno foram Sayyids Musavi. Seu lar ancestral era perto dos Jardins Paghman de [[Kabul|Cabul]].{{citar livro\n|\u00faltimo = Shah\n|primeiro = Saira\n|autorlink = Saira Shah\n|t\u00edtulo= The Storyteller's Daughter\n|publicado= Anchor Books\n|ano= 2003\n|local= New York, NY\n|p\u00e1ginas= 19\u201326\n| isbn = 1-4000-3147-8}}\nSeu av\u00f4 paterno, Saiyyid Amjad Ali Shah, foi o [[Nawab]] de [[Sardhana]] no estado norte-indiano de [[Uttar Pradesh]].{{citar peri\u00f3dico\n|\u00faltimo = Dervish\n|primeiro = Bashir M.\n|autorlink =\n|t\u00edtulo= Idris Shah: a contemporary promoter of Islamic Ideas in the West\n|peri\u00f3dico= Islamic Culture \u2013 an English Quarterly\n| volume = L\n|n\u00famero= 4\n|publicado= Islamic Culture Board, Hyderabad, India (Osmania University, Hyderabad)\n|data=4 de outubro de 1976\n}}\nO t\u00edtulo heredit\u00e1rio da fam\u00edlia foi conferido devido a servi\u00e7os que um antepassado, [[Jan-Fishan Khan]], prestara aos brit\u00e2nicos.{{citar livro\n|\u00faltimo = Lethbridge\n|primeiro = Sir Roper\n|t\u00edtulo= The Golden Book of India. A Genealogical and Biographical Dictionary of the Ruling Princes, Chiefs, Nobles, and Other Personages, Titled or Decorated, of the Indian Empire\n|local= London, UK/New York, NY\n|publicado= [[Macmillan and Co.]]\n|ano= 1893\n}}, p. 13; reprint by Elibron Classics (2001): ISBN 978-1-4021-9328-6{{citar peri\u00f3dico\n|\u00faltimo = Moore\n|primeiro = James\n|autorlink = James Moore (Cornish author)\n|t\u00edtulo= Neo-Sufism: The Case of Idries Shah\n|peri\u00f3dico= Religion Today\n| volume = 3\n|n\u00famero= 3\n|ano= 1986\n| url = http://www.gurdjieff-legacy.org/40articles/neosufism.htm}}\n\nShah passou a maior parte da juventude nas proximidades de [[London|Londres]].{{citar livro\n|\u00faltimo = Westerlund\n|primeiro = David (ed.)\n|t\u00edtulo= Sufism in Europe and North America\n|publicado= RoutledgeCurzon\n|ano= 2004\n|local= New York, NY\n|p\u00e1ginas= 136\u2013138\n| isbn = 0-415-32591-9}} De acordo a L. F. Rushbrook Williams, Shah, ainda bastante jovem, acompanhava seu pai em suas viagens. Embora tenham viajado com frequ\u00eancia, sempre voltaram para a Inglaterra, onde a fam\u00edlia residiu por muitos anos. Atrav\u00e9s destas viagens, que frequentemente faziam parte do trabalho [[Sufi]] do Ikbal Ali Shah, Shah teve a oportunidade de conhecer e passar tempo com estadistas eminentes e figuras importantes tanto no Oriente como no Ocidente. Williams escreve:\n\n
Era o tipo de forma\u00e7\u00e3o que oferecia a um jovem de marcada intelig\u00eancia, como era evidente que Idries Shah possu\u00eda, muitas oportunidades para adquirir uma perspectiva verdadeiramente internacional, uma vis\u00e3o ampla, e uma familiaridade com as pessoas e lugares que qualquer diplomata profissional de idade e experi\u00eancia maiores, podia chegar a invejar. Mas uma carreira na diplomacia n\u00e3o atraia Idries Shah ... {{citar livro\n|\u00faltimo = Williams\n|primeiro = L.F. Rushbrook\n|autorlink =\n|t\u00edtulo= Sufi Studies: East and West\n|publicado= E.P. Dutton & Co.\n|ano= 1974\n|local= New York, NY\n|p\u00e1ginas= 13\u201324\n| isbn = }}
\n\nShah descreveu sua pr\u00f3pria educa\u00e7\u00e3o n\u00e3o convencional em uma entrevista com Pat Williams, da BBC, em 1971. Ele descreveu como seu pai e sua fam\u00edlia e amigos sempre tentaram expor as crian\u00e7as a uma \"multiplicidade de impactos\" e uma ampla gama de contatos e experi\u00eancias com a inten\u00e7\u00e3o de produzir uma pessoa educada em sentido amplo.\n\nAp\u00f3s sua fam\u00edlia mudar de Londres para Oxford em 1940 para escapar a [[The Blitz|Blitz]] (bombardeio alem\u00e3o), ele passou dois ou tr\u00eas anos no col\u00e9gio para meninos da cidade de Oxford. Em 1945, ele acompanhou seu pai ao [[Uruguay|Uruguai]] como secret\u00e1rio numa miss\u00e3o relacionada \u00e0 produ\u00e7\u00e3o de carne [[halal]]. Voltou para a Inglaterra em outubro de 1946, devido a alega\u00e7\u00f5es sobre neg\u00f3cios impr\u00f3prios.\n\n=== Vida pessoal ===\nShah casou com Cynthia (Kashfi) Kabraji em 1958; tiveram uma filha, [[Saira Shah]], em 1964, seguido por g\u00eameos - um filho, [[Tahir Shah]], e outra filha, [[Safia Shah]] - em 1966.{{citar jornal\n|\u00faltimo = Groskop\n|primeiro = Viv\n|t\u00edtulo= Living dangerously\n|obra= [[The Daily Telegraph]]\n|publicado=\n|data= 2001-06-16\n| url = http://www.telegraph.co.uk/arts/main.jhtml?xml=/arts/2001/06/16/tldisp16.xml&page=2\n|acessodata= 2008-10-29\n|local=London}}\n\n=== Amizade com Gerald Gardner e Robert Graves, e publica\u00e7\u00e3o de \u201cOs Sufis\u201d ===\nEm fins da d\u00e9cada 50, Shah estabeleceu contato com c\u00edrculos da [[Wicca]] em Londres e, em seguida, atuou como secret\u00e1rio e companheiro de Gerald Gardner, fundador da Wicca moderna, por algum tempo.{{citar livro|\u00faltimo =Lamond|primeiro =Frederic|t\u00edtulo=Fifty Years of Wicca|publicado=Green Magic|ano=2004|p\u00e1ginas=9, 37|isbn=0-9547230-1-5}} Neste per\u00edodo Shah recebia qualquer pessoa interessada em Sufismo numa mesa no restaurante Cosmo no Swiss Cottage (norte de Londres) toda ter\u00e7a-feira \u00e0 noite.{{citar livro|\u00faltimo =Lamond|primeiro =Frederic|autorlink =Frederic Lamond (Wiccan)|t\u00edtulo=Fifty Years of Wicca|publicado=Green Magic|ano=2005|p\u00e1gina=19|isbn=0-9547230-1-5}}\n\nEm 1960 Shah fundou sua editora, [[Octagon Press]]. Um dos primeiros t\u00edtulos foi a biografia de Gardner - intitulado \"Gerald Gardner, Witch\". O livro foi atribu\u00eddo a um dos seguidores de Gardner, Jack L. Bracelin, mas de fato tinha sido escrito por Shah.{{citar livro|\u00faltimo =Pearson|primeiro =Joanne|t\u00edtulo=A Popular Dictionary of Paganism|publicado=[[Routledge Taylor & Francis Group]]|ano=2002|local=London, UK/New York, NY|p\u00e1gina=28|isbn=0-7007-1591-6}}\n\nDe acordo com o praticante de Wicca Frederic Lamond, o nome de Bracelin foi usado porque Shah \"n\u00e3o queria confundir seus alunos Sufi por ele ser visto como pessoa interessada em outra tradi\u00e7\u00e3o esot\u00e9rica.\" Lamond disse que Shah parecia ter se tornado um pouco desiludido com Gardner, e lhe dissera um dia, quando ele estava visitando para o ch\u00e1,\n\n
\nQuando eu estava entrevistando Gerald, \u00e0s vezes eu quis ser rep\u00f3rter do [[News of the World]]. Que material maravilhoso para um artigo cr\u00edtico! Mesmo assim, escutei de boas fontes que este grupo poder\u00e1 chegar a ser a pedra angular da religi\u00e3o da \u00e9poca vindoura. Mas racionalmente, racionalmente, n\u00e3o acho poss\u00edvel!\n
\n\nEm janeiro de 1961, durante uma viagem a [[Mallorca|Maiorca]] com Gardner, Shah conheceu o poeta Ingl\u00eas [[Robert Graves]].{{citar livro|\u00faltimo =O'Prey|primeiro =Paul|t\u00edtulo=Between Moon and Moon \u2013 Selected Letters of Robert Graves 1946\u20131972|publicado=[[Hutchinson (publisher)|Hutchinson]]|ano=1984|p\u00e1ginas=213\u2013215|isbn=0-09-155750-X}} Shah escreveu a Graves da sua pens\u00e3o em [[Palma]], solicitando uma oportunidade de \"saud\u00e1-lo num dia n\u00e3o muito distante\". Ele acrescentou que vinha pesquisando religi\u00f5es ext\u00e1ticas, e que ele tinha estado \"assistindo experi\u00eancias realizados pelos bruxos da Gr\u00e3-Bretanha, que gostavam de comer cogumelos e assim por diante\" - um tema em que Graves se interessara por algum tempo.{{citar livro|\u00faltimo =Graves|primeiro =Richard P.|t\u00edtulo=''Robert Graves and The White Goddess 1940-1985''|publicado=Phoenix Giant|ano=1998|local=London, UK|p\u00e1gina=326|isbn=0-7538-0116-7}}\n\nShah tamb\u00e9m disse a Graves que ele \"atualmente estava intensamente focalizado na divulga\u00e7\u00e3o do conhecimento est\u00e1tico e intuitivo.\" Graves e Shah logo tornaram-se amigos e confidentes. Graves se interessou favoravelmente na carreira liter\u00e1ria de Shah e o encorajou a publicar um estudo autoritativo sobre o Sufismo para um p\u00fablico ocidental, incluindo os meios pr\u00e1ticos para o estudo do mesmo; este viria a ser [[Os Sufis]]. Shah conseguiu obter um avan\u00e7o substancial para o livro, que resolveu dificuldades financeiras tempor\u00e1rias.\n\nOs Sufis foi lan\u00e7ado em 1964 pela Doubleday, e inclu\u00eda uma longa introdu\u00e7\u00e3o escrita por Robert Graves.{{citar jornal\n|\u00faltimo = Cecil\n|primeiro = Robert\n|t\u00edtulo= Obituary: Idries Shah\n|obra= [[The Independent]]\n|publicado=\n|data= 1996-11-26\n| url = http://www.independent.co.uk/news/people/obituary-idries-shah-1354309.html\n|acessodata= 2008-11-05\n|local=London}} O livro narra o impacto do Sufismo no desenvolvimento da civiliza\u00e7\u00e3o ocidental e as tradi\u00e7\u00f5es do s\u00e9culo VII em diante atrav\u00e9s do trabalho de figuras tais como [[Roger Bacon]], [[Jo\u00e3o da Cruz]], Raimundo Lulio, [[Chaucer]] e outros, e em seguida ganhou o status de cl\u00e1ssico.{{Citar web|t\u00edtulo=Editorial Reviews for Idries Shah's ''The Sufis''|publicado=amazon.com|url=http://www.amazon.com/Sufis-Idries-Shah/dp/product-description/0385079664|acessodata=28 de outubro de 2008}} Semelhante aos outros livros de Shah sobre o tema, Os Sufis foi not\u00e1vel em evitar o uso de uma terminologia que podia ter identificado a interpreta\u00e7\u00e3o de Shah do Sufismo com o Isl\u00e3 tradicional.{{citar livro|\u00faltimo =Smith|primeiro =Jane I.|t\u00edtulo=Islam in America (Columbia Contemporary American Religion Series)|publicado=[[Columbia University Press]]|ano=1999|local=New York, NY/Chichester, UK|p\u00e1gina=69|isbn=0-231-10966-0}}\n\nO livro tamb\u00e9m empregou um estilo deliberadamente \"disperso\"; Shah escreveu a Graves que o seu objetivo era o de \"de-condicionar as pessoas e evitar o seu recondicionamento\"; se tivesse sido de outra forma, ele poderia ter empregado uma forma mais convencional de exposi\u00e7\u00e3o. O livro vendeu muito pouco no in\u00edcio e Shah investiu uma soma consider\u00e1vel do seu pr\u00f3prio dinheiro na divulga\u00e7\u00e3o dele.{{citar livro|\u00faltimo =O'Prey|primeiro =Paul|t\u00edtulo=Between Moon and Moon \u2013 Selected Letters of Robert Graves 1946\u20131972|publicado=Hutchinson|ano=1984|p\u00e1ginas=236, 239, 240|isbn=0-09-155750-X}} Graves disse-lhe para n\u00e3o se preocupar; embora ele tinha algumas d\u00favidas sobre o texto, e tenha se magoado devido ao fato de Shah n\u00e3o lhe permitir corrigi-lo antes da publica\u00e7\u00e3o, ele disse que estava \"muito orgulhoso por ter ajudado em sua publica\u00e7\u00e3o\", e garantiu a Shah que era \"um livro maravilhoso, e ser\u00e1 reconhecido como tal dentro de breve. Deixe-o encontrar seus pr\u00f3prios leitores, aqueles que dar\u00e3o ouvidos na medida que sua voz se espalha, e n\u00e3o o p\u00fablico previsto pelo pr\u00f3prio Doubleday.\"{{citar livro|\u00faltimo =O'Prey|primeiro =Paul|t\u00edtulo=Between Moon and Moon \u2013 Selected Letters of Robert Graves 1946\u20131972|publicado=Hutchinson|ano=1984|p\u00e1ginas=234, 240\u2013241, 269|isbn=0-09-155750-X}}\n\n=== John G. Bennett e a conex\u00e3o Gurdjieff ===\nEm Junho de 1962, um par de anos antes da publica\u00e7\u00e3o de \"Os Sufis\", Shah tinha tamb\u00e9m entrado em contato com membros do movimento que se formou em torno dos ensinamentos [[m\u00edsticos]] de [[Gurdjieff]] e [[P.D. Ouspensky|Ouspensky]].{{citar peri\u00f3dico|\u00faltimo =Elwell-Sutton|primeiro =L. P.|data=maio de 1975|t\u00edtulo=Sufism & Pseudo-Sufism|peri\u00f3dico=Encounter|volume=XLIV|n\u00famero=5|p\u00e1gina=14}}{{citar livro|\u00faltimo =Bennett|primeiro =John G.|autorlink =John G. Bennett|t\u00edtulo=Witness: The autobiography of John G. Bennett|publicado=Turnstone Books|ano=1975|p\u00e1ginas=355\u201363|isbn=0-85500-043-0}} Um artigo de imprensa tinha aparecido,,Augy Hayter, a student of both Idries and Omar Ali-Shah, asserts that the article, published in ''[[Blackwood's Magazine]]'', was written by Idries Shah under a pseudonym. When Reggie Hoare, a Gurdjieffian and associate of Bennett's, wrote to the author care of the magazine, intrigued by the description of exercises known only to a very small number of Gurdjieff students, it was Shah who replied to Hoare, and Hoare who introduced Shah to Bennett. Shah himself according to Hayter later described the ''Blackwood's Magazine'' article as \"trawling\". ({{citar livro|\u00faltimo =Hayter|primeiro =Augy|t\u00edtulo=Fictions and Factions|publicado=Tractus Books|ano=2002|local=Reno, NV/Paris, Fran\u00e7a|p\u00e1gina=187|isbn=2-909347-14-1}}) descrevendo a visita do autor a um mosteiro secreto na \u00c1sia Central, onde m\u00e9todos notavelmente semelhantes aos m\u00e9todos de Gurdjieff aparentemente estavam sendo ensinados. O mosteiro tinha, de outra forma n\u00e3o atestada, isto estava impl\u00edcito, um representante na Inglaterra.\n\nUm dos primeiros alunos de Ouspensky, Reggie Hoare, que tinha sido parte do trabalho de Gurdjieff desde 1924, fez contato com Shah atrav\u00e9s desse artigo. Hoare \"atribuiu import\u00e2ncia especial ao que Shah lhe contara sobre o s\u00edmbolo do [[Fourth Way enneagram]] e disse que Shah havia revelado segredos sobre ele que iam muito al\u00e9m do que tinha ouvido de Ouspensky.\"{{citar livro|\u00faltimo =Bennett|primeiro =John G.|autorlink =John G. Bennett|t\u00edtulo=Witness: The autobiography of John G. Bennett|publicado=Omen Press|ano=1974|local=Tucson|p\u00e1ginas=355\u201363|isbn=0-912358-48-3}}\nAtrav\u00e9s de Hoare, Shah foi apresentado a outros Gurdjieffianos, incluindo [[John G. Bennett]], um conhecido estudante de Gurdjieff e fundador de um \"Instituto para o Estudo comparativo de Hist\u00f3ria, Filosofia e Ci\u00eancias\", localizado em Coombe Springs, uma propriedade de {{convert|7|acre|m2|adj=on}} em Kingston upon Thames, Surrey.\n\nNaquela \u00e9poca, Bennett j\u00e1 havia investigado as origens Sufi de muitos dos ensinamentos de Gurdjieff, com base tanto nas pr\u00f3prias e numerosas afirma\u00e7\u00f5es de Gurdjieff, como atrav\u00e9s de suas pr\u00f3prias viagens no Oriente, onde se encontrou com v\u00e1rios xeques Sufi.{{citar livro|\u00faltimo =Bennett|primeiro =John G.|autorlink =John G. Bennett|t\u00edtulo=Gurdjieff: Making a New World|publicado=Turnstone Books|ano=1973|local=Santa Fe, NM|p\u00e1gina=21|isbn=0-9621901-6-0}} Estava convencido de que Gurdjieff tinha adotado muitas das ideias e t\u00e9cnicas dos Sufis e que, para aqueles que ouviram palestras de Gurdjieff no in\u00edcio de 1920, \"a origem Sufi do seu ensinamento era inconfund\u00edvel para quem tinha estudado os dois.\"{{citar livro|\u00faltimo =Bennett|primeiro =John G.|autorlink =John G. Bennett|t\u00edtulo=Gurdjieff: Making a New World|publicado=Turnstone Books|ano=1973|local=Santa Fe, NM|p\u00e1gina=104|isbn=0-9621901-6-0}}\n\nBennett escreveu sobre o seu primeiro encontro com Shah em sua autobiografia, \"Witness\" [\"Testemunho\"] (1974):\n\n
\nNo in\u00edcio, eu estava desconfiado. Eu tinha acabado de decidir ir para a frente sozinho e agora outro \" mestre\" tinha aparecido. Uma ou duas conversas com Reggie me convenceram de que eu deveria pelo menos ver por mim mesmo. Elizabeth e eu fomos jantar com o casal Hoare para conhecer Shah, que acabou por ser um jovem em seus primeiros 40 anos. Falava um ingl\u00eas impec\u00e1vel e se n\u00e3o fosse pela barba e alguns de seus gestos bem poderia ter sido identificado com um t\u00edpico produto da escola p\u00fablica Inglesa. Nossas primeiras impress\u00f5es foram desfavor\u00e1veis. Ele Estava inquieto, fumava sem parar e parecia estar tentando dar uma boa impress\u00e3o. No meio da noite, a nossa atitude mudou completamente. N\u00f3s percebemos que ele n\u00e3o era apenas um homem extraordinariamente talentoso, mas que tinha o algo indefin\u00edvel que marca um homem que tinha trabalhado seriamente sobre si ... Sabendo que Reggie era um homem muito cauteloso, treinado, al\u00e9m disso, na avalia\u00e7\u00e3o de informa\u00e7\u00f5es devido a seus muitos anos no Servi\u00e7o de Intelig\u00eancia, aceitei suas garantias e tamb\u00e9m a sua cren\u00e7a de que Shah tinha uma miss\u00e3o muito importante no Ocidente que dever\u00edamos ajud\u00e1-lo a realizar.\n
\n\nShah deu a Bennett uma \"Declara\u00e7\u00e3o do Povo da Tradi\u00e7\u00e3o\",{{Citar web|\u00faltimo=Shah|primeiro=Idries|t\u00edtulo=Declaration of the People of the Tradition and Twenty-Two Principles|publicado=Sher Point Publications, UK|data=13 de abril de 2007|acessodata=21 de agosto de 2012}} autorizando-o a comparti-lo com outros Gurdjieffianos. O documento anunciava que atualmente existia uma oportunidade para a transmiss\u00e3o de \"uma forma superior de conhecimento secreto, oculto, especial\"; combinado com a impress\u00e3o pessoal que Bennett formou em rela\u00e7\u00e3o a Shah, isso convenceu Bennett de que Shah era um verdadeiro emiss\u00e1rio do \"Mosteiro [[Sarmoung]]\" no [[Afeganist\u00e3o]], um c\u00edrculo interior de Sufis cujos ensinamentos haviam inspirado Gurdjieff.{{citar livro|\u00faltimo =Hinnells|primeiro =John R.|t\u00edtulo=Who's Who of World Religions|publicado=Simon & Schuster|ano=1992|p\u00e1gina=50|isbn=0-13-952946-2}}\n\n[[Imagem:Nasreddin.jpg|thumb|220px|esquerda|\n {{quote box\n | border = 0\n | width = 90%\n | align = center\n | quote = '''De Quem \u00c9 a Barba?'''
Nasrudin sonhou que estava agarrando a barba de Satan\u00e1s. Puxando as barbas ele berrou: \"A dor que voc\u00ea sente n\u00e3o \u00e9 nada comparada \u00e0 dor que voc\u00ea inflige aos seres mortais que voc\u00ea conduz ao caminho errado.\" E puxou com tanta viol\u00eancia que acordou gritando em agonia. Foi quando ele se deu conta de que a barba que tinha na m\u00e3o era dele mesmo.\n | source = \u2212 Idries Shah{{citar livro|\u00faltimo =Shah\n|primeiro = Idries\n|t\u00edtulo= The World of Nasruddin\n|publicado= Octagon Press\n|ano= 2003|local= London\n|p\u00e1gina= 438\n| isbn =0-86304-086-1 }}}}]]\n\nPor alguns anos, Bennett e Shah mantiveram conversas privadas semanais que duravam horas. Mais tarde Shah tamb\u00e9m dava palestras para os alunos em Coombe Springs. Bennett diz que os planos de Shah inclu\u00edam \"entrar em contato com pessoas que ocupavam posi\u00e7\u00f5es de autoridade e poder e que j\u00e1 estavam semi-conscientes de que os problemas da humanidade j\u00e1 n\u00e3o podiam ser resolvidos por a\u00e7\u00f5es econ\u00f4micas, pol\u00edticas ou sociais. Essas pessoas percebiam, disse ele, as for\u00e7as novas que se movem no mundo para ajudar a humanidade a sobreviver \u00e0 crise que vem.\"\n\nBennett concordou com essas ideias e tamb\u00e9m concordou que \"as pessoas atra\u00eddas por movimentos abertamente espirituais ou esot\u00e9ricos raramente possu\u00edam as qualidades necess\u00e1rias para alcan\u00e7ar e ocupar posi\u00e7\u00f5es de autoridade,\" e que \"haviam motivos suficientes para acreditar que no mundo todo j\u00e1 existiam pessoas em posi\u00e7\u00f5es importantes que tinham a capacidade de enxergar para al\u00e9m das limita\u00e7\u00f5es de nacionalidade e cultura e que eram capazes por si mesmos de entender que a \u00fanica esperan\u00e7a para a humanidade encontra-se em uma interven\u00e7\u00e3o de uma Fonte Superior.\"\n\nBennett escreveu: \"Eu tinha visto o suficiente de Shah para saber que ele n\u00e3o era um charlat\u00e3o ou fanfarr\u00e3o ocioso e que ele era extremamente s\u00e9rio quanto \u00e0 tarefa que lhe tinha sido dada.\" Desejando apoiar o trabalho de Shah, Bennett decidiu, em 1965, ap\u00f3s agonizar por um longo tempo e discutir o assunto com o conselho e os membros do seu Instituto, dar a propriedade Coombe Springs a Shah, que insistiu que qualquer presente devesse ser dado sem amarras. Uma vez que a propriedade foi transferida para Shah, ele proibiu os associados de Bennett de visitar, e fez com que Bennett n\u00e3o se sentisse bemvindo.\n\nBennett diz que recebeu um convite para os \"Midsummer Revels\" [\" rebeldes de pleno ver\u00e3ouma festa organizada por Shah em Coombe Springs que durou dois dias e duas noites, principalmente para os jovens que naquele tempo Shah estava tratando de atrair. Anthony Blake, que trabalhou com Bennett por 15 anos, diz: \"Quando Idries Shah adquiriu Coombe Springs, a sua principal atividade era a de dar festas. Eu tinha apenas alguns encontros com ele, mas em muito apreciava sua atitude irreverente. Bennett uma vez me disse,\" Existem diferentes estilos no trabalho. O meu \u00e9 como Gurdjieff, centrado na luta contra a autonega\u00e7\u00e3o [struggle with one's denial]. O caminho de Shah \u00e9 o de tratar o trabalho como se fosse uma piada.' \"{{Citar web|url=http://anthonyblake.co.uk/Meetings.html |t\u00edtulo=Meetings |website=Anthonyblake.co.uk |acessodata=2016-03-27}}\n\nDepois de alguns meses, Shah vendeu o lote - no valor de mais de \u00a3100.000 - para um desenvolvedor e usou os recursos para se estabelecer, e estabelecer suas atividades de trabalho, em Langton House em Langton Green, perto de Tunbridge Wells, uma propriedade de 50 acres [20 hectares] que havia pertencido \u00e0 fam\u00edlia de [[Lord Baden-Powell]], fundador dos escoteiros.{{citar peri\u00f3dico\n|\u00faltimo = Hall\n|primeiro = Elizabeth\n|autorlink =\n|t\u00edtulo= At Home in East and West: A Sketch of Idries Shah\n|peri\u00f3dico= [[Psychology Today]]\n| volume = 9\n|n\u00famero= 2\n|p\u00e1gina= 56\n|publicado=\n|local=\n|data=julho de 1975}}\n\nJunto com a propriedade Coombe Springs, Bennett tamb\u00e9m entregou os cuidados de seu grupo de alunos a Shah, que compreendia cerca de 300 pessoas. Shah prometeu que iria integrar todos aqueles que eram adequados; cerca da metade do seu n\u00famero encontraram um lugar na obra de Shah. Cerca de 20 anos mais tarde, o autor Gurdieffiana [[James Moore (Cornish author)|James Moore]] sugeriu que Bennett tinha sido enganado por Shah. Bennett fez um relato do pr\u00f3prio assunto em sua autobiografia (1974 ); ele disse que o comportamento de Shah ap\u00f3s a transfer\u00eancia da propriedade foi \"dif\u00edcil de suportar\", mas tamb\u00e9m insistiu que Shah era um \"homem de costumes requintados e sensibilidades delicadas\" e considerou que Shah poderia ter adotado o seu comportamento deliberadamente\", para se certificar de que todos os la\u00e7os com Coombe Springs fossem cortados.\" Ele acrescentou que Langton Green era um lugar muito mais adequado para o trabalho de Shah que Coombe Springs podia ter sido e disse que n\u00e3o sentia tristeza de que Coombe Springs tivesse perdido sua identidade; ele concluiu seu relato sobre o assunto afirmando que ele tinha \"ganhado liberdade\" por meio de seu contato com Shah, e tinha aprendido \"a amar as pessoas a quem [ele] n\u00e3o conseguia entender\".{{citar livro\n|\u00faltimo = Bennett\n|primeiro = John G.\n|autorlink = John G. Bennett\n|t\u00edtulo= Witness: The autobiography of John G. Bennett\n|publicado= Turnstone Books\n|ano= 1975\n|p\u00e1ginas= 362\u201363\n| isbn = 0-85500-043-0}} Chapter 27, Service and Sacrifice: \"The period from 1960 (...) to 1967 when I was once again entirely on my own was of the greatest value to me. I had learned to serve and to sacrifice and I knew that I was free from attachments. It happened about the end of the time that I went on business to America and met with Madame de Salzmann in New York. She was very curious about Idries Shah and asked what I had gained from my contact with him. I replied: \"Freedom!\"... Not only had I gained freedom, but I had come to love people whom I could not understand.\"\n\nDe acordo com Bennett, Shah depois tamb\u00e9m se engajou em discuss\u00f5es com os chefes dos grupos de Gurdjieff em Nova Iorque. Em uma carta a Paul Anderson de 05 de mar\u00e7o de 1968, Bennett escreveu: \"Madame de Salzmann e todos os outros ... est\u00e3o conscientes das suas pr\u00f3prias limita\u00e7\u00f5es e n\u00e3o fazem mais do que eles s\u00e3o capazes de fazer. Enquanto eu estava em Nova York, Elizabeth e eu visitamos a Funda\u00e7\u00e3o, e vimos a maioria das principais pessoas do grupo de New York, bem como a pr\u00f3pria [[Jeanne de Salzmann]]. Se est\u00e1 preparando algo , mas se vir\u00e1 a ser concretizado eu n\u00e3o posso dizer. Refiro-me \u00e0 sua liga\u00e7\u00e3o com Idries Shah e sua capacidade para virar tudo de cabe\u00e7a para baixo. Ser passivo com tais pessoas \u00e9 in\u00fatil, e \u00e9 in\u00fatil evitar o tema. Por enquanto, s\u00f3 podemos esperar que algo de bom vir\u00e1, e, no entanto, continuar o nosso pr\u00f3prio trabalho ... \"{{citar livro|\u00faltimo =Speeth|primeiro =Kathleen|t\u00edtulo=The Gurdjieff Work|publicado=Jeremy P. Tarcher/Putnam|ano=1989|local=New York|p\u00e1gina=105|isbn=0-87477-492-6}}\n\nO autor e psic\u00f3logo cl\u00ednico Kathleen Speeth escreveu mais tarde,\n
\nTestemunhando o crescente conservadorismo dentro da Funda\u00e7\u00e3o [Gurdieffiana], John Bennett esperava que novo sangue e lideran\u00e7a viesse de outro lugar ... Embora possa ter havido um flerte com Shah, n\u00e3o deu em nada. O sentimento que prevalece [entre os l\u00edderes do trabalho Gurdjieff] que nada deve mudar, de que um tesouro em sua guarda deve a todo custo ser preservado na sua forma original, era mais forte do que qualquer desejo de uma nova onda de inspira\u00e7\u00e3o. \"\n
\n\n=== Institutos e estudos Sufis ===\nEm 1965, Shah fundou a Sociedade para Compreender Ideias Fundamentais [sigla SUFI em ingl\u00eas], mais tarde renomeado como O [[Instituto de Pesquisa Cultural]] (ICR, ingl\u00eas Institute for Cultural Research) - uma institui\u00e7\u00e3o de caridade educacional que visa estimular \"o estudo, debate, educa\u00e7\u00e3o e pesquisa em todos os aspectos do pensamento, comportamento e cultura humana \".{{citar livro\n|\u00faltimo = Wintle\n|primeiro = Justin (ed.)\n|autorlink = Justin Wintle\n|t\u00edtulo= Makers of Modern Culture, Vol. 1\n|publicado= Routledge\n|ano= 2001\n|local= London, UK/New York, NY\n|p\u00e1gina= 474\n| isbn = 0-415-26583-5}}{{Citar web\n| \u00faltimo = Staff\n| t\u00edtulo = About the Institute\n| publicado = Institute for Cultural Research\n| url = http://www.i-c-r.org.uk/about.php\n| acessodata = 2008-10-29}}\n{{Citar web\n| \u00faltimo = Staff\n| t\u00edtulo = Idries Shah \u2013 Grand Sheikh of the Sufis whose inspirational books enlightened the West about the moderate face of Islam (obituary)\n| publicado = ''[[The Daily Telegraph]]''\n| url = http://www.telegraph.co.uk/et?ac=001301712421770&rtmo=qMuJX999&atmo=99999999&pg=/et/96/12/7/ebshah07.html\n| acessodata = 2008-10-16\n| arquivourl = https://web.archive.org/web/20000525070609/http://www.telegraph.co.uk/et?ac=001301712421770&rtmo=qMuJX999&atmo=99999999&pg=%2Fet%2F96%2F12%2F7%2Febshah07.html\n| arquivodata = 2000-05-25\n| urlmorta = no\n}}\n Ele tamb\u00e9m estabeleceu a Sociedade de Estudos Sufi (SSS).{{citar livro\n|\u00faltimo = Galin\n|primeiro = M\u00fcge\n|t\u00edtulo= Between East and West: Sufism in the Novels of Doris Lessing\n|publicado= State University of New York Press\n|ano= 1997\n|local= Albany, NY\n|p\u00e1ginas= xix, 5\u20138, 21, 40\u201341, 101, 115\n| isbn = 0-7914-3383-8}}{{citar livro\n|\u00faltimo = Fahim\n|primeiro = Shadia S.\n|autorlink =\n|t\u00edtulo= Doris Lessing: Sufi Equilibrium and the Form of the Novel\n|publicado= Palgrave Macmillan/St. Martins Press\n|ano= 1995\n|local= Basingstoke, UK/New York, NY\n|p\u00e1ginas= ''passim''\n| isbn = 0-312-10293-3}}\n\nLangton House, em Langton Green, tornou-se um lugar de encontro e de discuss\u00e3o para poetas, fil\u00f3sofos e estadistas de todo o mundo, bem como parte estabelecida da cena liter\u00e1ria da \u00e9poca.{{citar peri\u00f3dico|t\u00edtulo=Writers Meet|peri\u00f3dico=The Courier|p\u00e1gina=16|data=15 de outubro de 1971|acessodata=27 de mar\u00e7o de 2016}} O ICR realizou reuni\u00f5es e deu palestras l\u00e1, concedeu bolsas de estudo para estudantes internacionais, incluindo Sir John Glubb, Aquila Berlas Kiani, Richard Gregory e Robert Cecil, o chefe de Estudos Europeus na Universidade de Leitura , que se tornou Presidente do Instituto no in\u00edcio da d\u00e9cada de 70.{{Citar web|t\u00edtulo=ICR Fellows|publicado=[[The Institute for Cultural Research]]|url=http://www.i-c-r.org.uk/fellows.php|acessodata=27 de setembro de 2012}}\n\nShah foi apoiante e um dos primeiros membros do [[Clube de Roma]],Some sources have described Shah as a \"founding member\" of the Club of Rome. Augy Hayter states, \"To a certain extent, one can say that a good deal of the literature put out by Shah and friends under various pseudonyms was designed to act as a decoy. It occupied would-be students and opponents alike, and inflamed critics to quite amazing degree. A lot of it was fake: Shah knew perfectly well that he was not a founding member of the Club of Rome; he was a member for a short time and was politely asked to leave because he didn't turn up to meetings; but this mythology around Shah's public personage was necessary in order to provide the dream-lie without which no truth can exist, because a student must always have a choice.\"({{citar livro|\u00faltimo =Hayter|primeiro =Augy|t\u00edtulo=Fictions and Factions|publicado=Tractus Books|ano=2002|local=Reno, NV/Paris, France|p\u00e1gina=262|isbn=2-909347-14-1}}) Outros visitantes, alunos e candidatos a alunos inclu\u00edram o poeta [[Ted Hughes]], os romancistas [[J. D. Salinger]], Alan Sillitoe e [[Doris Lessing]], o zo\u00f3logo [[Desmond Morris]], e o psic\u00f3logo [[:Robert Ornstein]]. O interior da casa foi decorado no estilo Oriente M\u00e9dio, almo\u00e7os tipo buffet foram realizados todos os domingos para os convidados em uma grande sala de jantar que fora no passado o est\u00e1bulo da propriedade, apelidado de \"O Elefante\" (uma refer\u00eancia ao conto oriental \"[[O Elefante no Escuro]]\").{{citar peri\u00f3dico\n|\u00faltimo = Hall\n|primeiro = Elizabeth\n|autorlink =\n|t\u00edtulo= At Home in East and West: A Sketch of Idries Shah\n|peri\u00f3dico= [[Psychology Today]]\n| volume = 9\n|n\u00famero= 2\n|p\u00e1gina= 56\n|publicado=\n|local=\n|data=julho de 1975}}\n\nAo longo dos anos seguintes Shah desenvolveu o [[Octagon Press]] como um meio de publica\u00e7\u00e3o e distribui\u00e7\u00e3o de c\u00f3pias de tradu\u00e7\u00f5es de numerosos cl\u00e1ssicos Sufi..{{citar livro|\u00faltimo =Smoley|primeiro =Richard|autor2 =Kinney, Jay|t\u00edtulo=Hidden Wisdom: A Guide to the Western Inner Traditions|publicado=Quest Books|ano=2006|local=Wheaton, IL/Chennai, India|p\u00e1gina=238|isbn=0-8356-0844-1}} Tamb\u00e9m recolheu, traduziu e escreveu milhares de contos Sufi, pondo-os \u00e0 disposi\u00e7\u00e3o de um p\u00fablico ocidental atrav\u00e9s de seus livros e palestras. V\u00e1rios livros de Shah apresentam a personagem [[Nasrudin|Mullah Nasruddin]], \u00e0s vezes com ilustra\u00e7\u00f5es de Richard Williams. Na interpreta\u00e7\u00e3o de Shah, as hist\u00f3rias Mulla Nasrudin, antes consideradas parte do folclore de culturas mu\u00e7ulmanas, eram apresentadas como [[par\u00e1bolas]] Sufi.{{citar livro|\u00faltimo =Malik|primeiro =Jamal|autor2 =Hinnells, John R. (eds.)|t\u00edtulo=Sufism in the West|publicado=Routledge Taylor & Francis Group|ano=2006|local=London, UK/New York/NY|p\u00e1gina=32|isbn=0-415-27407-9}}\n\nNasrudin foi destaque no document\u00e1rio de televis\u00e3o de Shah \"DreamWalkers\" [\"Andarilhos dos Sonhos \"/ Sonhadores Despertos] que foi ao ar na BBC em 1970. Os segmentos inclu\u00edram Richard Williams sendo entrevistado sobre seu filme inacabado de anima\u00e7\u00e3o sobre Nasrudin, e o cientista John Kermisch discutindo o uso de hist\u00f3rias de Nasruddin na Rand Corporation [[Think Tank]]. Outros convidados inclu\u00edram o psiquiatra brit\u00e2nico [[William Sargant]] explicando os efeitos inibidores da [[brainwashing|lavagem]] e [[condicionamento social]] sobre a criatividade e a resolu\u00e7\u00e3o de problemas, e o comediante [[Marty Feldman]] falando com Shah sobre o papel de humor e ritual na vida humana. O programa termina com Shah afirmando que a humanidade poderia promover a sua pr\u00f3pria evolu\u00e7\u00e3o \"rompendo limita\u00e7\u00f5es psicol\u00f3gicas\", mas que houve um \"acr\u00e9scimo constante de pessimismo que efetivamente impede a evolu\u00e7\u00e3o desta forma de progresso ... O homem est\u00e1 dormindo - tem que morrer antes de despertar?\"{{Citar web|\u00faltimo=Shah|primeiro=Idries (Presenter)|t\u00edtulo=One Pair of eyes: Dreamwalkers|publicado=[[BBC Television]]|data=19 de dezembro de 1970|acessodata=13 de setembro de 2012}}\n\nShah tamb\u00e9m organizou grupos de estudo Sufi nos Estados Unidos. [[Claudio Naranjo]], um psiquiatra chileno que estava ensinando na Calif\u00f3rnia na d\u00e9cada 60, diz que, encontrando-se \"decepcionado com a medida em que a escola de Gurdjieff envolvia uma linhagem viva\", ele se se dirigiu ao Sufismo e tinha \" tornado parte em um grupo sob a orienta\u00e7\u00e3o de Idries Shah.\"{{citar livro|\u00faltimo =Naranjo|primeiro =Claudio|autorlink =Claudio Naranjo|t\u00edtulo=Character and Neurosis|publicado=Gateways|ano=1994|local=Nevada City, CA|p\u00e1gina=xxviii|isbn=0-89556-066-6}} Naranjo co-escreveu um livro com [[Robert Ornstein]] intitulado \"On The Psychology of Meditation\" [Sobre a Psicologia da Medita\u00e7\u00e3o] (1971). Ambos estavam associados com a [[University of California|Universidade da Calif\u00f3rnia]], onde Ornstein foi psic\u00f3logo de pesquisa no Instituto de Psiquiatria Langley Porter.{{citar livro|\u00faltimo =Naranjo|primeiro =Claudio|autor2 =Robert Ornstein|t\u00edtulo=On the Psychology of Meditation|publicado=Viking Press|ano=1972|local=New York, NY|isbn=0-670-00364-6}}\n\nOrnstein tamb\u00e9m foi presidente e fundador do Instituto para o Estudo do Conhecimento Humano (Institute for the Study of Human Knowledge, sigla ISHK), criada em 1969. Percebendo a necessidade nos EUA de se ter dispon\u00edveis livros e cole\u00e7\u00f5es sobre formas antigas e novas de pensar, ele formou o en:ISHK Book Service [Servi\u00e7o de Livros ISHK] em 1972 como fonte central de importante literatura contempor\u00e2nea e tradicional, tornando-se o \u00fanico distribuidor estadunidense das obras de Idries Shah publicados pela Octagon Press.{{Citar web|url=http://ishkbooks.com/ishk_history.html |t\u00edtulo=Archived copy |acessodata=12 de setembro de 2012 |deadurl=yes |arquivourl=https://web.archive.org/web/20120215175421/http://www.ishkbooks.com/ishk_history.html |arquivodata=15 de fevereiro de 2012 }}\n\nOutro associado de Shah, o cientista e professor [[Leonard Lewin]], que na \u00e9poca ensinava telecomunica\u00e7\u00f5es na [[University of Colorado|Universidade de Colorado]], criou grupos de estudo Sufi e outras empresas para a promo\u00e7\u00e3o de ideias sufi, como o Instituto para a Investiga\u00e7\u00e3o da Dissemina\u00e7\u00e3o do Conhecimento Humano (IRDHK, ingl\u00eas Institute for Research on the Dissemination of Human Knowledge), e tamb\u00e9m editou uma antologia de textos de, e sobre, Idries Shah intitulado A Difus\u00e3o de Ideias Sufi no Ocidente (1972).{{citar livro|\u00faltimo =Lewin|primeiro =Leonard|t\u00edtulo=Diffusion of Sufi Ideas in the West|publicado=Keysign Press|ano=1972|local=Boulder, CO}}{{Citar web|url=http://www.i-c-r.org.uk/fellows.php |t\u00edtulo=Dr Kate Fox : The Institute for Cultural Research |website=I-c-r.org.uk |acessodata=2016-03-27}}\n\n=== \u00daltimos anos ===\nNas d\u00e9cadas seguintes Shah escreveu por volta de mais duas d\u00fazias de livros, muitos deles com base em fontes Sufi cl\u00e1ssicos. Lograram uma grande circula\u00e7\u00e3o em todo o mundo, os seus escritos atra\u00edram principalmente a um p\u00fablico ocidental de orienta\u00e7\u00e3o intelectual. Ao traduzir os ensinamentos Sufi em linguagem psicol\u00f3gica contempor\u00e2nea, ele os apresentou em linguagem popular e, portanto, acess\u00edveis.{{citar livro\n|\u00faltimo = Westerlund\n|primeiro = David (ed.)\n|autorlink =\n|t\u00edtulo= Sufism in Europe and North America\n|publicado= RoutledgeCurzon\n|ano= 2004\n|local= New York, NY\n|p\u00e1gina= 54\n| isbn = 0-415-32591-9}} Seus [[Folklore|contos]], ilustrando a sabedoria sufi atrav\u00e9s de anedotas e exemplos, mostrou-se particularmente popular. Shah recebeu e aceitou convites para lecionar como professor visitante em institui\u00e7\u00f5es acad\u00eamicas incluindo a [[University of California|Universidade da Calif\u00f3rnia]], a [[Universidade de Genebra]], a [[Universidade Nacional de La Plata]] e v\u00e1rias universidades inglesas.{{citar jornal\n|\u00faltimo = Campbell\n|primeiro = Edward\n|autorlink = Edward Campbell (journalist)\n|t\u00edtulo= Reluctant guru\n|obra= [[Evening News (London)|Evening News]]\n|data= 1978-08-29\n| url = }}\n\nAl\u00e9m de sua obra liter\u00e1ria e educacional, ele achou tempo suficiente para projetar um ionizador de ar (formando uma empresa, juntamente com o sr. Coppy Laws) e executar uma s\u00e9rie de empresas de t\u00eaxteis, cer\u00e2mica e de eletr\u00f4nicos. Ele tamb\u00e9m realizou v\u00e1rias viagens \u00e0 sua [[Afeganist\u00e3o]] ancestral e l\u00e1 envolveu-se na cria\u00e7\u00e3o de esfor\u00e7os de socorro; ele aproveitou essas experi\u00eancias, mais tarde, em seu livro Kara Kush, um romance sobre a [[guerra sovi\u00e9tica no Afeganist\u00e3o]].\n\n=== Doen\u00e7a ===\nNo final da primavera de 1987, cerca de um ano depois de sua \u00faltima visita ao Afeganist\u00e3o, Shah sofreu dois ataques card\u00edacos sucessivos e maci\u00e7os.{{Citar web\n| t\u00edtulo = Idries Shah, Sayed Idries el-Hashimi (official website)\n| publicado = The Estate of Idries Shah\n| url = http://www.idriesshah.com/\n| acessodata = 2008-10-09 |arquivourl = https://web.archive.org/web/20080123095631/http://www.idriesshah.com/ |arquivodata = 2008-01-23}} Informaram-lhe que tinha apenas oito por cento da sua fun\u00e7\u00e3o card\u00edaca esquerda, e n\u00e3o podia esperar sobreviver. Apesar de ataques intermitentes de doen\u00e7a, ele continuou trabalhando e produziu mais livros durante os pr\u00f3ximos nove anos.\n\n=== Morte ===\nIdries Shah morreu em Londres em 23 de novembro de 1996, com a idade de 72 anos. De acordo com seu obitu\u00e1rio no jornal [[The Daily Telegraph]], Idries Shah era um colaborador com os [[Mujahideen]] na [[guerra sovi\u00e9tica no Afeganist\u00e3o]], Diretor de Estudos do Instituto de Pesquisa Cultural e governador da [[Royal Humane Society]] [Sociedade para a Prote\u00e7\u00e3o de Animais] e do [[Hospital Real e Lar de Incur\u00e1veis]].\n{{Citar web\n| \u00faltimo = Staff\n| t\u00edtulo = Idries Shah \u2013 Grand Sheikh of the Sufis whose inspirational books enlightened the West about the moderate face of Islam (obituary)\n| publicado = ''[[The Daily Telegraph]]''\n| url = http://www.telegraph.co.uk/et?ac=001301712421770&rtmo=qMuJX999&atmo=99999999&pg=/et/96/12/7/ebshah07.html\n| acessodata = 2008-10-16\n| arquivourl = https://web.archive.org/web/20000525070609/http://www.telegraph.co.uk/et?ac=001301712421770&rtmo=qMuJX999&atmo=99999999&pg=%2Fet%2F96%2F12%2F7%2Febshah07.html\n| arquivodata = 2000-05-25\n| urlmorta = no\n}}\n Ele tamb\u00e9m foi membro do Athenaeum Club. At\u00e9 o tempo de seu falecimento, os livros de Shah tinham vendido mais de 15 milh\u00f5es de c\u00f3pias em uma d\u00fazia de idiomas em todo o mundo, e tinham sido revistos em numerosas revistas e jornais internacionais.{{citar livro\n|\u00faltimo = Archer\n|primeiro = Nathaniel P.\n|autorlink =\n|t\u00edtulo= Idries Shah, Printed Word International Collection 8\n|publicado= Octagon Press\n|ano= 1977|local= London, UK\n| isbn = 0-86304-000-4}}{{citar livro\n|\u00faltimo = Ghali\n|primeiro = Halima\n|autorlink =\n|t\u00edtulo= Shah, International Press Review Collection 9\n|publicado= BM Sufi Studies\n|ano= 1979|local= London, UK\n| isbn = }}\n\n== Ensinamentos ==\n=== Livros sobre a magia e o oculto ===\nOs primeiros livros de Shah eram estudos do que chamava de \"cren\u00e7as minorit\u00e1rias\". Seu primeiro livro, [[Magia Oriental]], publicado em 1956, de in\u00edcio seria intitulado Considera\u00e7\u00f5es sobre as Cren\u00e7as Minorit\u00e1rias Africanas e Orientais. Seu pr\u00f3ximo t\u00edtulo foi As Tradi\u00e7\u00f5es Secretas da Magia: Livro dos Feiticeiros (1957), originalmente intitulado Alguns Materiais sobre a Literatura das Cren\u00e7as Minorit\u00e1rias. Os t\u00edtulos destes livros foram mudados antes da publica\u00e7\u00e3o, de acordo com um contribuinte para um fetschrift em 1973 em homenagem a Shah, devido \u00e0s \"exig\u00eancias das pr\u00e1ticas de editoras comerciais.\"{{citar livro|\u00faltimo =Williams|primeiro =L.F. Rushbrook|t\u00edtulo=Sufi Studies: East and West|publicado=E.P. Dutton & Co.|ano=1974|local=New York, NY|p\u00e1ginas=230\u201331}}\n\nAntes de sua morte em 1969, o pai de Shah afirmou que a raz\u00e3o pela qual ele e seu filho tinham publicado livros sobre o tema de magia e ocultismo era \"para evitar um prov\u00e1vel renascimento ou cren\u00e7a popular entre um n\u00famero significativo de pessoas neste sentido. Meu filho ... eventualmente concluiu esta tarefa, quando ele pesquisou durante v\u00e1rios anos e publicou dois livros importantes sobre o assunto.\"Shah, Sirdar Ikbal Ali (1992). ''Alone in Arabian Nights''. London: Octagon Press Ltd. p. 136; ISBN 0-86304-063-2.\n\nEm uma entrevista para o [[Psychology Today]], de 1975, Shah informou:\n
\nO principal objetivo dos meus livros de magia era o de tornar este material dispon\u00edvel para o leitor geral. Para as pessoas que h\u00e1 muito tempo acreditavam que havia livros secretos, lugares escondidos, e coisas surpreendentes. Estavam agarradas a esta informa\u00e7\u00e3o como algo para se assustarem. Assim, o primeiro objetivo foi informativo. Eis a magia do Oriente e do Ocidente. S\u00f3 isso. Mais nada. O segundo prop\u00f3sito desses livros era o de mostrar que sim, parecem existir for\u00e7as, algumas das quais s\u00e3o ou racionalizadas por essa magia ou podem ser desenvolvidas a partir dela, que emergem da f\u00edsica habitual ou dentro da experi\u00eancia de pessoas comuns. Penso que isso deve ser estudado, que devemos reunir os dados e analisar o fen\u00f3meno. Precisamos separar a qu\u00edmica da magia da alquimia, por assim dizer.{{citar peri\u00f3dico|\u00faltimo =Hall|primeiro =Elizabeth|url=http://www.idriesshahfoundation.org/wp-content/uploads/2014/04/Psychology-Today.pdf|t\u00edtulo=The Sufi Tradition: A Conversation with Idries Shah|peri\u00f3dico=[[Psychology Today]]|volume=9|n\u00famero=2|p\u00e1gina=61|data=julho de 1975}}\n
\n\nShah continuou a dizer que seus livros sobre o assunto n\u00e3o foram escritos para os devotos atuais da magia e da feiti\u00e7aria, e que na verdade ele posteriormente teve que evit\u00e1-los, porque eles s\u00f3 iriam se decepcionar com o que ele tinha a dizer.\n\nEstes livros foram seguidos pela publica\u00e7\u00e3o do livro de viagem [[Destino Meca]] (1957), que foi apresentado na televis\u00e3o por Sir [[David Attenborough]].[http://www.nybooks.com/articles/archives/1970/oct/22/the-mysterious-east-2/?pagination=false Lessing, Doris (1970). \"The Mysterious East\". ''[[The New York Times]]'' Review of Books, October 22] Destino Meca e Magia Oriental incluem sec\u00e7\u00f5es sobre [[Sufi]]smo.{{citar livro|\u00faltimo =Shah|primeiro =Sayed Idries|t\u00edtulo=Oriental Magic|publicado=Octagon Press, Ltd.|ano=1956|local=London, UK|p\u00e1ginas=59\u201375|isbn=0-86304-017-9}}{{citar livro|\u00faltimo =Shah|primeiro =Idries|t\u00edtulo=Destination Mecca|publicado=Octagon Press|anooriginal=1957|ano=1971|local=London, UK|p\u00e1ginas=169\u201378|isbn=0-900860-13-8}}\n\n=== Sufismo como forma de sabedoria perene ===\nShah apresentava Sufismo como uma forma de sabedoria perene que antecede o Isl\u00e3.{{citar livro|\u00faltimo =Taji-Farouki|primeiro =Suha|autor2 =Nafi, Basheer M. (eds.)|t\u00edtulo=Islamic Thought in the Twentieth Century|publicado=I.B.Tauris Publishers|ano=2004|local=London, UK/New York, NY|p\u00e1gina=123|isbn=1-85043-751-3}} Ele enfatizava que a natureza do Sufismo era viva, n\u00e3o est\u00e1tica, e que sempre adaptava suas manifesta\u00e7\u00f5es vis\u00edveis aos novos tempos, lugares e pessoas: \"As escolas Sufis s\u00e3o como ondas que quebram nas rochas: [s\u00e3o] do mesmo mar, em formas diferentes, para o mesmo fim\", escreveu, citando [[Ahmad al-Badawi]].\n\nShah fazia pouco caso das descri\u00e7\u00f5es do Sufismo dos orientalistas, sustentando que o estudo acad\u00eamico ou pessoal de suas formas e m\u00e9todos hist\u00f3ricos n\u00e3o formavam uma base suficiente para conseguir uma compreens\u00e3o correta do mesmo. Na verdade, a obsess\u00e3o com as suas formas tradicionais podia tornar-se um obst\u00e1culo: \"Mostrar a um homem demasiados ossos de camelo, ou mostr\u00e1-los a ele com demasiada frequ\u00eancia, e ele n\u00e3o ser\u00e1 capaz de reconhecer um quando se depara com um camelo vivo,\" \u00e9 como ele expressou essa ideia em um de seus livros.{{citar livro|\u00faltimo =Shah|primeiro =Idries|t\u00edtulo=The Dermis Probe|publicado=Octagon Press|anooriginal=1970|ano=1980|local=London, UK|p\u00e1gina=18|isbn=0-86304-045-4}}\n\nShah, como [[Inayat Khan]], apresentou o Sufismo como um caminho que transcende as religi\u00f5es individuais, e o adaptou para um p\u00fablico ocidental.{{citar livro|\u00faltimo =Smoley|primeiro =Richard|autor2 =Kinney, Jay|t\u00edtulo=Hidden Wisdom: A Guide to the Western Inner Traditions|publicado=Quest Books|ano=2006|local=Wheaton, IL/Chennai, India|p\u00e1gina=238|isbn=0-8356-0844-1}} Ao contr\u00e1rio de Khan, no entanto, ele dava pouca import\u00e2ncia aos apetrechos religiosos ou espirituais e descrevia Sufismo como uma tecnologia psicol\u00f3gica, um m\u00e9todo ou ci\u00eancia que poderia ser usada para atingir a auto realiza\u00e7\u00e3o. Ao faz\u00ea-lo, sua abordagem parecia ser especialmente dirigida aos seguidores de Gurdjieff, estudantes do [[Human Potential Movement|Movimento do Potencial Humano]], e aos intelectuais familiarizados com a psicologia moderna. Por exemplo, ele escreveu, \"Sufismo ... afirma que o homem pode tornar-se objetiva e que a objetividade habilita o indiv\u00edduo a compreender fatos \"mais altos\". O homem \u00e9, portanto, convidado a empurrar sua evolu\u00e7\u00e3o para a frente para o que por vezes \u00e9 chamado, no Sufismo, de\n\"intelecto real\". Shah ensinou que o ser humano pode adquirir novos e sutis \u00f3rg\u00e3os sensoriais em resposta \u00e0 necessidade:\n\n{{quotation|Os Sufis acreditam que, expressada de certa forma, a humanidade est\u00e1 evoluindo para um determinado destino. Todos n\u00f3s estamos participando nesta evolu\u00e7\u00e3o. Os \u00f3rg\u00e3os passam a existir como resultado da necessidade de \u00f3rg\u00e3os espec\u00edficos ([[Rumi]]). O organismo do ser humano est\u00e1 produzindo um novo complexo de \u00f3rg\u00e3os em resposta \u00e0 tal necessidade. Nesta \u00e9poca de transcend\u00eancia de tempo e espa\u00e7o, o complexo de \u00f3rg\u00e3os est\u00e1 focalizado na transcend\u00eancia do tempo e espa\u00e7o. O que as pessoas comuns consideram como manifesta\u00e7\u00f5es espor\u00e1dicas e ocasionais de poder [[telepathy|telep\u00e1tico]] ou prof\u00e9tica s\u00e3o vistos pelo Sufi como nada menos do que os primeiros sinais de estes mesmos \u00f3rg\u00e3os. A diferen\u00e7a entre toda a evolu\u00e7\u00e3o at\u00e9 \u00e0 data de hoje e a atual necessidade de evolu\u00e7\u00e3o \u00e9 que, nos \u00faltimos dez mil anos nos foi dada a possibilidade de uma evolu\u00e7\u00e3o consciente. T\u00e3o essencial \u00e9 esta evolu\u00e7\u00e3o mais rarefeita espiritualizada, rara que o nosso futuro depende dela|Idries Shah, ''The Sufis''{{citar livro|\u00faltimo =Shah|primeiro =Idries|t\u00edtulo=The Sufis|publicado=Octagon Press|anooriginal=1964|ano=1977|local=London, UK|p\u00e1gina=54|isbn=0-86304-020-9}}}}\n\nShah descartou outras proje\u00e7\u00f5es orientais e ocidentais do Sufismo como \"aguada, generalizada ou parcial\"; ele inclu\u00eda nisso n\u00e3o s\u00f3 a vers\u00e3o de Khan, mas tamb\u00e9m as formas abertamente mu\u00e7ulmanas do Sufismo encontradas na maioria dos pa\u00edses isl\u00e2micos. Por outro lado, os escritos de associados de Shah davam a entender que ele era o \"Grande Sheik dos Sufis.\" - Uma posi\u00e7\u00e3o de autoridade minada pela falha absoluta de quaisquer outros Sufis em reconhecer sua exist\u00eancia. Shah achava que a melhor maneira de introduzir a sabedoria Sufi no Ocidente, enquanto, ao mesmo tempo, superando os problemas de [[guru]]s e [[cultos]], era a de esclarecer a diferen\u00e7a entre um culto e um sistema educacional, e em contribuir ao conhecimento geral. Ele explicou em entrevista, \"Voc\u00ea tem que trabalhar dentro de um formato educacional - n\u00e3o na \u00e1rea de mistifica\u00e7\u00e3o e balela (ingl\u00eas mumbo-jumbo). Como parte desta abordagem, atuou como Diretor de Estudos do ICR.{{citar peri\u00f3dico|t\u00edtulo=New Psychology|peri\u00f3dico=The Courier|data=23 de junho de 1978}} Ele tamb\u00e9m palestrou sobre o estudo do Sufismo no Ocidente na [[Universidade de Sussex]] em 1966. Estas palestras foram publicadas mais tarde em forma de monografia intitulada Problemas Especiais no Estudo das ideias Sufis.{{citar livro|\u00faltimo =Shah|primeiro =Idries|autorlink =Idries Shah|t\u00edtulo=Special Problems in the Study of Sufi Ideas|publicado=Octagon Press|ano=1974|local=London, UK|isbn=0-900860-21-9}}\n\nShah explicou depois que as atividades Sufi eram divididas em diferentes componentes ou departamentos: \"estudos em Sufismo\", \"estudos de Sufismo\", e \"estudos para Sufismo\".{{Citar web|\u00faltimo=Shah|primeiro=Idries|t\u00edtulo=An Advanced Psychology of the East|publicado=[[Institute for the Study of Human Knowledge|ISHK]]|ano=1977|acessodata=22 de setembro de 2012}}\n\nEstudos para Sufismo ajudavam a levar as pessoas na dire\u00e7\u00e3o do Sufismo e inclu\u00edam a promo\u00e7\u00e3o de um conhecimento que podia estar faltando na cultura e precisando ser restaurada e propagada, como uma compreens\u00e3o de [[condicionamento social]] e a [[lavagem cerebral]], a diferen\u00e7a entre os modos racional e intuitivo de pensamento, e outras atividades para que as mentes das pessoas pudessem tornar-se mais livres e amplas. Estudos do Sufismo inclu\u00edam institui\u00e7\u00f5es e atividades, como palestras e semin\u00e1rios, que proveem informa\u00e7\u00f5es sobre o Sufismo e agem como elo cultural entre os Sufis e o p\u00fablico. Finalmente, os estudos em Sufismo se referem a estar em uma escola Sufi, levando a cabo as atividades prescritas pelo instrutor como parte de um treinamento, e isso pode tomar muitas formas que n\u00e3o se encaixem necessariamente na no\u00e7\u00e3o preconcebida de uma \"escola m\u00edstica\".\n\nOs objetivos e metodologias Sufi de Shah tamb\u00e9m foram delineados na \"Declara\u00e7\u00e3o do Povo da Tradi\u00e7\u00e3o\" dada em Coombe Springs:\n
\n Al\u00e9m de fazer este an\u00fancio, alimentar certos campos de pensamento com certas ideias, e apontar alguns dos fatores em torno deste trabalho, os projetores desta declara\u00e7\u00e3o tem uma tarefa pr\u00e1tica. Esta tarefa \u00e9 a de localizar indiv\u00edduos que tenham a capacidade de obter o conhecimento especial do homem que est\u00e1 dispon\u00edvel; agrup\u00e1-los em forma especial, n\u00e3o aleat\u00f3ria, de modo que cada um desses tais grupos forme um organismo harmonioso; fazer isso no lugar certo no momento certo; proporcionar um formato externo e interno com o qual trabalhar, e tamb\u00e9m uma formula\u00e7\u00e3o de \"ideias\" adequadas \u00e0s condi\u00e7\u00f5es locais; equilibrar teoria com a pr\u00e1tica.\n
\n\nEm entrevista \u00e0 BBC de 1971, Shah explicou sua abordagem contempor\u00e2nea, adaptativa: \"Estou interessado em disponibilizar no Ocidente os aspectos do Sufismo que ser\u00e3o \u00fateis para o Ocidente neste momento. Eu n\u00e3o quero transformar bons Europeus em Asi\u00e1ticos inferiores. As pessoas me perguntam por que eu n\u00e3o uso m\u00e9todos tradicionais de treinamento espiritual, por exemplo, ao lidar com as pessoas que me procuram ou me ca\u00e7am; e claro, a resposta \u00e9 que \u00e9 pela mesma raz\u00e3o que voc\u00ea veio \u00e0 minha casa hoje em um autom\u00f3vel e n\u00e3o nas costas dum camelo. O Sufismo n\u00e3o \u00e9, na verdade, um sistema m\u00edstico, n\u00e3o \u00e9 uma religi\u00e3o, mas um corpo de conhecimento.\"{{citar livro|\u00faltimo =Lewin|primeiro =Leonard|t\u00edtulo=Diffusion of Sufi Ideas in the West|publicado=Keysign Press|ano=1972|local=Boulder, CO|p\u00e1gina=17}}\n\nShah frequentemente caracterizava alguns aspectos de seu trabalho como sendo, realmente, apenas preliminar ao estudo Sufi real, da mesma forma que aprender a ler e escrever pode ser visto como preliminar ao estudo da literatura: \"A menos que a psicologia esteja orientada corretamente, n\u00e3o h\u00e1 espiritualidade, embora possa haver obsess\u00e3o e emotividade, muitas vezes confundidas com ela. \"{{citar livro|\u00faltimo =Wilson|primeiro =Peter|editor=[[Peter B. Clarke]]|cap\u00edtulo=The Strange Fate of Sufism in the New Age|t\u00edtulo=New Trends and Developments in the World of Islam|publicado=Luzac Oriental|ano=1998|local=London, UK|p\u00e1ginas=187\u201388|isbn=1-898942-17-X}}{{citar livro|\u00faltimo =Shah|primeiro =Idries|t\u00edtulo=Learning How To Learn|publicado=Penguin Arkana|data=1978|local=New York, NY/London, UK/Ringwood, Victoria/Toronto, Canada/Auckland, NZ|p\u00e1gina=80|isbn=0-14-019513-0}} \"Qualquer pessoa que tenta enxertar pr\u00e1ticas espirituais em uma personalidade n\u00e3o regenerada ... vai acabar com uma aberra\u00e7\u00e3o\", argumentava. Por esta raz\u00e3o, a maior parte do trabalho que ele produziu a partir de Os Sufis em diante era de natureza psicol\u00f3gica, focada em atacar o [[nafs|nafs-i-ammara]], o falso eu: \"N\u00e3o tenho nada para lhe dar, exceto a maneira de entender como buscar - mas voc\u00eas acham que j\u00e1 s\u00e3o capazes de fazer isso.\"\n\nShah frequentemente foi criticado por n\u00e3o mencionar muito a Deus em seus escritos; sua resposta foi que, dado o estado atual do homem, n\u00e3o haveria muito sentido em falar sobre Deus. Ele ilustrou o problema em uma par\u00e1bola em seu livro Pensadores do Oriente: \"Descobrindo que eu podia falar a l\u00edngua das formigas, aproximei-me a uma e perguntei: 'Como \u00e9 Deus. Ser\u00e1 que se parece com a formiga?' Ele respondeu: \"Deus! de forma alguma - n\u00f3s temos apenas um \u00fanico ferr\u00e3o, mas Deus, Ele tem dois'\"{{citar livro|\u00faltimo =Shah|primeiro =Idries|t\u00edtulo=Thinkers of the East|publicado=Penguin Arkana|data=1972|local=New York, NY, US; London, UK; Ringwood, Victoria, Australia; Toronto, Ontario, Canada; Auckland, New Zealand|p\u00e1gina=101|isbn=0-14-019251-4}}\n\n=== Historias de ensino ===\nShah usava hist\u00f3rias de ensino e humor com grande efeito em seu trabalho.{{citar livro\n|\u00faltimo = Lewin\n|primeiro = Leonard\n|autor2 = Shah, Idries\n|t\u00edtulo= The Diffusion of Sufi Ideas in the West\n|publicado= Keysign Press\n|ano= 1972|local= Boulder, CO\n|p\u00e1gina= 72\n| isbn = }} Ele enfatizava a fun\u00e7\u00e3o terap\u00eautica de anedotas surpreendentes, e as novas perspectivas que estes contos revelavam.{{citar livro\n|editor-sobrenome1 = Malik\n|editor-nome1 = Jamal\n| editor2 = Hinnells, John R.\n|t\u00edtulo= Sufism in the West\n|publicado= Routledge Taylor & Francis Group\n|ano= 2006\n|local= London, UK/New York, NY\n|p\u00e1gina= 31\n| isbn = 0-415-27407-9\n}} A leitura e discuss\u00e3o de tais contos em grupo tornou-se uma parte significativa das atividades em que os membros de c\u00edrculos de estudo organizados por Shah se envolveram. A maneira transformadora em que estes contos intrigantes ou surpreendentes poderiam desestabilizar o modo normal (e inconsciente) de consci\u00eancia do estudante foi estudado pela professor de psicologia Robert Ornstein da [[Stanford University|Universidade de Stanford]], que, juntamente com o psic\u00f3logo colega [[Charles Tart]],Wilson, Peter (1998). \"The Strange Fate of Sufism in the New Age\". In {{citar livro|\u00faltimo =Clarke|primeiro =Peter B. (ed.)|t\u00edtulo=New Trends and Developments in the World of Islam|publicado=Luzac Oriental|local=London|ano=1998|p\u00e1gina=195|isbn=1-898942-17-X}} e escritores eminentes como o [[poeta laureado]] [[Ted Hughes]]Hermansen, Marcia (1998). \"In the Garden of American Sufi Movements: Hybrids and Perennials\". In {{citar livro|\u00faltimo =Clarke|primeiro =Peter B. (ed.)|t\u00edtulo=New Trends and Developments in the World of Islam|publicado=Luzac Oriental|local=London|ano=1998|p\u00e1gina=167|isbn=1-898942-17-X}} e a romancista ganhadora do [[Pr\u00eamio Nobel]] - [[Doris Lessing]]{{citar livro\n|\u00faltimo = Galin\n|primeiro = M\u00fcge\n|t\u00edtulo= Between East and West: Sufism in the Novels of Doris Lessing\n|publicado= State University of New York Press\n|ano= 1997\n|local= Albany, NY\n|p\u00e1ginas= xix, 5\u20138, 21, 40\u201341, 101, 115\n| isbn = 0-7914-3383-8}}{{citar livro\n|\u00faltimo = Fahim\n|primeiro = Shadia S.\n|autorlink =\n|t\u00edtulo= Doris Lessing: Sufi Equilibrium and the Form of the Novel\n|publicado= Palgrave Macmillan/St. Martins Press\n|ano= 1995\n|local= Basingstoke, UK/New York, NY\n|p\u00e1ginas= ''passim''\n| isbn = 0-312-10293-3}} foi um dos v\u00e1rios pensadores not\u00e1veis \u200b\u200bprofundamente influenciados por Shah.{{citar livro\n|\u00faltimo = Westerlund\n|primeiro = David (ed.)\n|autorlink =\n|t\u00edtulo= Sufism in Europe and North America\n|publicado= RoutledgeCurzon\n|ano= 2004\n|local= New York, NY\n|p\u00e1gina= 53\n| isbn = 0-415-32591-9}}\n\nShah e Ornstein se conheceram na d\u00e9cada de 1960. Percebendo que Ornstein poderia ser um parceiro ideal na propaga\u00e7\u00e3o de seus ensinamentos, traduzindo-os ao idioma da [[psicoterapia]], Shah fez dele seu representante ([[califa]]) nos Estados Unidos. O livro de Ornstein A Psicologia da Consci\u00eancia (1972) foi recebido com entusiasmo pela comunidade de psicologia acad\u00eamica, uma vez que coincidia com um novo interesse nesta \u00e1rea, tais como o estudo de [[biofeedback]] e outras t\u00e9cnicas destinadas a alcan\u00e7ar mudan\u00e7as de estados de humor e de consci\u00eancia. Ornstein publicou outros livros neste campo ao longo dos anos.\n\nO f\u00edsico e fil\u00f3sofo da [[science|ci\u00eancia]] Henri Bortoft usava contos de ensino da obra de Shah como analogias dos h\u00e1bitos mentais que impedem que as pessoas compreendam o m\u00e9todo cient\u00edfico de Johann Wolfgang von [[Goethe]]. O livro de Bortoft A Totalidade da Natureza: O M\u00e9todo Cient\u00edfico de Goethe inclui contos de [[Hist\u00f3rias dos Dervixes]], As Fa\u00e7anhas do Incompar\u00e1vel Mullah Nasruddin e [[Um Escorpi\u00e3o Perfumado]].Henri Bortoft, ''The Wholeness of Nature: Goethe's Way of Science'' (1996). Floris Books; ISBN 0-86315-238-4\n\nEm seu contexto hist\u00f3rico e cultural original, As hist\u00f3rias de ensino Sufi do tipo popularizado por Shah - no in\u00edcio transmitidas por via oral e, posteriormente, escritas com o prop\u00f3sito de transmitir a f\u00e9 e pr\u00e1tica Sufi a gera\u00e7\u00f5es sucessivas - foram consideradas adequadas para pessoas de todas as idades, incluindo crian\u00e7as, visto que continham v\u00e1rias camadas de significado. Shah comparava a hist\u00f3ria Sufi a um p\u00eassego: \"Uma pessoa pode ser emocionalmente afetada pelo exterior, como se o p\u00eassego lhe fosse emprestado. Al\u00e9m disso, voc\u00ea pode comer o p\u00eassego e saborear o gosto dele \u2026 Voc\u00ea pode jogar fora o caro\u00e7o - ou rach\u00e1-lo para encontrar a deliciosa semente dentro dela. Esta \u00e9 a profundidade escondida.\" Foi dessa maneira que Shah convidava o p\u00fablico a receber a hist\u00f3ria Sufi. Ao n\u00e3o descobrir o \u00e2mago, e entendendo a hist\u00f3ria s\u00f3 como algo divertida ou superficial, a pessoa conseguiria mais nada, al\u00e9m da vis\u00e3o ocular do p\u00eassego, enquanto outros interiorizassem o conto, deixando-se serem afetados por ele.\n\nTahir Shah menciona a narra\u00e7\u00e3o de contos por parte de seu pai em v\u00e1rios pontos ao longo de seu livro de 2008 Nas Noites \u00c1rabes, primeiro discutindo a maneira como Idries Shah usava as hist\u00f3rias de ensino: \"Meu pai nunca nos disse como as hist\u00f3rias funcionavam. Ele n\u00e3o revelava as camadas, as pepitas de informa\u00e7\u00e3o, os fragmentos de verdade e de fantasia. Ele n\u00e3o precisava - porque, dadas as condi\u00e7\u00f5es adequadas, as hist\u00f3rias se ativavam a si mesmas, semeando-se sozinhas.\"{{citar livro|\u00faltimo =Shah|primeiro =Tahir|t\u00edtulo=In Arabian Nights|ano=2008|publicado=Bantam Books|local=London|isbn=978-0-553-80523-9|p\u00e1ginas=10, 15, 24, 262}} Em seguida ele explica como seu pai usava essas hist\u00f3rias para transmitir sabedoria: \"meu pai sempre tinha um conto \u00e0 m\u00e3o para desviar a nossa aten\u00e7\u00e3o, ou para usar como uma maneira de transmitir uma ideia ou um pensamento. Ele costumava dizer que as grandes cole\u00e7\u00f5es de hist\u00f3rias do Oriente eram como enciclop\u00e9dias, armaz\u00e9ns de sabedoria e conhecimento prontos para serem estudados, para ser apreciados e valorizados. Para ele, as hist\u00f3rias representavam muito mais do que mero entretenimento. Ele os via como documentos psicol\u00f3gicos complexos, formando um corpo de conhecimento que havia sido coletado e refinado desde os prim\u00f3rdios da humanidade e, mais frequentemente do que n\u00e3o, transmitidos de boca em boca. \"\n\nMais adiante no livro ele continua a discuss\u00e3o de hist\u00f3rias como ferramentas de ensino, citando a seguinte explica\u00e7\u00e3o que seu pai lhe deu ao completar uma hist\u00f3ria:\n{{Quotation|Essas hist\u00f3rias s\u00e3o documentos t\u00e9cnicos, s\u00e3o como mapas, ou esp\u00e9cies de diagrama. O que fa\u00e7o \u00e9 mostrar \u00e0s pessoas como usar os mapas, porque se esqueceram. Voc\u00ea pode pensar que \u00e9 uma forma estranha de ensinar - com hist\u00f3rias - mas h\u00e1 muito tempo este foi o modo como as pessoas transmitiam a sabedoria. Todo mundo sabia como aproveitar a sabedoria que a hist\u00f3ria possu\u00eda. Eles podiam enxergar atrav\u00e9s das camadas, da mesma forma que voc\u00ea v\u00ea um peixe congelado em um bloco de gelo.\n\nMas o mundo em que estamos vivendo perdeu esta habilidade, uma habilidade que certamente uma vez teve. Eles ouvem as hist\u00f3rias e gostam delas, porque as hist\u00f3rias os divertem, os fazem sentir-se \u00e0 vontade. Mas eles n\u00e3o podem ver al\u00e9m da primeira camada para dentro do gelo. As hist\u00f3rias s\u00e3o como um belo tabuleiro de xadrez: todos n\u00f3s sabemos como jogar xadrez e como n\u00f3s podemos ser arrastados para dentro de um jogo t\u00e3o complicado que as nossas faculdades ficam drenadas. Mas imagine se o jogo estivesse perdido por s\u00e9culos de uma sociedade e, depois, o tabuleiro de xadrez fino e suas pe\u00e7as fossem achados. Todo o mundo iria rode\u00e1-lo para v\u00ea-las e admir\u00e1-las. Eles nunca podiam imaginar que um objeto t\u00e3o fino teve alguma vez um outro fim diferente que o entretenimento dos olhos. O valor intr\u00ednseco das hist\u00f3rias foi de alguma forma perdido. Em certo tempo todos sabiam jogar com eles, como decifr\u00e1-las. Mas agora as regras foram esquecidas. Cabe a n\u00f3s mostrar \u00e0s pessoas mais uma vez como o jogo \u00e9 jogado.|Tahir Shah|In Arabian Nights|}}\n\n[[Olav Hammer]], no Sufismo na Europa e Am\u00e9rica do Norte (2004), cita um exemplo deste tipo de hist\u00f3ria. Ele conta a hist\u00f3ria de um homem que est\u00e1 \u00e0 procura de sua chave no ch\u00e3o. Quando um vizinho aparece de passagem ele pergunta ao homem se este seria de fato o lugar onde ele perdeu a chave, e o homem responde: \"N\u00e3o, eu a perdi em casa, mas h\u00e1 mais luz aqui que dentro de minha casa.\"{{citar livro\n|\u00faltimo = Westerlund\n|primeiro = David (ed.)\n|t\u00edtulo= Sufism in Europe and North America\n|publicado= RoutledgeCurzon\n|ano= 2004\n|local= New York, NY\n|p\u00e1ginas= 136\u2013138\n| isbn = 0-415-32591-9}}\n\nPeter Wilson, escrevendo em Novas Tend\u00eancias e Acontecimentos no Mundo do Isl\u00e3 (1998), cita outra hist\u00f3ria semelhante, sobre um [[dervish|dervixe]] que \u00e9 solicitado a descrever as qualidades de seu mestre, Alim.{{citar livro\n|\u00faltimo = Wilson\n|primeiro = Peter\n| editor = [[Peter B. Clarke]]\n|cap\u00edtulo= The Strange Fate of Sufism in the New Age\n|t\u00edtulo= New Trends and Developments in the World of Islam\n|publicado= Luzac Oriental\n|ano= 1998\n|local= London, UK\n|p\u00e1gina= 185\n| isbn = 1-898942-17-X}} The dervish explains that Alim wrote beautiful poetry, and inspired him with his self-sacrifice and his service to his fellow man. His questioner readily approves of these qualities, only to find the dervish rebuking him: \"Those are the qualities which would have recommended Alim to ''you''.\"{{citar livro\n|\u00faltimo = Shah\n|primeiro = Idries\n|t\u00edtulo= The Dermis Probe\n|publicado= Octagon Press\n|anooriginal= 1970|ano= 1980\n|local= London, UK\n|p\u00e1gina= 21\n| isbn = 0-86304-045-4\n}} O dervixe explica que Alim escrevia poesia bonita e inspirava com o seu auto sacrif\u00edcio e servi\u00e7o \u00e0 humanidade. Seu interlocutor, sem hesitar, aprova essas qualidades, mas de repente v\u00ea que o dervish est\u00e1 repreendendo-o: \"Essas s\u00e3o as qualidades que teriam recomendado Alim a voc\u00ea.\" Em seguida, ele lhe recita as qualidades que realmente tornam Alim um mestre eficaz: \".. Hazrat Alim Azimi me irritou, o que me motivou a examinar minha irrita\u00e7\u00e3o, para descobrir sua origem. Alim Azimi me fez ficar com raiva, para que eu pudesse sentir e transformar minha raiva.\" Ele explica que Alim Azimi seguia o caminho da culpa, intencionalmente provocando ataques furiosos sobre si mesmo a fim de trazer as falhas tanto dos seus alunos como as dos os cr\u00edticos \u00e0 luz, permitindo que elas fossem vistas como eles realmente eram: \"Ele nos mostrou o estranho, de modo que o estranho se tornou comum para que pud\u00e9ssemos perceber o que realmente \u00e9.\"\n\n=== Ponto de vista sobre cultura e a vida pr\u00e1tica ===\nA preocupa\u00e7\u00e3o de Shah era a de revelar fatores ocultos determinantes do comportamento individual. Ele menosprezava o foco ocidental sobre apar\u00eancias e superficialidades, que muitas vezes refletiam nada mais que modas e h\u00e1bitos, e chamava aten\u00e7\u00e3o \u00e0s origens da cultura e \u00e0s motiva\u00e7\u00f5es inconscientes e mistos das pessoas e dos grupos formados por elas. Ele dava \u00eanfase \u00e0 maneira que, no n\u00edvel individual e de grupo tamb\u00e9m, os desastres tempor\u00e1rios muitas vezes viram bendi\u00e7\u00f5es - e vice-versa - e, mesmo assim, o saber disso afeta muito pouco a maneira em que as pessoas respondem aos acontecimentos quando ocorrem.\n\nShah n\u00e3o defendia o abandono dos deveres mundanos; pelo contr\u00e1rio, ele argumentava que o tesouro buscado pelos candidatos a disc\u00edpulo deriva das lutas da vida cotidiana. Ele considerava o trabalho pr\u00e1tico o meio pelo qual um candidato podia fazer o auto trabalho, em linha com a ado\u00e7\u00e3o tradicional pelos Sufis de profiss\u00f5es comuns, atrav\u00e9s do qual eles ganharam seus meios de subsist\u00eancia e \"trabalhavam\" sobre si mesmos.\n\nO status de Shah como maestro permaneceu indefin\u00edvel; renunciando tanto a identidade [[guru]] como qualquer desejo de fundar um [[cult]]o ou [[sect|seita]], ele tamb\u00e9m rejeitava o chap\u00e9u acad\u00eamico. Michael Michael Rubinstein, escrevendo em Fabricantes da Cultura Moderna, concluiu que \"ele \u00e9 talvez melhor visto como a personifica\u00e7\u00e3o da tradi\u00e7\u00e3o na qual os aspectos contemplativos e [[intuitivos]] da mente s\u00e3o considerados como passiveis a atingirem a m\u00e1xima produtividade quando trabalham juntos.\"\n\n=== Legado ===\nIdries Shah considerava que seus livros eram seu legado; em si mesmos, eles iriam cumprir a fun\u00e7\u00e3o, quando ele j\u00e1 n\u00e3o podia estar, que ele tinha cumprido.{{citar livro|\u00faltimo =Shah|primeiro =Tahir|autorlink =Tahir Shah|t\u00edtulo=In Arabian Nights: A Caravan of Moroccan Dreams|publicado=Bantam|ano=2008|local=New York, NY|p\u00e1ginas=215\u201316|isbn=0-553-80523-1}} Promover e distribuir publica\u00e7\u00f5es do seu mestre foi uma atividade importante ao \"trabalho\" para os alunos de Shah, tanto para fins de capta\u00e7\u00e3o de recursos como para transformar a consci\u00eancia p\u00fablica.{{citar livro|\u00faltimo =Malik|primeiro =Jamal|autor2 =Hinnells, John R. (eds.)|t\u00edtulo=Sufism in the West|publicado=Routledge Taylor & Francis Group|ano=2006|local=London, UK/New York/NY|p\u00e1gina=32|isbn=0-415-27407-9}} O ICR suspendeu suas atividades em 2013 na ocasi\u00e3o da forma\u00e7\u00e3o de uma nova institui\u00e7\u00e3o de caridade, a [[Funda\u00e7\u00e3o Idries Shah]],{{Citar web|t\u00edtulo=The Institute for Cultural Research|publicado=The Institute for Cultural Research|data=2014|url=http://www.i-c-r.org.uk|arquivourl=https://web.archive.org/web/20140830031217/http://www.i-c-r.org.uk/|arquivodata=2014-08-30|acessodata=25 de outubro de 2015|urlmorta=no}} enquanto o SSS tinha cessado suas atividades antes. O ISHK (Instituto para o Estudo do Conhecimento Humano), liderado por Ornstein,{{Citar web|t\u00edtulo=Directors, Advisors & Staff|publicado=Institute for the Study of Human Knowledge (ISHK)|url=http://ishkbooks.com/ishk_leadership.html|acessodata=27 de mar\u00e7o de 2016|arquivourl=https://web.archive.org/web/20081004064521/http://www.ishkbooks.com/ishk_leadership.html|arquivodata=2008-10-04|urlmorta=yes}} atua nos Estados Unidos; ap\u00f3s os [[ataques terroristas de 9/11]], por exemplo, ISHK enviou uma brochura sobre os livros de Shah e os de seu c\u00edrculo relacionados ao Afeganist\u00e3o a membros da [[Associa\u00e7\u00e3o de Estudos do Oriente M\u00e9dio]], relacionando, assim, estas publica\u00e7\u00f5es \u00e0 necessidade de uma melhor compreens\u00e3o intercultural.\n\nQuando Elizabeth Hall entrevistou Shah para o [[sychology Today]] em julho de 1975, ela lhe perguntou: \"Para o bem da humanidade, o que voc\u00ea gostaria de ver acontecer?\" Shah respondeu: \"O que eu realmente quero, caso algu\u00e9m esteja escutando, \u00e9 para o produto dos \u00faltimos 50 anos de pesquisa psicol\u00f3gica ser estudado pelo p\u00fablico, por todos, para que os resultados se tornem parte de sua maneira de pensar ( ...) eles t\u00eam essa grande massa de informa\u00e7\u00f5es psicol\u00f3gicas e se recusam a us\u00e1-la\".\n\nO irm\u00e3o de Shah, [[Omar Ali-Shah]] (1922-2005), tamb\u00e9m foi escritor e instrutor sobre Sufismo; os irm\u00e3os ensinaram os alunos juntos por um tempo na d\u00e9cada de 1960, mas em 1977 \"concordaram em discordar\" e seguiram caminhos separados.{{citar livro|\u00faltimo =Hayter|primeiro =Augy|t\u00edtulo=Fictions and Factions|publicado=Tractus Books|ano=2002|local=Reno, NV/Paris, France|p\u00e1ginas=177, 201|isbn=2-909347-14-1}} Ap\u00f3s a morte de Idries Shah em 1996, um bom n\u00famero de seus alunos se afiliaram ao movimento de Omar Ali-Shah.{{citar livro|\u00faltimo =Malik|primeiro =Jamal|autor2 =Hinnells, John R. (eds.)|t\u00edtulo=Sufism in the West|publicado=Routledge Taylor & Francis Group|ano=2006|local=London, UK/New York, NY|p\u00e1gina=30|isbn=0-415-27407-9}}\n\nUma das filhas de Shah, [[Saira Shah]], tornou-se not\u00e1vel em 2001 por sua reportagem sobre os direitos das mulheres no Afeganist\u00e3o em seu document\u00e1rio \"Beneath the Veil\" O filho de Shah, [[Tahir Shah]], \u00e9 um conhecido escritor sobre viagens, jornalista e aventureiro.\n\n== Rece\u00e7\u00e3o ==\nOs livros de Shah sobre Sufismo alcan\u00e7aram consider\u00e1vel aclama\u00e7\u00e3o da cr\u00edtica. Ele foi o tema de um document\u00e1rio da [[BBC]] (Um Par de Olhos) em 1969, e dois de seus trabalhos ([[The Way of the Sufi|O Caminho do Sufi]] e Reflex\u00f5es) foram escolhidos como \"Livro Destaque do Ano\" pelo programa da [[BBC]] \"Os Cr\u00edticos\".{{citar jornal\n|\u00faltimo = Lessing\n|primeiro = Doris\n|autor2 = Elwell-Sutton, L. P.\n|t\u00edtulo= Letter to the Editors by Doris Lessing, with a reply by L. P. Elwell-Sutton\n|obra= [[The New York Review of Books]]\n|publicado=\n|data= 1970-10-22\n| url = http://www.nybooks.com/articles/10797\n|acessodata= 2008-11-05}} Entre outras honras, Shah ganhou seis primeiros pr\u00e9mios no Livro do Ano Mundial da [[UNESCO]] em 1973,{{citar livro\n|autorlink =\n|t\u00edtulo= The Middle East and North Africa\n|publicado= Europa Publications Limited, Taylor & Francis Group, International Publications Service\n|ano= 1988\n|p\u00e1gina= 952\n| isbn = 978-0-905118-50-5}} e o [[estudioso isl\u00e2mico]] [[James Kritzeck]], comentando o livro [[Tales of the Dervishes|Contos dos Dervixes]] de Shah, disse que foi \"belamente traduzido\".\n\nUma cole\u00e7\u00e3o de avalia\u00e7\u00f5es positivas do trabalho de Shah intitulada Estudos Sufi: Oriente e Ocidente, publicado em 1973, incluiu, entre outros, contribui\u00e7\u00f5es de LF Rushbrook Williams, [[Rom Landau]], [[Mohammad Hidayatullah]], Gyula Germano, [[Sir John Glubb]], Sir [[Razik Fareed]], [[Ishtiaq Hussain Qureshi]], [[Ahmet Emin Yalman]], Mahmoud Youssef Shawarbi e Nasrollah S. Fatemi.''Sufi Studies: East and West'', edited by Professor L.F. Rushbrook Williams, E.P.Dutton & Co., 1974.\n\n[[Colin Wilson]] afirmou que \"em parte atrav\u00e9s de Idries Shah eu comecei a ver algumas implica\u00e7\u00f5es bastante novas e interessantes [sobre o tema do misticismo]\"''The Nature of Religious Man'', edited by D.B. Fry, Octagon Press, London, 1982, p. 99. e na sua revis\u00e3o de O Monast\u00e9rio M\u00e1gico (1972) ele observou que Shah \"n\u00e3o est\u00e1 primariamente preocupado com a propaga\u00e7\u00e3o de alguma doutrina secreta. Ele est\u00e1 focalizado no m\u00e9todo pelo qual o conhecimento m\u00edstico \u00e9 transmitido ... [Os Sufis] transmitem conhecimento atrav\u00e9s da intui\u00e7\u00e3o direta na maneira dos mestres Zen, e um dos principais meios de fazer isso \u00e9 por meio de breves hist\u00f3rias e par\u00e1bolas que de maneira sutil v\u00e3o habitando [ingl\u00eas: work their way into] o subconsciente, onde ativam as for\u00e7as escondidas dela\".\"Worlds of Magic\", in ''Books and Bookmen'', June 1972, vol 17, no. 9, issue #201.\n\nNo Afeganist\u00e3o, o [[Kabul Times]] disse que Caravana de Sonhos (1968) era \"altamente recomendado\" e \"de especial interesse para os afeg\u00e3os\", porque \u00e9 \"basicamente uma antologia de contos curtos, est\u00f3rias e prov\u00e9rbios, piadas e extratos, a partir da literatura escrita e oral que forma uma parte de conversa\u00e7\u00f5es e interc\u00e2mbios de muitas noites - mesmo nestes tempos modernos - no Afeganist\u00e3o.\"Kabul Times, May 13, 1973, p. 3. O jornal Afghanistan News reportou que Os Sufis \"\u2026cobre importantes contribui\u00e7\u00f5es Afeg\u00e3os \u00e0 filosofia e ci\u00eancia mundiais\", e que era \"o primeiro livro totalmente autoritativo sobre o Sufismo e o sistema para o desenvolvimento humano criado pelos dervixes.\"The Afghanistan News, May 1964, vol 7, no. 81 Quanto \u00e0s d\u00favidas sobre a origem e credenciais de Shah, o [[Sardar Haji Faiz Muhammad Khan Zikeria]], um acad\u00eamico afeg\u00e3o que serviu como Ministro de Educa\u00e7\u00e3o de Afeganist\u00e3o publicou na d\u00e9cada 70 uma Declara\u00e7\u00e3o not\u00f3ria notarizada para os acad\u00eamicos do mundo sobre a fam\u00edlia Shah: \"Os Sayyids Musavi do Afeganist\u00e3o e os Khans de Paghman s\u00e3o reconhecidos como descendentes do Profeta - que a paz esteja com ele. S\u00e3o reconhecidos como membros da descend\u00eancia mais nobre de Isl\u00e3 e respeitados como maestros Sufi e como acad\u00eamicos eruditos. Saiyyid Idries Shah, filho do finado Sayid Ikbal Ali Shah, conhecido pessoalmente por mim como homem honrado cujo grau, t\u00edtulos e descend\u00eancia s\u00e3o atestados e reconhecidos por reputa\u00e7\u00e3o.\"Spirituality, Science and Psychology in the Sufi Way\" in Sufi Studies: East and West, edited by Professor L.F. Rushbrook Williams, E.P. Dutton & Co., 1974, p. 116\n\nEm 1980, o professor [[Khalilullah Khalili]], ex-poeta laureado do Afeganist\u00e3o, elogiou o trabalho do seu \"compatriota e amigo, o Arif (Iluminado Sufi) Saiyyid Idries Shah\", dizendo que \"Especialmente para ser apreciado s\u00e3o os seus servi\u00e7os brilhantes e importantes na revela\u00e7\u00e3o das inspira\u00e7\u00f5es celestiais e pensamentos interiores dos grandes mestres e Sufis do Isl\u00e3. \"{{Citar web|url=http://www.octagonpress.com/titles/LI/qukhpage02.htm |t\u00edtulo=Archived copy |acessodata=20 de agosto de 2012 |deadurl=yes |arquivourl=https://web.archive.org/web/20150602033731/http://www.octagonpress.com/titles/LI/qukhpage02.htm |arquivodata=2 de junho de 2015 }}\n\nO [[Hindustan Standard]] da \u00cdndia descreveu Caravana de Sonhos como uma \"\u00f3tima antologia, que se pode consultar a qualquer momento para o entretenimento, efeito saud\u00e1vel, consolo e inspira\u00e7\u00e3o ... espirituoso, cativante, totalmente e atraentemente humana\".\"Oriental Wisdom\" in ''Hindustan Standard'', 4th of January, 1970.\n\nO [[The Institute for Cross-cultural Exchange|Instituto de Interc\u00e2mbio Multicultural]] (ICE, sigla de Institute for Cross-cultural Exchange), uma institui\u00e7\u00e3o de [[Canadian|caridade]] canadense fundada em 2004, escolheu os livros infantis de Idries Shah para distribuir a milhares de crian\u00e7as carentes no Canad\u00e1, [[Mexico|M\u00e9xico]] e Afeganist\u00e3o, como parte do programa de [[literacy|alfabetiza\u00e7\u00e3o]] de crian\u00e7as e promo\u00e7\u00e3o de interc\u00e2mbios culturais. Esta s\u00e9rie de livros \u00e9 publicada pela Hoopoe Books, uma iniciativa sem fins lucrativos fundada pelo [[Psychology|psic\u00f3logo]] americano [[Robert Ornstein]], o [[Institute for the Study of Human Knowledge|Instituto para o Estudo do Conhecimento Humano]] (ISHK).{{Citar web\n | \u00faltimo = Staff\n | t\u00edtulo = Children's Literacy: About ICE: Who We Are\n | publicado = The Institute for Cross-cultural Exchange\n | data = 2015\n | url = http://www.iceeducation.org/aboutIceWeAre.html\n |arquivourl= https://web.archive.org/web/20151217112851/http://www.iceeducation.org/aboutIceWeAre.html\n |arquivodata=17 de dezembro de 2015\n |acessodata=17 de dezembro de 2015\n}}{{citar jornal\n |autor = Zada\n |primeiro = John\n |t\u00edtulo= Helping to Close the Literacy Gap\n |jornal= Viewpoint\n |publicado= Canadian Pensioners Concerned, Inc.\n |local= [[Toronto]], [[Canad\u00e1]]\n |data=dezembro de 2012\n | volume = 38\n |n\u00famero= 4\n | url = http://www.canpension.ca/pages/archives/dec12/gap.html\n |arquivourl= https://web.archive.org/web/20151217132259/http://www.canpension.ca/pages/archives/dec12/gap.html\n |arquivodata=17 de dezembro de 2015\n |acessodata=17 de dezembro de 2015}} ISHK prov\u00ea esses livros para crian\u00e7as carentes por meio de sua pr\u00f3pria iniciativa, Compartilhar Alfabetiza\u00e7\u00e3o.{{Citar web\n | \u00faltimo = Staff\n | t\u00edtulo = About Share Literacy\n | publicado = [[Institute for the Study of Human Knowledge]]\n | data = 2015\n | url = http://www.shareliteracy.org/about.htm\n |arquivourl= https://web.archive.org/web/20151219115826/http://www.shareliteracy.org/about.htm\n |arquivodata=19 de dezembro de 2015\n |acessodata=19 de dezembro de 2015}}\n\n=== Textos \"Shah-escola\" ===\nUm cr\u00edtico hostil foi [[James Moore (Cornish author)|James Moore]], um gurdjieffiano que n\u00e3o concordou com a afirma\u00e7\u00e3o de Shah de que o ensinamento de [[Gurdjieff]] era de natureza essencialmente Sufi, e criticou a publica\u00e7\u00e3o de um livro sobre o assunto, escrito sob pseud\u00f4nimo e com conex\u00e3o a Shah, como cronologicamente imposs\u00edvel ([[The Teachers of Gurdjieff|Os Maestros de Gurdjieff]], por Rafael Lefort). Em um artigo de 1986 em Religion Today (Religi\u00e3o Hoje; agora O Jornal de Religi\u00e3o Contempor\u00e2nea), Moore cobriu as controv\u00e9rsias Bennett e Graves e observou que Shah estava cercado por uma \"aur\u00e9ola de adula\u00e7\u00e3o exorbitante: uma adula\u00e7\u00e3o que ele pr\u00f3prio ati\u00e7ava.\"{{citar peri\u00f3dico\n|\u00faltimo = Moore\n|primeiro = James\n|autorlink = James Moore (Cornish author)\n|t\u00edtulo= Neo-Sufism: The Case of Idries Shah\n|peri\u00f3dico= Religion Today\n| volume = 3\n|n\u00famero= 3\n|ano= 1986\n| url = http://www.gurdjieff-legacy.org/40articles/neosufism.htm}} Ele descreveu Shah como pessoa apoiada por um \"c\u00edrculo de jornalistas, editores, cr\u00edticos, animadores, radialistas e escritores de viagens de conveni\u00eancia, que cantam em coro seus entusiasmados elogios a Shah\". Moore questionou a suposta heran\u00e7a e educa\u00e7\u00e3o Sufi e deplorou o corpo de escritos pseud\u00f4nimos \"Shah-escola\" de tais autores como \"Omar Michael Burke, Ph. D.\" e \"Hadrat BM Dervish\", que a partir de 1960 empilhavam elogios destemperados - ostensivamente a partir de gente desinteressada - sobre Shah, referindo-se a ele como o \"Tariqa Grande Sheikh Idries Shah Saheb\", \"Pr\u00edncipe Idries Shah\", \"King Enoch\", \"A Presen\u00e7a\", \"o Rei Estudioso\", a \"encarna\u00e7\u00e3o de Ali\", e at\u00e9 mesmo o [[Qutub (Sufism)|Qutb]] ou \"Eixo\" - todos em apoio aos esfor\u00e7os incipientes do Shah para comercializar o Sufismo para um p\u00fablico ocidental.\n\nPeter Wilson comentou de maneira semelhante sobre a \"muito m\u00e1 qualidade\" de muito que tinha sido escrito em apoio a Shah, notando um \"estilo infelizmente bajulador\", afirma\u00e7\u00f5es de que Shah possu\u00eda v\u00e1rias habilidades [[paranormal|paranormais]], \"um tom de superioridade; uma atitude, \u00e0s vezes presun\u00e7oso, condescendente, ou de pena, para com aqueles 'por fora', e a aparente aus\u00eancia de qualquer motiva\u00e7\u00e3o para fundamentar as alega\u00e7\u00f5es que podem ser pensadas como merecedores de tal tratamento\". Na sua opini\u00e3o, havia uma \"acentuada diferen\u00e7a de qualidade entre os escritos da autoria de Shah\" e a qualidade desta literatura secund\u00e1ria.{{citar livro\n|\u00faltimo = Wilson\n|primeiro = Peter\n| editor = [[Peter B. Clarke]]\n|autorlink =\n|cap\u00edtulo= The Strange Fate of Sufism in the New Age\n|t\u00edtulo= New Trends and Developments in the World of Islam\n|publicado= Luzac Oriental\n|ano= 1998\n|local= London\n|p\u00e1ginas= 189\u2013191\n| isbn = 1-898942-17-X}} Tanto Moore como Wilson, no entanto, tamb\u00e9m notaram semelhan\u00e7as de estilo, e consideraram a possibilidade de que grande parte desse trabalho sob pseud\u00f3nimo, frequentemente publicada pela Octagon Press, a editora do pr\u00f3prio Shah, poderia ter sido escrito por ele mesmo.\n\nArgumentando em favor de uma interpreta\u00e7\u00e3o alternativa desta literatura, o erudito religioso Andrew Rawlinson prop\u00f4s que em vez de uma \"decep\u00e7\u00e3o claramente a servi\u00e7o do ego\", isto pode ter sido um \"disfarce - algo que, por defini\u00e7\u00e3o, deveria ser analisado com clareza\". Afirmando que \"uma cr\u00edtica de posi\u00e7\u00f5es arreigadas n\u00e3o pode ser, ela pr\u00f3pria, expressada em termos fixos e doutrinais\" e, enfatizando que a inten\u00e7\u00e3o de Shah tinha sido sempre a de minar falsas certezas, ele argumentou que o \" mito Shah \" criado por tais textos, pode em si mesmo ter sido uma ferramenta de ensino em vez de uma ferramenta de oculta\u00e7\u00e3o; algo \"feito para ser desconstru\u00eddo - algo que deve mesmo dissolver quando voc\u00ea o toca\".{{citar livro\n|\u00faltimo = Rawlinson\n|primeiro = Andrew\n|t\u00edtulo= The Book of Enlightened Masters: Western Teachers in Eastern Traditions\n|publicado= Open Court\n|ano= 1997\n|local= Chicago and La Salle, IL\n|p\u00e1gina= 525\n| isbn = 0-8126-9310-8}} Rawlinson concluiu que Shah \"n\u00e3o pode ser avaliado atrav\u00e9s do aspecto exterior (at face value). At\u00e9 que seus pr\u00f3prios axiomas impedem mesmo a possibilidade disso.\"\n\n=== Avalia\u00e7\u00e3o ===\n[[Imagem:Doris lessing 20060312 (jha).jpg|thumb|direita|260px|Vencedor do pr\u00eamio Nobel [[Doris Lessing]] foi profundamente influenciado por Shah.]]\nDoris Lessing, entre os mais eminentes dos defensores de Shah, afirmou em entrevista em 1981,\"Eu conclu\u00ed que o Sufismo como ensinado por Idries Shah, que se declara uma reintrodu\u00e7\u00e3o de um antigo ensinamento, \u00e9 apropriado a este tempo e lugar.\" N\u00e3o se trata de algo regurgitado do Oriente nem aguado pelo Isl\u00e3, nem nada pelo estilo.\" Comentando a morte de Shah em 1996 no The Daily Telegraph, ela disse que conheceu Shah por causa de \"[[Os Sufis]]\", que foi para ela o livro mais surpreendente que havia lido.ref name=\"Lessingon\">{{Citar web|\u00faltimo=Lessing|primeiro=Doris|autorlink=Doris Lessing|t\u00edtulo=On the Death of Idries Shah|obra=dorislessing.org|url=http://www.dorislessing.org/on.html|acessodata=3 de outubro de 2008}} Descrevendo a obra de Shah como um \"fen\u00f4meno como nada que existe no nosso tempo,\" o caracterizou como homem de muitas facetas, a pessoa mais graciosa que ela poderia conhecer, gentil, generoso, modesto (ela o cita dizendo, \"N\u00e3o reparem tanto meu rosto, mas tomem o que tenho na minha m\u00e3o\"), e seu bom amigo e maestro por mais que 30 anos.\n\n[[Arthur J. Deikman]], professor de psiquiatria e pesquisador de longa data na \u00e1rea de [[medita\u00e7\u00e3o]] e mudan\u00e7a de consci\u00eancia, come\u00e7ou seu estudo das hist\u00f3rias de ensino Sufi no in\u00edcio dos anos setenta. Ele expressou a opini\u00e3o de que os psicoterapeutas Ocidentais bem podiam se aproveitar da perspectiva provida pelo Sufismo e a ess\u00eancia universal dele, se estudassem materiais adequados de maneira e sequ\u00eancia corretas.{{citar livro|\u00faltimo =Boorstein|primeiro =Seymour (ed.)|t\u00edtulo=Transpersonal Psychotherapy|publicado=State University of New York Press|ano=1996|local=Albany, NY|p\u00e1ginas=241, 247|isbn=0-7914-2835-4}} J\u00e1 que os escritos e tradu\u00e7\u00f5es de Shah sobre as hist\u00f3rias de ensino Sufi foram criados com este prop\u00f3sito em mente, ele os recomendava \u00e0s pessoas interessadas em avaliar este material por si mesmos. Notou, outrossim, que muitas autoridades haviam aceitado a posi\u00e7\u00e3o de Shah como porta-voz do Sufismo contempor\u00e2neo. O psic\u00f3logo e pesquisador no campo de consci\u00eancia [[Charles Tart]] comentou que os textos de Shah haviam \"produzidos uma aprecia\u00e7\u00e3o sobre de que se trata a psicologia mais profundo do que qualquer outro j\u00e1 escrito.{{citar livro|\u00faltimo =Wilson|primeiro =Peter|editor=[[Peter B. Clarke]]|cap\u00edtulo=The Strange Fate of Sufism in the New Age|t\u00edtulo=New Trends and Developments in the World of Islam|publicado=Luzac Oriental|ano=1998|local=London, UK|p\u00e1gina=195|isbn=1-898942-17-X}}\n\nPerguntado sobre sua avalia\u00e7\u00e3o de Shah em 1973, [[J.G. Bennett]] disse que Shah estava fazendo um importante trabalho em larga escala, \"mexendo com as pessoas de maneira muito eficaz e em muitos lugares, estimulando-os a pensar, mostrando-lhes que os modos de pensamento que parecem ser livres s\u00e3o na verdade em grande parte condicionados.\" Referiu-se a Shah como o [[Krishnamurti]] do Sufismo, rompendo as ideias fixas das pessoas em muitas dire\u00e7\u00f5es, como parte de um processo de despertar que \u00e9 \"um preparo muito necess\u00e1rio para o novo mundo.\"{{Citar web|\u00faltimo=Bennett|primeiro=J.G.|t\u00edtulo=Gurdjieff: Making a New World|publicado=Bennett Books|data=23 de novembro de 1973|url=http://www.bennettbooks.org/store/merchant.mvc?Screen=PROD&Store_Code=BB&Product_Code=CDPT2-BL&Category_Code=110|formato=audio cd|acessodata=17 de outubro de 2012|arquivourl=https://web.archive.org/web/20150402140546/http://www.bennettbooks.org/store/merchant.mvc?Screen=PROD&Store_Code=BB&Product_Code=CDPT2-BL&Category_Code=110|arquivodata=2015-04-02|urlmorta=yes}}\n\nO fil\u00f3sofo e m\u00edstico indiano, [[Osho]], comentando o trabalho de Shah, descreveu Os Sufis como, \"Realmente, um diamante. O valor do que ele fez em Os Sufis \u00e9 imensur\u00e1vel\". Ele acrescentou que Shah foi \"o homem que introduziu Mulla Nasrudin ao Ocidente, e ele fez um servi\u00e7o incr\u00edvel. Imposs\u00edvel recompens\u00e1-lo. [...] Idries Shah tornou as mais pequenas anedotas de Nasrudin ainda mais bonitas ... [ele] n\u00e3o s\u00f3 tem a capacidade de traduzir exatamente as par\u00e1bolas, mas embelez\u00e1-las tamb\u00e9m, torn\u00e1-las mais comoventes, mais n\u00edtidas.\"{{citar livro|\u00faltimo =Osho|autorlink =Osho (Bhagwan Shree Rajneesh)|t\u00edtulo=Books I Have Loved|publicado=Tao Publishing Pvt. Ltd|ano=2005|local=Pune, India|p\u00e1ginas=127\u201328|isbn=81-7261-102-1}}\n\nRichard Smoley e [[Jay Kinney]], escrevendo em Sabedoria Oculta: Um Guia \u00e0s Tradi\u00e7\u00f5es Interiores Ocidentais (2006), definiram o livro de Shah Os Sufis como \"Uma introdu\u00e7\u00e3o ao Sufismo extremamente abrangente e de f\u00e1cil leitura\", acrescentando que \"O ponto de vista do pr\u00f3prio Shah \u00e9 evidente em todo, e algumas afirma\u00e7\u00f5es hist\u00f3ricas podem ser discutidas (n\u00e3o h\u00e1 notas de rodap\u00e9), mas nenhum outro livro \u00e9 t\u00e3o bem sucedido como este em provocar interesse no Sufismo por parte do leitor geral.\"{{citar livro|\u00faltimo =Smoley|primeiro =Richard|autor2 =Kinney, Jay|t\u00edtulo=Hidden Wisdom: A Guide to the Western Inner Traditions|publicado=Quest Books|ano=2006|local=Wheaton, IL/Chennai, India|p\u00e1ginas=250\u201351|isbn=0-8356-0844-1}} Eles descreveram Aprender a Aprender, uma cole\u00e7\u00e3o de entrevistas, palestras e ensaios curtos, como uma das melhores obras de Shah, proporcionando uma s\u00f3lida orienta\u00e7\u00e3o para sua abordagem \"psicol\u00f3gica\" ao trabalho Sufi, observando que em seu melhor trabalho, \"Shah prov\u00ea novas percep\u00e7\u00f5es [insights] que inoculam os estudantes contra muitos absurdos do mercado espiritual\".\n\nEm seu livro sobre as necessidades emocionais inatas, Necessidades B\u00e1sicas Humanas: Uma nova Abordagem \u00e0 Sa\u00fade Emocional e ao Pensamento Claro, [Human Givens: A New Approach to Emotional Health and Clear Thinking] [[Human Givens|Ivan Tyrrell]] e o psic\u00f3logo social Joe Griffin escrevem que Shah \"\u2026mais do que qualquer outro, compreendeu e apreciou o real significado das necessidades b\u00e1sicas da natureza humana \".Griffin, J; Tyrrell, I. (2004) ''Human Givens: A new approach to emotional health and clear thinking.'' HG Publishing.ISBN 1-899398-31-7\" Em outro livro, Divindade: o Big Bang do C\u00e9rebro - A Origem Explosiva de Criatividade, Misticismo e Doen\u00e7a Mental, dizem que as hist\u00f3rias de Shah\", quando narrados a jovens e velhos por igual [...] estabelecem modelos na mente n\u00e3o s\u00f3 para viver e superar as dificuldades cotidianas, mas tamb\u00e9m para percorrer o caminho espiritual. Seu impacto pode n\u00e3o ser reconhecido ou sentido por meses ou anos ap\u00f3s a primeira audi\u00e7\u00e3o ou leitura, mas, eventualmente, o conte\u00fado estrutural que cont\u00eam ir\u00e1 de encontro \u00e0 capacidade natural do c\u00e9rebro de reconhecer formas e modelos e combin\u00e1-los, tornando poss\u00edvel para os alunos a observa\u00e7\u00e3o do funcionamento das suas pr\u00f3prias respostas emocionais, que s\u00e3o pr\u00e9-condicionadas aos c\u00e2mbios de circunst\u00e2ncias de vida. Isso torna mais f\u00e1cil a tomada de qualquer a\u00e7\u00e3o que seja na realidade necess\u00e1ria, e facilita a conex\u00e3o da mente a dimens\u00f5es mais elevadas. As hist\u00f3rias de ensino devem ser lidas, narradas e contempladas sem an\u00e1lise intelectual, porque isso destr\u00f3i o impacto ben\u00e9fico que de outra forma teria brotado na mente. \"Shah\", acrescentam, foi \"\u2026um grande colecionador e editor de contos e textos que cont\u00eam o aspecto 'impacto a longo prazo'. Ele entendia a import\u00e2ncia vital para a humanidade da fun\u00e7\u00e3o delas como \"modelos mentais\", e seus livros est\u00e3o cheios de exemplos nutritivos disso\".Griffin, J; Tyrrell, I. (2011) ''Godhead: The Brain's Big Bang \u2013 The explosive origin of creativity, mysticism and mental illness''.; ISBN 978-1-899398-27-0\n\nOlav Hammer observa que nos \u00faltimos anos de Shah, quando a generosidade de admiradores o fez verdadeiramente rico, e ele tinha se tornado uma figura respeitada entre os altos escal\u00f5es da sociedade brit\u00e2nica, controv\u00e9rsias surgiram devido a discrep\u00e2ncias entre os dados autobiogr\u00e1ficos - o mencionar de parentesco com o profeta [[Muhammad|Maom\u00e9]], afilia\u00e7\u00f5es com uma ordem secreta Sufi na [[Central Asia|\u00c1sia Central]], ou a tradi\u00e7\u00e3o em que Gurdjieff foi ensinado - e fatos hist\u00f3ricos recuper\u00e1veis. Embora possa ter existido um elo de parentesco com o profeta [[Muhammad|Maom\u00e9]], o n\u00famero de pessoas que compartem essa liga\u00e7\u00e3o, hoje, 1300 anos mais tarde, seria pelo menos um milh\u00e3o. Outros elementos da autobiografia de Shah pareciam ter sido pura fic\u00e7\u00e3o. Mesmo assim, Hammer observou que os livros de Shah continuam com demanda por parte do p\u00fablico, e que ele tem desempenhado \"um papel significativo na representa\u00e7\u00e3o da ess\u00eancia do Sufismo como uma destila\u00e7\u00e3o individualista, afirmativa de vida, duma sabedoria espiritual n\u00e3o-confessional\".\n\nPeter Wilson escreveu que se Shah tivesse sido um vigarista, tinha sido \"extremamente talentoso\" nisso porque, ao contr\u00e1rio dos escritores meramente comerciais, tinha tido tempo para produzir um sistema elaborado, e internamente consistente, que atraiu \"toda uma gama de pessoas mais ou menos eminentes e tinha \"provocado e estimulado pensamento em muitos, e diversos, setores\". Moore reconheceu que Shah tinha feito algo, que podia ser caracterizado como uma contribui\u00e7\u00e3o, ao popularizar um Sufismo [[humanism|humanista]], e que tinha \"trazido energia e recursos ao servi\u00e7o de seu auto engrandecimento\", mas ele acaba concluindo, de maneira devastadora, que o Sufismo de Shah era \"um Sufismo sem auto sacrif\u00edcio sem autotransced\u00eancia, sem aspirar a [[gnose]]s, sem tradi\u00e7\u00e3o, sem o Profeta, sem o Alcor\u00e3o, sem Isl\u00e3, e sem Deus. S\u00f3 isso.\"\n\nGore Vidal opinou que os livros de Shah \"s\u00e3o muito mais dif\u00edceis de ler do que eram para escrever.\"{{citar livro|autor =Christopher Hitchens|t\u00edtulo=Arguably|url=https://books.google.com/books?id=2f9ECP49MLIC&pg=PT61|acessodata=2 de setembro de 2012|publicado=Atlantic Books|isbn=978-0-85789-257-7|p\u00e1gina=61}}\n\n==== Controv\u00e9rsia sobre Os Sufis ====\nA recep\u00e7\u00e3o do movimento de Shah tamb\u00e9m foi marcado por controv\u00e9rsia. Alguns orientalistas eram hostis, em parte porque Shah apresentava textos cl\u00e1ssicos Sufi como ferramentas para o autodesenvolvimento a serem usados por pessoas contempor\u00e2neas, e n\u00e3o como objetos de estudo hist\u00f3rico.{{citar jornal\n|\u00faltimo = Cecil\n|primeiro = Robert\n|t\u00edtulo= Obituary: Idries Shah\n|obra= [[The Independent]]\n|publicado=\n|data= 1996-11-26\n| url = http://www.independent.co.uk/news/people/obituary-idries-shah-1354309.html\n|acessodata= 2008-11-05\n|local=London}}\n\nA introdu\u00e7\u00e3o de Graves para Os Sufis, escrito com a ajuda de Shah, descreveu Shah como sendo \"na linha masculina mais alta de descend\u00eancia do [[prophet Mohammed|profeta Maom\u00e9]]\" e como tendo herdado \"mist\u00e9rios secretos dos [[Caliphs|califas]], seus antepassados. Ele \u00e9, de fato, um Grande Sheikh da [[Tariqa]] Sufi ... \"{{citar livro|\u00faltimo =O'Prey|primeiro =Paul|t\u00edtulo=Between Moon and Moon \u2013 Selected Letters of Robert Graves 1946\u20131972|publicado=Hutchinson|ano=1984|p\u00e1ginas=214, 269|isbn=0-09-155750-X}} Particularmente, no entanto, escrevendo a um amigo, Graves confessou que isso era \"enganoso: ele \u00e9 um de n\u00f3s, n\u00e3o uma personagem mu\u00e7ulmana.\" A introdu\u00e7\u00e3o n\u00e3o est\u00e1 inclu\u00eddo em edi\u00e7\u00f5es da imprensa Octagon do livro depois de 1983, mas sempre tem sido inclu\u00edda nas edi\u00e7\u00f5es Anchor / Doubleday.{{Citar web|url=http://www.abebooks.com/servlet/SearchResults?kn=idries+shah+the+sufis+robert+graves&sts=t |t\u00edtulo=Idries Shah the Sufis Robert Graves |website=AbeBooks.com |data= |acessodata=2016-03-27}}{{citar livro|url=http://www.amazon.com/Sufis-Idries-Shah/dp/0385079664/ref=sr_1_1?s=books&ie=UTF8&qid=1345445513&sr=1-1&keywords=the+sufis+idries+shah |t\u00edtulo=The Sufis |autor1 =Idries Shah |autor2 =Robert Graves |isbn=978-0-385-07966-2 |website=Amazon.com |data= |acessodata=2016-03-27}}\n\nOutrossim, o cr\u00edtico mais feroz de Shah, o estudioso LP Elwell-Sutton da Universidade de Edimburgo, em um artigo de 1975, criticou o que ele chamou de \"pseudo-Sufis\" como [[Gurdjieff]] e Shah, opinou que Graves estava tentando \"elevar\" a \"linhagem bastante med\u00edocre\" do Shah, e que a refer\u00eancia \u00e0 linha masculina mais alta de de descendentes de Moam\u00e9 era uma \"gafe bastante infeliz\", porque os filhos de Maom\u00e9 haviam morrido na inf\u00e2ncia. Embora Elwell-Sutton aceitou que a fam\u00edlia eram [[Sa\u00eddidas]] descendentes do s\u00e9timo [[Imame]] {{ilc|Mu\u00e7a Alcadim||Musa al-Kadhim}}, o tetraneto de [[Huceine ibne Ali]], que era o filho mais novo do casamento de [[F\u00e1tima (filha de Maom\u00e9)|F\u00e1tima]] (a filha do Profeta) e [[Ali]], ele considerou isso uma \"linhagem med\u00edocre\" sem santidade especial, porque \"os Sa\u00eddidas proliferam em todo o mundo isl\u00e2mico, em todas as esferas da sociedade e em ambos os lados de todas as barreiras religiosas e pol\u00edticas.\"{{citar peri\u00f3dico|\u00faltimo =Elwell-Sutton|primeiro =L. P.|data=maio de 1975|t\u00edtulo=Sufism & Pseudo-Sufism|peri\u00f3dico=Encounter|volume=XLIV|n\u00famero=5|p\u00e1gina=14}}{{citar livro|\u00faltimo =O'Prey|primeiro =Paul|t\u00edtulo=Between Moon and Moon \u2013 Selected Letters of Robert Graves 1946\u20131972|publicado=Hutchinson|ano=1984|p\u00e1ginas=311\u2013312|isbn=0-09-155750-X}} Ele descreveu os livros de Shah como \"triviais\", repletos de erros de fato, tradu\u00e7\u00f5es desleixadas e imprecisos e at\u00e9 mesmo erros na ortografia de nomes e palavras orientais - \"uma confus\u00e3o de platitudes, irrelev\u00e2ncias e simples balela\", acrescentando, como para caprichar, que Shah tinha \"uma opini\u00e3o not\u00e1vel de sua pr\u00f3pria import\u00e2ncia\".{{citar jornal\n|\u00faltimo = Elwell-Sutton\n|primeiro = L. P.\n|t\u00edtulo= Mystic-Making\n|obra= [[The New York Review of Books]]\n|data=2 de julho de 1970\n| url = http://www.nybooks.com/articles/10908\n|acessodata=5 de novembro de 2008\n}} Ele adotou uma vis\u00e3o sombria do festschrift que Rushbrook Williams promoveu em homenagem a Shah, dizendo que ele considerava muitas das afirma\u00e7\u00f5es feitas no livro em nome de Shah e seu pai, sobre sua representa\u00e7\u00e3o da tradi\u00e7\u00e3o Sufi, como publicidade no servi\u00e7o deles mesmos e marcado por um \"charmoso desrespeito pelos fatos\".{{citar peri\u00f3dico|\u00faltimo =Elwell-Sutton|primeiro =L. P.|ano=1976|t\u00edtulo=Review of: Sufi Studies: East and West by L. F. Rushbrook Williams|peri\u00f3dico=Folklore|publicado=[[Taylor & Francis]]|volume=87|n\u00famero=1|p\u00e1ginas=120\u201321}}{{citar peri\u00f3dico|\u00faltimo =Elwell-Sutton|primeiro =L. P.|data=maio de 1975|t\u00edtulo=Sufism & Pseudo-Sufism|peri\u00f3dico=Encounter|volume=XLIV|n\u00famero=5|p\u00e1ginas=12\u201316}} Expressando divertimento e espanto em rela\u00e7\u00e3o ao \"modo bajulador\" dos interlocutores de Shah em entrevista no r\u00e1dio BBC, Elwell-Sutton concluiu que alguns intelectuais ocidentais eram \"t\u00e3o desesperados para encontrar respostas para as perguntas que os confundam, que, confrontado com a sabedoria do misterioso leste, 'eles abandonam suas faculdades cr\u00edticas e se submetem \u00e0 lavagem cerebral do tipo mais grosseiro\". Para Elwell-Sutton, o Sufismo de Shah pertencia ao reino do \"pseudo-Sufismo\", \"n\u00e3o centrado em Deus, mas no homem\".{{citar peri\u00f3dico|\u00faltimo =Elwell-Sutton|primeiro =L. P.|data=maio de 1975|t\u00edtulo=Sufism & Pseudo-Sufism|peri\u00f3dico=Encounter|volume=XLIV|n\u00famero=5|p\u00e1gina=16}}\n\n==== Controv\u00e9rsia sobre Omar Khayyam ====\nNo final da d\u00e9cada de 1960 e in\u00edcio da seguinte, Shah foi atacado numa controv\u00e9rsia em torno da publica\u00e7\u00e3o de 1967 de uma nova tradu\u00e7\u00e3o do [[Rubaiyat of Omar Khayyam|Rubaiyat de Omar Khayyam]] feito por Robert Graves e o irm\u00e3o mais velho de Shah, [[Omar Ali-Shah]]. A tradu\u00e7\u00e3o, que apresentou o Rubaiyat como um poema Sufi, foi baseado em uma \"cola\" anotada, supostamente derivada de um manuscrito que tinha estado na posse da fam\u00edlia Shah durante 800 anos.{{citar jornal|url=http://www.time.com/time/magazine/article/0,9171,844564,00.html|t\u00edtulo=Stuffed Eagle at|obra=time.com|acessodata=5 de novembro de 2008|\u00faltimo =Robert Graves|primeiro =Omar Ali-Shah|data=31 de maio de 1968}} L. P. Elwell-Sutton, um orientalista da [[Edinburgh University]|Universidade de Edimburgo]], e outros que analisaram o livro, expressaram sua convic\u00e7\u00e3o de que a hist\u00f3ria do manuscrito antigo era falsa.\n\nGraves esperava que o pai de Shah, o Sirdar [[Ikbal Ali Shah]], apresentasse o manuscrito original para esclarecer o assunto, mas ele morreu em um acidente de carro em [[T\u00e2nger]] em novembro de 1969. Um ano mais tarde, Graves pediu a Idries Shah que produzisse o manuscrito. Shah respondeu em uma carta que o manuscrito n\u00e3o estava em seu poder, mas mesmo se estivesse, produzindo-o n\u00e3o provaria nada, porque n\u00e3o podia ser datado com precis\u00e3o usando os m\u00e9todos atuais e sua autenticidade ainda seria contestada. Shah escreveu que estava na hora, \"de percebermos que as hienas que est\u00e3o fazendo tanto barulho t\u00eam a inten\u00e7\u00e3o exclusiva de opor-se, destruir, e levar a cabo uma campanha em que, vamos encarar a verdade, ningu\u00e9m est\u00e1 realmente escutando.\" Ele acrescentou que seu pai tinha ficado com raiva tanto com os que lan\u00e7avam tais cal\u00fanias que ele se recusava a se envolver com eles, e ele sentia que a resposta de seu pai tinha sido correta. Graves, observando que ele foi percebido amplamente como v\u00edtima de um engano brutal por parte dos irm\u00e3os Shah, e que isso afetava o rendimento das vendas de seus outros livros hist\u00f3ricos, insistiu em que produzir o manuscrito havia se tornado \"uma quest\u00e3o de honra familiar\". Ele pressionou Shah novamente, lembrando-lhe de promessas anteriores de produzir o manuscrito se fosse necess\u00e1rio.\n\nNenhum dos irm\u00e3os jamais produziram o manuscrito, levando o sobrinho e bi\u00f3grafo de Graves a refletir que era dif\u00edcil de acreditar, tendo em conta que os irm\u00e3os Shah tinham \"muitas obriga\u00e7\u00f5es para com Graves, que em primeiro lugar teriam retido o manuscrito, caso alguma vez tivesse existido.\"{{citar livro\n|\u00faltimo = Graves\n|primeiro = Richard Perceval\n|autorlink =\n|t\u00edtulo= Robert Graves and The White Goddess: The White Goddess, 1940\u20131985\n|publicado= Weidenfeld & Nicolson\n|ano= 1995\n|local= London, UK\n|p\u00e1ginas= 446\u2013447, 468\u2013472\n| isbn = 0-231-10966-0}} According to his widow writing many years later, Graves had \"complete faith\" in the authenticity of the manuscript because of his friendship with Shah, even though he never had a chance to view the text in person.{{citar jornal\n|\u00faltimo = Graves\n|primeiro = Beryl\n|t\u00edtulo= Letter to the Editor\n|obra= [[The Independent]]\n|publicado=\n|data= 1996-12-07\n| url = http://www.independent.co.uk/news/people/obituary-idries-shah-1313347.html\n|acessodata= 2008-11-05\n|local=London}} De acordo com sua vi\u00fava, escrevendo muitos anos mais tarde, Graves tinha \"total confian\u00e7a\" por causa de sua amizade com Shah, na autenticidade do manuscrito, mesmo que ele nunca tivesse tido a chance de ver o texto em pessoa. O consenso acad\u00eamico de hoje \u00e9 que o manuscrito \"[[Jan-Fishan Khan]]\" era uma farsa, e que a tradu\u00e7\u00e3o Graves / Ali-Shah era de fato baseada na an\u00e1lise de um estudioso amador Vitoriano.{{citar livro\n|\u00faltimo = Aminrazavi\n|primeiro = Mehdi\n|autorlink =\n|t\u00edtulo= The Wine of Wisdom\n|publicado= Oneworld\n|ano= 2005\n|local= Oxford, UK\n|p\u00e1gina= 155\n| isbn = 1-85168-355-0}}{{citar jornal\n|\u00faltimo = Irwin\n|primeiro = Robert\n|autorlink = Robert Graham Irwin\n|t\u00edtulo= Omar Khayyam's Bible for drunkards\n|publicado= ''[[The Times Literary Supplement]]''\n| url = http://tls.timesonline.co.uk/article/0,,25336-1947980,00.html\n|acessodata= 2008-10-05 |local=London}}\n\n== Obras ==\n=== Magia ===\n* ''[[Oriental Magic]]'' ISBN 0-86304-017-9 (1956)\n* ''[[The Secret Lore of Magic]]'' ISBN 0-8065-0004-2 (1957)\n\n=== Sufismo ===\n* \"Uma Gazela Velada\" ISBN 9788592632076 1\n* ''Reflex\u00f5es'' ISBN 9788592632083\n* \"A Sabedoria dos Idiotas\" ISBN 9788592632090 1\n* \"Aprender a Aprender\" ISBN 9788562064159\n* \"Pensadores do Oriente\" ISBN 9788562064173\n* \"Hist\u00f3rias dos Dervixes\" ISBN 9788562064043\n* \"Um Escorpi\u00e3o Perfumado\" ISBN 9788562064098\n* ''[[Os Sufis]]'' ISBN 0-385-07966-4 (1964)\n* ''[[Tales of the Dervishes]]'' ISBN 0-900860-47-2 (1967)\n* ''[[Caravan of Dreams (livro)|Caravan of Dreams]]'' ISBN 0-86304-043-8 (1968)\n* ''[[Reflections (literatura Sufi)|Reflections]]'' ISBN 0-900860-07-3 (1968)\n* ''[[The Way of the Sufi]]'' ISBN 0-900860-80-4 (1968)\n* ''The Book of the Book'' ISBN 0-900860-12-X (1969)\n* ''[[Wisdom of the Idiots]]'' ISBN 0-86304-046-2 (1969)\n* ''[[The Dermis Probe]]'' ISBN 0-86304-045-4 (1970)\n* ''[[Thinkers of the East \u2013 Studies in Experientialism]]'' ISBN 0-900860-46-4 (1971)\n* ''The Magic Monastery'' ISBN 0-86304-058-6 (1972)\n* ''[[The Elephant in the Dark \u2013 Christianity, Islam and the Sufis]]'' ISBN 0-900860-36-7 (1974)\n* ''A Veiled Gazelle \u2013 Seeing How to See'' ISBN 0-900860-58-8 (1977)\n* ''[[Neglected Aspects of Sufi Study]]'' ISBN 0-900860-56-1 (1977)\n* ''[[Special Illumination: The Sufi Use of Humour]]'' ISBN 0-900860-57-X (1977)\n* ''[[A Perfumed Scorpion]]'' ISBN 0-900860-62-6 (1978)\n* ''[[Learning How to Learn: Psychology and Spirituality in the Sufi Way]]'' ISBN 0-900860-59-6 (1978)\n* ''[[The Hundred Tales of Wisdom]]'' ISBN 0-86304-049-7 (1978)\n* ''Evenings with Idries Shah'' ISBN 0-86304-008-X (1981)\n* ''Letters and Lectures of Idries Shah'' ISBN 0-86304-010-1 (1981)\n* ''Observations'' ISBN 0-86304-013-6 (1982)\n* ''[[Seeker After Truth]]'' ISBN 0-900860-91-X (1982)\n* ''Sufi Thought and Action'' ISBN 0-86304-051-9 (1990)\n* ''[[The Commanding Self]]'' ISBN 0-86304-066-7 (1994)\n* ''[[Knowing How to Know]]'' ISBN 0-86304-072-1 (1998)\n\n==== Cole\u00e7\u00f5es de hist\u00f3rias de Mullah Nasrudin ====\n* \"As Gaiatices do Incr\u00edvel Mul\u00e1 Nasrudin\" ISBN 9788592632113\n* \"As Fa\u00e7anhas do Incompar\u00e1vel Mul\u00e1 Nasrudin\" ISBN 9788592632069\n* \"As Subtilezas do Inimit\u00e1vel Mul\u00e1 Nasrudin\" ISBN 9788592632069\n* ''The Exploits of the Incomparable Mulla Nasrudin'' ISBN 0-86304-022-5 (1966)\n* ''[[The Pleasantries of the Incredible Mulla Nasrudin]]'' ISBN 0-86304-023-3 (1968)\n* ''The Subtleties of the Inimitable Mulla Nasrudin'' ISBN 0-86304-021-7 (1973)\n* ''The World of Nasrudin'' ISBN 0-86304-086-1 (2003)\n\n=== Estudos sobre os ingleses ===\n* ''Darkest England'' ISBN 0-86304-039-X (1987)\n* ''The Natives are Restless'' ISBN 0-86304-044-6 (1988)\n* ''The Englishman's Handbook'' ISBN 0-86304-077-2 (2000)\n\n=== Livros de viagem ===\n* ''[[Destination Mecca]]'' ISBN 0-900860-03-0 (1957)\n\n=== Fic\u00e7\u00e3o ===\n* ''Kara Kush'', London: [[HarperCollins|William Collins Sons and Co., Ltd.]]. ISBN 0-685-55787-1 (1986)\n\n=== Folclore ===\n* ''[[World Tales]]'' ISBN 0-86304-036-5 (1979)\n\n=== Para as crian\u00e7as ===\n* \"As Esposa do Fazendeiro\" ISBN 9788562064029\n* \"O Homem que se Comportava Mal\" ISBN 9788562064036\n* \"A Galinha Boba\" ISBN 9788562064050\n* ''Neem the Half-Boy'' ISBN 1-883536-10-3 (1998)\n* ''The Farmer's Wife'' ISBN 1-883536-07-3 (1998)\n* ''The Lion Who Saw Himself in the Water'' ISBN 1-883536-25-1 (1998)\n* ''The Boy Without A Name'' ISBN 1-883536-20-0 (2000)\n* ''The Clever Boy and the Terrible Dangerous Animal'' ISBN 1-883536-51-0 (2000)\n* ''The Magic Horse'' ISBN 1-883536-26-X (2001)\n* ''The Man With Bad Manners'' ISBN 1-883536-30-8 (2003)\n* ''The Old Woman and The Eagle'' ISBN 1-883536-27-8 (2005)\n* ''The Silly Chicken'' ISBN 1-883536-50-2 (2005)\n* ''Fatima the Spinner and the Tent'' ISBN 1-883536-42-1 (2006)\n* ''The Man and the Fox'' ISBN 1-883536-43-X (2006)\n\n=== Como Arkon Daraul ===\n* ''A History of Secret Societies'' ISBN 0-8065-0857-4 (1961)\n* ''Witches and Sorcerers'' ISBN 0-8065-0267-3 (1962)\n\n=== Entrevistas audio, semin\u00e1rios e palestras ===\n* Shah, Idries, and Pat Williams. ''A Framework for New Knowledge.'' London: Seminar Cassettes, 1973. Sound recording.\n* Shah, Idries. ''Questions and Answers.'' London: Seminar Cassettes, 1973. Sound recording.\n* King, Alexander, Idries Shah, and Aurelio Peccei. ''The World-and Men.'' Seminar Cassettes, 1972. Sound recording.\n* King, Alexander, et al. ''Technology: The Two-Edged Sword.'' London: Seminar Cassettes, 1972. Sound recording.\n* ''Learning From Stories'' (1976 Lecture) ISBN 1-883536-03-0 (1997)\n* ''On the Nature of Sufi Knowledge'' (1976 Lecture) ISBN 1-883536-04-9 (1997)\n* ''An Advanced Psychology of the East'' (1977 Lecture) ISBN 1-883536-02-2 (1997)\n* ''Overcoming Assumptions that Inhibit Spiritual Development''; previously entitled ''A Psychology of the East'' (1976 Lecture) ISBN 1-883536-23-5 (2000)\n\n== Ver tamb\u00e9m ==\n* [[The Idries Shah Foundation]]\n\n== Notas ==\n{{refbegin}}\n\n{{refend}}\n\n== Cita\u00e7\u00f5es ==\n{{Refer\u00eancias|colwidth=30em}}\n\n== Refer\u00eancias ==\n* {{citar livro\n|\u00faltimo = Archer\n|primeiro = Nathaniel P.\n|t\u00edtulo= Idries Shah, Printed Word International Collection 8\n|publicado= Octagon Press\n|ano= 1977\n|local= London, UK\n| isbn = 0-86304-000-4}}\n* {{citar livro\n|\u00faltimo = Bennett\n|primeiro = John G.\n|autorlink = John G. Bennett\n|t\u00edtulo= Witness: The autobiography of John G. Bennett\n|publicado= Turnstone Books\n|ano= 1975|local=\n| isbn = 0-85500-043-0}}\n* {{citar livro\n|\u00faltimo = Boorstein\n|primeiro = Seymour (ed.)\n|t\u00edtulo= Transpersonal Psychotherapy\n|publicado= State University of New York Press\n|ano= 1996\n|local= Albany, NY\n| isbn = 0-7914-2835-4}}\n* {{citar livro\n|\u00faltimo = Galin\n|primeiro = M\u00fcge\n|t\u00edtulo= Between East and West: Sufism in the Novels of Doris Lessing\n|publicado= State University of New York Press\n|ano= 1997\n|local= Albany, NY\n| isbn = 0-7914-3383-8}}\n* {{citar livro\n|\u00faltimo = Ghali\n|primeiro = Halima\n|t\u00edtulo= Shah, International Press Review Collection 9\n|publicado= BM Sufi Studies\n|ano= 1979|local= London, UK\n}}\n* {{citar livro\n|\u00faltimo = Graves\n|primeiro = Richard Perceval\n|autorlink =\n|t\u00edtulo= Robert Graves and The White Goddess: 1940\u20131985\n|publicado= Weidenfeld & Nicolson\n|ano= 1995\n|local= London, UK\n| isbn = 0-297-81534-2}}\n* {{citar livro\n|\u00faltimo = Lewin\n|primeiro = Leonard\n|autor2 = Shah, Idries\n|t\u00edtulo= The Diffusion of Sufi Ideas in the West\n|publicado= Keysign Press\n|ano= 1972\n|local= Boulder, CO\n}}\n* {{citar livro\n|\u00faltimo = Malik\n|primeiro = Jamal\n|autor2 = Hinnells, John R. (eds.)\n|t\u00edtulo= Sufism in the West\n|publicado= Routledge Taylor & Francis Group\n|ano= 2006\n|local= London, UK/New York, NY\n| isbn = 0-415-27407-9}}\n* {{citar peri\u00f3dico\n|\u00faltimo = Moore\n|primeiro = James\n|autorlink = James Moore (Cornish author)\n|t\u00edtulo= Neo-Sufism: The Case of Idries Shah\n|peri\u00f3dico= Religion Today\n| volume = 3\n|n\u00famero= 3\n|ano= 1986\n}}\n* {{citar livro|\u00faltimo =O'Prey|primeiro =Paul|t\u00edtulo=Between Moon and Moon \u2013 Selected Letters of Robert Graves 1946\u20131972|publicado=Hutchinson|ano=1984|isbn=0-09-155750-X}}\n* {{citar livro\n|\u00faltimo = Rawlinson\n|primeiro = Andrew\n|t\u00edtulo= The Book of Enlightened Masters: Western Teachers in Eastern Traditions\n|publicado= Open Court\n|ano= 1997\n|local= Chicago and La Salle, IL\n| isbn = 0-8126-9310-8}}\n* {{citar livro\n|\u00faltimo = Smith\n|primeiro = Jane I.\n|t\u00edtulo= Islam in America (Columbia Contemporary American Religion Series)\n|publicado= Columbia University Press\n|ano= 1999\n|local= New York, NY/Chichester, UK\n| isbn = 0-231-10966-0}}\n* {{citar livro\n|\u00faltimo = Smoley\n|primeiro = Richard\n|autorlink2 = Jay Kinney\n|autor2 = Kinney, Jay\n|t\u00edtulo= Hidden Wisdom: A Guide to the Western Inner Traditions\n|publicado= Quest Books\n|ano= 2006\n|local= Wheaton, IL/Chennai, India\n| isbn = 0-8356-0844-1\n}}\n* {{citar livro\n|\u00faltimo = Taji-Farouki\n|primeiro = Suha\n|autorlink =\n|autor2 = Nafi, Basheer M. (eds.)\n|t\u00edtulo= Islamic Thought in the Twentieth Century\n|publicado= I.B.Tauris Publishers\n|ano= 2004\n|local= London, UK/New York, NY\n| isbn = 1-85043-751-3}}\n* {{citar livro\n|\u00faltimo = Westerlund\n|primeiro = David (ed.)\n|autorlink =\n|t\u00edtulo= Sufism in Europe and North America\n|publicado= RoutledgeCurzon\n|ano= 2004\n|local= New York, NY\n| isbn = 0-415-32591-9}}\n* {{citar livro\n|\u00faltimo = Wilson\n|primeiro = Peter\n| editor = [[Peter B. Clarke]]\n|autorlink =\n|cap\u00edtulo= The Strange Fate of Sufism in the New Age\n|t\u00edtulo= New Trends and Developments in the World of Islam\n|publicado= Luzac Oriental\n|ano= 1998\n|local= London\n| isbn = 1-898942-17-X\n}}\n* {{citar livro\n|\u00faltimo = Wintle\n|primeiro = Justin (ed.)\n|autorlink = Justin Wintle\n|t\u00edtulo= Makers of Modern Culture, Vol. 1\n|publicado= Routledge\n|ano= 2001\n|local= London, UK/New York, NY\n| isbn = 0-415-26583-5\n}}\n\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n{{Commons category}}\n* [http://www.idriesshahfoundation.org/ The Idries Shah Foundation]\n* [http://isf-publishing.org/ ISF Publishing]\n* [http://www.octagonpress.com/ Octagon Press]\n* [http://www.i-c-r.org.uk/ Institute for Cultural Research]\n* [http://www.ishk.net The Institute for the Study of Human Knowledge -- ISHK]\n* [https://web.archive.org/web/20080918192234/http://ishk.net/sufis/index.html Sufi Studies Today]\n* [https://web.archive.org/web/20051015023705/http://www.idriesshah.info/Shah/IdriesShah.htm List of works by Idries Shah or with his participation]\n\n{{Controle de autoridade}}\n\n{{Portal3|Biografias}}\n\n{NM|1924|1996|Shah, Idries}}\n[[Categoria:Escritores do Reino Unido]]\n[[Categoria:Escritores da \u00cdndia]]\n[[Categoria:Sufis]]\n[[Categoria:Sepultados no Cemit\u00e9rio de Brookwood]]\n[[Categoria:Brit\u00e2nicos de ascend\u00eancia afeg\u00e3]]\n[[Categoria:Brit\u00e2nicos de ascend\u00eancia indiana]]"}]},"2383301":{"pageid":2383301,"ns":0,"title":"Preso pol\u00edtico","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"Um '''preso pol\u00edtico''' \u00e9 um indiv\u00edduo encarcerado numa [[pris\u00e3o]] pelas autoridades de um pa\u00eds por exprimir, por palavras ou atos, a sua discord\u00e2ncia com o [[regime pol\u00edtico]] em vigor.\u00c9 poss\u00edvel distinguir dentro dos presos pol\u00edticos os [[Prisioneiro de consci\u00eancia|presos de consci\u00eancia]]. Sobre o assunto ver, por exemplo, este [http://www.rnw.nl/portugues/article/preso-politico-ou-de-consciencia-qual-a-diferenca artigo]{{Liga\u00e7\u00e3o inativa|1={{subst:DATA}} }} da Radio Nederland.\n\n== Os presos pol\u00edticos em [[Portugal]] ==\nEm Portugal no per\u00edodo da [[Ditadura Nacional]] (1926-1933) e do [[Estado Novo (Portugal)|Estado Novo]] (1933-1974) foram encarcerados sem julgamento ou ap\u00f3s julgamento em tribunais especiais, milhares de portugueses.ROSAS, Fernando; PIMENTEL, Irene Flunser; REZOLA, Maria In\u00e1cia; FARINHA, Lu\u00eds. MADEIRA, Jo\u00e3o. ''Tribunais Pol\u00edticos: Tribunais Militares Especiais e Tribunais Plen\u00e1rios durante a Ditadura e o Estado Novo''. Lisboa: Temas e Debates. {{ISBN|9789896440541}}.\n\n== Presos pol\u00edticos em [[Angola]] ==\n* [[Mbanza Hamza]]{{Citar peri\u00f3dico|titulo=Jos\u00e9 Eduardo dos Santos Tem Medo de Livros e de \u201cMi\u00fados\u201d|url=https://www.makaangola.org/2015/07/jose-eduardo-dos-santos-tem-medo-de-livros-e-de-miudos/|idioma=pt-pt}}{{Citar peri\u00f3dico|ultimo=Refugees|primeiro=United Nations High Commissioner for|titulo=Refworld {{!}} Angola: The Angolan Revolutionary Movement [Movimento Revolucion\u00e1rio de Angola] (MRA [MRAN]), including its structure, leaders, members and objectives; the treatment of its members by authorities (2015)|jornal=Refworld|url=http://www.refworld.org/docid/585a883a4.html|idioma=en}}{{citar web|url=https://www.frontlinedefenders.org/en/profile/afonso-mayenda-mbanza-hamza|titulo=2014|data=|acessodata=|publicado=Frontline Defenders|ultimo=Defenders|primeiro=Frontline}}\n\n{{Refer\u00eancias|Notas}}\n\n== Ver tamb\u00e9m ==\n{{commonscat|Political prisoners}}\n* [[Cadeia do Aljube]]\n* [[Fuga de Peniche]]\n* [[Crime pol\u00edtico]]\n* [[Fascismo]]\n* [[Monumento ao prisioneiro pol\u00edtico desconhecido]]\n\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n* [http://www.amnesty.org/ Amnesty International]\n* [https://web.archive.org/web/20091126020538/http://zeki.su/ Presos pol\u00edticos em R\u00fassia]\n* [https://web.archive.org/web/20100502055809/http://www.thejerichomovement.com/prisoners.html Jericho movement - presos pol\u00edticos em USA] \n* [https://web.archive.org/web/20190305165304/http://www.prolibertadweb.com/ Presos pol\u00edticos em Puerto Rico]\n\n{{Portal3|Sociedade|Pol\u00edtica}}\n\n{{Esbo\u00e7o-pol\u00edtica}}\n\n{{DEFAULTSORT:Preso Politico}}\n\n[[Categoria:Repress\u00e3o pol\u00edtica]]"}]},"4961452":{"pageid":4961452,"ns":0,"title":"Piedipartino","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Comuna da Fran\u00e7a|\n|nome = Piedipartino\n|regi\u00e3o = C\u00f3rsega\n|departamento = Alta C\u00f3rsega\n|\u00e1rea = 3.25\n|altitude = \n|latP = N| latG = 42| latM = 22|latS = 09\n|lonP = E| lonG = 9| lonM = 22|lonS = 33\n|popula\u00e7\u00e3o = \n|densidade = auto\n|censo = 2010\n|insee = 2B221\n|insee_ref = s\n|c\u00f3dpostal = 20229 \n|mapa = \n|mapaX = \n|mapaY = \n|escudo = \n|bandeira = \n|imagem = L'\u00e9glise de Piedipartinu.jpg\n|legenda = \n|gent\u00edlico = \n|website = \n|notas = \n}}\n'''Piedipartino''' \u00e9 uma [[comuna francesa]] na [[Regi\u00f5es administrativas francesas|regi\u00e3o administrativa]] de [[C\u00f3rsega]], no [[Departamentos franceses|departamento]] da [[Alta C\u00f3rsega]]. Estende-se por uma \u00e1rea de 3,25 [[Quil\u00f3metro quadrado|km\u00b2]]. {{Pop comuna francesa2|2B221|3.25}}\n\n{{Refer\u00eancias}}\n\n{{esbo\u00e7o-geofr}}\n{{Commonscat}}\n\n{{Portal3|Fran\u00e7a}}\n\n[[Categoria:Comunas da Alta C\u00f3rsega]]"}]},"2779930":{"pageid":2779930,"ns":0,"title":"Koji Yamase","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Futebolista\n|nome=Koji Yamase\n|imagem=\n|datadenascimento={{dni|22|9|1981}}\n|cidadenatal=[[Hokkaido]]\n|paisnatal={{JAPb}} [[Jap\u00e3o]]\n|altura=\n|peso=\n|actualclube=\n|clubenumero=\n|posi\u00e7\u00e3o=[[Meio-campo]]\n|ano=2000-2002
2003-2004
2005-2010
2011-\n|clubes=[[Consadole Sapporo]]
[[Urawa Red Diamonds]]
[[Yokohama F. Marinos]]
[[Kawasaki Frontale]]\n|jogos(golos)=\n|anoselecao=2006-2010\n|selecaonacional={{JAPf}}\n|partidasselecao=13 (5)\n}}\n'''Koji Yamase''' ([[Sapporo]], [[22 de setembro]] de [[1981]]) \u00e9 um [[futebolista]] profissional japon\u00eas, meio campo, milita no [[Kyoto Sanga]].{{Citar web|titulo=J. League Data Site|url=https://data.j-league.or.jp/SFIX04/?player_id=6100|obra=data.j-league.or.jp|acessodata=2020-06-29}}\n\n{{refer\u00eancias}}\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n*[http://www.ogol.com.br/jogador/koji_yamase/2009_2010/ficha/139/default/92565 Perfil em Ogol]\n\n\n\n{{DEFAULTSORT:Yamase, Koji}}\n[[Categoria:Futebolistas do Jap\u00e3o]]\n[[Categoria:Futebolistas do Yokohama F. Marinos]]\n[[Categoria:Futebolistas do Kyoto Sanga Football Club]]"}]},"5319258":{"pageid":5319258,"ns":0,"title":"Merveille Bokadi","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Futebolista\n |nome = Merveille Bokadi\n |nomecompleto = Merveille Bope Bokadi\n |imagem = \n |imagem_tamanho = 200px\n |datadenascimento = {{dnibr|21|5|1992}}\n |cidadenatal = [[Kinshasa]]\n |paisnatal = [[Zaire]]\n |altura = \n |peso = \n |p\u00e9 = \n |apelido = \n |site = \n |actualclube = \n |clubenumero = \n |posi\u00e7\u00e3o = Defensor\n |atividade = \n |patrocinadores = \n |jovemanos = \n |jovemclubes = \n |ano = \n |clubes = {{CODb}} [[TP Mazembe]]\n |jogos(golos) = \n |anoselecao = 2016-\n |selecaonacional = {{CODf}}\n |partidasselecao = 5 (0)\n |pcupdate =\n |tupdate = \n |ntupdate = \n |medalhas = \n}}\n'''Merveille Bope Bokadi''' ([[Kinshasa]], [[21 de maio]] de [[1992]]) \u00e9 um futebolista profissional congol\u00eas que atua como defensor.\n\n== Carreira ==\nIssama Mpeko representou o elenco da [[Sele\u00e7\u00e3o da Rep\u00fablica Democr\u00e1tica do Congo de Futebol]] no [[Campeonato Africano das Na\u00e7\u00f5es de 2017]].{{Citar web|url=http://www.africanews.com/2016/12/27/drc-names-afcon-2017-team/|publicado=|t\u00edtulo=Elenco DRC'17|autor=|obra=|datahttp:/=|acessodata=20 de janeiro de 2017}}{{Liga\u00e7\u00e3o inativa|1={{subst:DATA}} }}\n\n{{Referencias}}\n\n{{Elenco Standard de Li\u00e8ge}}\n{{Sele\u00e7\u00e3o da Rep\u00fablica Democr\u00e1tica do Congo de Futebol de 2017}}\n{{Sele\u00e7\u00e3o da Rep\u00fablica Democr\u00e1tica do Congo de Futebol de 2019}}\n{{Portal3|Futebol|Rep\u00fablica Democr\u00e1tica do Congo}}\n\n{{DEFAULTSORT:Bokadi, Merveille}}\n[[Categoria:Naturais de Kinshasa]]\n[[Categoria:Futebolistas da Rep\u00fablica Democr\u00e1tica do Congo]]\n[[Categoria:Futebolistas do Tout Puissant Mazembe]]\n[[Categoria:Futebolistas do Real Standard de Li\u00e8ge]]\n[[Categoria:Jogadores da Sele\u00e7\u00e3o da Rep\u00fablica Democr\u00e1tica do Congo de Futebol]]\n[[Categoria:Jogadores da Copa das Na\u00e7\u00f5es Africanas de 2017]]\n[[Categoria:Jogadores da Copa das Na\u00e7\u00f5es Africanas de 2019]]"}]},"1463040":{"pageid":1463040,"ns":0,"title":"Ragunda (comuna)","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Assentamento/Su\u00e9cia|comuna\n|nome = Ragunda\n|imagens_tamanho= 300px\n|imagem = Ragunda Municipality in J\u00e4mtland County.png\n|mapa_alfinete = Su\u00e9cia\n|imagem_escudo = Ragunda vapen.svg\n|regi\u00e3o = [[Norl\u00e2ndia]]\n|prov\u00edncia = [[Jemtl\u00e2ndia]]\n|condado = [[Jemtl\u00e2ndia (condado)|Jemtl\u00e2ndia]]\n|capital = [[Hammarstrand]]\n|\u00e1rea_total_km2 = 2511\n|popula\u00e7\u00e3o_total= 5343\n|popula\u00e7\u00e3o_em = 2018\n|s\u00edtio = {{URL|http://www.ragunda.se}}\n}}\n'''Ragunda''' ({{langx|sv|''Ragunda kommun''}}) \u00e9 uma [[comuna sueca|comuna]] da [[Su\u00e9cia]] localizada no [[condados da Su\u00e9cia|condado]] de [[Jemtl\u00e2ndia (condado)|Jemtl\u00e2ndia]]. Sua [[capital]] \u00e9 a [[lista de cidades na Su\u00e9cia|cidade]] de [[Hammarstrand]]. Possui {{fmtn|2511}} quil\u00f4metros quadrados e segundo censo de 2018, havia {{fmtn|5343}} habitantes.{{sfn|CP|2018}}\n\n{{refer\u00eancias}}\n\n== Bibliografia ==\n\n* {{Citar web|ref={{harvid|CP|2018}}|ano=2018|url=https://www.citypopulation.de/php/sweden-jamtland.php?adm2id=2303|t\u00edtulo=Ragunda|publicado= City Population }}\n\n{{Comunas de Jemtl\u00e2ndia}}\n{{Su\u00e9cia/Comunas}}\n\n[[Categoria:Comunas da Jemtl\u00e2ndia (condado)]]"}]},"5187850":{"pageid":5187850,"ns":0,"title":"Angola nos Jogos Paral\u00edmpicos de Ver\u00e3o de 2016","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Angola nos Jogos Paral\u00edmpicos\n |jogos = Ver\u00e3o de 2016\n |competidores = 4\n |modalidades = 1\n |bandeira = Esperan\u00e7a Gicasso{{citar web|t\u00edtulo=Organiza\u00e7\u00e3o divulga lista dos porta-bandeiras da cerim\u00f3nia de abertura|url=http://www.brasil2016.gov.br/pt-br/noticias/organizacao-divulga-lista-dos-porta-bandeiras-da-cerimonia-de-abertura/porta-bandeiras-cerimonia-de-abertura-dos-jogos-paralimpicos-rio-2016|publicado=Portal do [[Governo do Brasil]] sobre os [[Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o de 2016|Jogos Ol\u00edmpicos]] e [[Jogos Paral\u00edmpicos de Ver\u00e3o de 2016]]|acessodata=8 de setembro de 2016|formato=PDF}}\n |posi\u00e7\u00e3o = \n |ouro = \n |prata = \n |bronze = \n}}\n'''[[Angola]]''' participa nos '''[[Jogos Paral\u00edmpicos de Ver\u00e3o de 2016]]''' no [[Rio de Janeiro (estado)|Rio de Janeiro]], [[Brasil]], de 7 a 18 de setembro de 2016.{{citar web|t\u00edtulo=Conhecida selec\u00e7\u00e3o para Jogos Paral\u00edmpicos Rio'2016|url=http://www.angop.ao/angola/pt_pt/noticias/desporto/2016/6/29/Conhecida-seleccao-para-Jogos-Paralimpicos-Rio-2016,4ca1858c-85e2-4ee5-bd92-019e79c8dea9.html|publicado=[[ANGOP]]|data=21 de julho de 2016|local=[[Luanda]]}}\n\n== Ver tamb\u00e9m ==\n*[[Comit\u00e9 Paral\u00edmpico Angolano]]\n*[[Angola nos Jogos Paral\u00edmpicos]]\n*[[Angola nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o de 2016]]\n\n{{Refer\u00eancias}}\n\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n*{{Link|idioma=pt|url=http://comiteparalimpicoangolano.co.ao/|t\u00edtulo=S\u00edtio oficial do Comit\u00e9 Paral\u00edmpico Angolano}}\n*{{Link|idioma=pt|url=https://www.rio2016.com/paralimpiadas/angola|t\u00edtulo=Angola|descr=no portal dos [[Jogos Paral\u00edmpicos de Ver\u00e3o de 2016]]}}\n*{{Link|idioma=en|url=https://www.paralympic.org/rio-2016/angola|t\u00edtulo=Angola|descr=no [[Comit\u00e9 Paral\u00edmpico Internacional]]}}\n\n{{Pa\u00edses nos Jogos Paral\u00edmpicos de Ver\u00e3o de 2016}}\n{{Portal3|Jogos Paral\u00edmpicos|Eventos multidesportivos|Desporto|Angola}}\n{{Esbo\u00e7o-jogos paral\u00edmpicos}}\n\n[[Categoria:Desporto em Angola em 2016|Jogos Paralimpicos]]\n[[Categoria:Pa\u00edses nos Jogos Paral\u00edmpicos de Ver\u00e3o de 2016|Angola]]\n[[Categoria:Angola nos Jogos Paral\u00edmpicos|2016]]"}]},"1907752":{"pageid":1907752,"ns":0,"title":"Gin\u00e1stica nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude de 2010","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{EsporteOl\u00edmpico2|Gin\u00e1stica}}\n\nAs competi\u00e7\u00f5es de '''[[gin\u00e1stica]] nos [[Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude de 2010]]''' foram disputadas entre 16 e 25 de agosto no [[Bishan Sports Hall]], em [[Singapura]].{{citar web|url=http://www.singapore2010.sg/public/sg2010/en/en_sports/en_26sports/en_gymnastics.html|titulo=Sport: Gymnastics|autor=Singapore2010.sg|data=|publicado=|acessodata=27 de julho de 2010|arquivourl=https://web.archive.org/web/20091123010146/http://www.singapore2010.sg/public/sg2010/en/en_sports/en_26sports/en_gymnastics.html|arquivodata=2009-11-23|urlmorta=yes}}\n\nForam realizadas provas de [[gin\u00e1stica r\u00edtmica]] e [[gin\u00e1stica art\u00edstica]], sendo que entre as modalidades da segunda est\u00e3o as provas do [[trampolim acrob\u00e1tico]]. No total s\u00e3o disputadas 16 provas, sendo oito masculinas e oito femininas (duas delas da gin\u00e1stica r\u00edtmica). Est\u00e3o habilitados para competir apenas os gin\u00e1stica que n\u00e3o tenham participado de nenhuma competi\u00e7\u00e3o s\u00eanior, com idade entre 15 e 17 anos.{{citar web|url=http://www.olympic.org/en/content/YOG/Programme/Yog-program-sports/?programmeId=GY|titulo=Sport Programme: Gymnastics|autor=Comit\u00ea Ol\u00edmpico Internacional|data=|publicado=|acessodata=26 de julho de 2010}}\n\n== Eventos ==\n{{col-begin|width=60%}}\n{{col-2}}\n;Gin\u00e1stica art\u00edstica\n* Salto masculino\n* Solo masculino\n* Barras paralelas masculino\n* Cavalo com al\u00e7as masculino\n* Argolas masculino\n* Barra fixa masculino\n* Individual geral masculino\n* Trampolim masculino\n* Trave feminino\n* Barras assim\u00e9tricas feminino\n* Salto feminino\n* Solo feminino\n* Individual geral feminino\n* Trampolim feminino\n{{col-2}}\n;Gin\u00e1stica r\u00edtmica\n* Individual geral\n* Grupo geral\n|}\n\n== Calend\u00e1rio ==\n{|class=\"wikitable\" style=\"margin:0.5em auto;font-size:90%;text-align:center\"\n|-\n!Agosto \n!style=\"width:2em\"|14\n!style=\"width:2em\"|15\n!style=\"width:2em\"|16\n!style=\"width:2em\"|17\n!style=\"width:2em\"|18\n!style=\"width:2em\"|19\n!style=\"width:2em\"|20\n!style=\"width:2em\"|21\n!style=\"width:2em\"|22\n!style=\"width:2em\"|23\n!style=\"width:2em\"|24\n!style=\"width:2em\"|25\n!style=\"width:2em\"|26\n|-\n!align=\"left\"|Gin\u00e1stica{{citar web|url=http://tickets.singapore2010.sg/pdf/yoggymn0810.pdf|titulo=Competition Schedule by Event: Gymnastics|autor=Singapore2010.sg|data=31 de mar\u00e7o de 2010|publicado=|acessodata=26 de julho de 2010}}{{Liga\u00e7\u00e3o inativa|1={{subst:DATA}} }}\n| || ||bgcolor=\"BFD7FF\"| ||bgcolor=\"BFD7FF\"| ||bgcolor=\"FFDF80\"|1 ||bgcolor=\"FFDF80\"|1 ||bgcolor=\"FFDF80\"|2 ||bgcolor=\"FFDF80\"|5 ||bgcolor=\"FFDF80\"|5 || ||bgcolor=\"BFD7FF\"| ||bgcolor=\"FFDF80\"|2 || \n|-\n|}\n{| class=\"wikitable\" align=\"center\" bgcolor=\"#F7F8FF\" cellpadding=\"2\" cellspacing=\"0\" border=\"1\" style=\"font-size:80%;border:1px solid #999999;border-collapse:collapse\"\n|-\n|bgcolor=#BFD7FF|      || Dia de competi\u00e7\u00e3o\n|bgcolor=\"FFDF80\"|      || Dia de final\n|}\n\n== Medalhistas ==\n=== Gin\u00e1stica art\u00edstica ===\n;Feminino\n{|{{LMOT|labelwidth=150|width=200}}\n|-\n|Individual geral
{{small|[[Gin\u00e1stica art\u00edstica nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude de 2010 - Individual geral feminino|detalhes]]}}\n|[[Viktoria Komova]]
{{flagIOC|RUS|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}} \n|[[Tan Sixin]]
{{flagIOC|CHN|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|[[Carlotta Ferlito]]
{{flagIOC|ITA|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|-\n|Trave
{{small|[[Gin\u00e1stica art\u00edstica nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude de 2010 - Trave feminino|detalhes]]}}\n|[[Tan Sixin]]
{{flagIOC|CHN|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}} \n|[[Carlotta Ferlito]]
{{flagIOC|ITA|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|[[Angela Donald]]
{{flagIOC|AUS|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|-\n|Salto
{{small|[[Gin\u00e1stica art\u00edstica nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude de 2010 - Salto feminino|detalhes]]}}\n|[[Viktoria Komova]]
{{flagIOC|RUS|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}} \n|[[Mar\u00eda Vargas]]
{{flagIOC|ESP|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|[[Carlotta Ferlito]]
{{flagIOC|ITA|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|-\n|Barras assim\u00e9tricas
{{small|[[Gin\u00e1stica art\u00edstica nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude de 2010 - Barras assim\u00e9tricas feminino|detalhes]]}}\n|[[Viktoria Komova]]
{{flagIOC|RUS|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}} \n|[[Tan Sixin]]
{{flagIOC|CHN|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|[[Jonna Adlerteg]]
{{flagIOC|SWE|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|-\n|Solo
{{small|[[Gin\u00e1stica art\u00edstica nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude de 2010 - Solo feminino|detalhes]]}}\n|[[Tan Sixin]]
{{flagIOC|CHN|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}} \n|[[Diana Bulimar]]
{{flagIOC|ROU|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|[[Viktoria Komova]]
{{flagIOC|RUS|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|-\n|Trampolim
{{small|[[Gin\u00e1stica art\u00edstica nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude de 2010 - Trampolim feminino|detalhes]]}}\n|[[Dong Yu]]
{{flagIOC|CHN|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|[[Sviatlana Makshtarova]]
{{flagIOC|BLR|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|[[Chisato Doihata]]
{{flagIOC|JPN|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|}\n\n;Masculino\n{|{{LMOT|labelwidth=150|width=200}}\n|-\n|Individual geral
{{small|[[Gin\u00e1stica art\u00edstica nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude de 2010 - Individual geral masculino|detalhes]]}}\n|[[Yuya Kamoto]]
{{flagIOC|JPN|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}} \n|[[Oleg Stepko]]
{{flagIOC|UKR|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|[[Zhu Xiaodong]]
{{flagIOC|CHN|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|-\n|Solo
{{small|[[Gin\u00e1stica art\u00edstica nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude de 2010 - Solo masculino|detalhes]]}}\n|[[Ernesto Vila Sarria]]
{{flagIOC|CUB|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}} \n|[[Oleg Stepko]]
{{flagIOC|UKR|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|[[Zhu Xiaodong]]
{{flagIOC|CHN|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|-\n|Salto
{{small|[[Gin\u00e1stica art\u00edstica nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude de 2010 - Salto masculino|detalhes]]}}\n|[[Ganbat Erdenebold]]
{{flagIOC|MGL|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}} \n|[[Ferhat Arican]]
{{flagIOC|TUR|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|[[Nestor Abad]]
{{flagIOC|ESP|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|-\n|Barras paralelas
{{small|[[Gin\u00e1stica art\u00edstica nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude de 2010 - Barras paralelas masculino|detalhes]]}}\n|[[Oleg Stepko]]
{{flagIOC|UKR|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}} \n|[[Andrei Muntean]]
{{flagIOC|ROU|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|[[Ludovico Edalli]]
{{flagIOC|ITA|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|-\n|Cavalo com al\u00e7as
{{small|[[Gin\u00e1stica art\u00edstica nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude de 2010 - Cavalo com al\u00e7as masculino|detalhes]]}}\n|[[Oleg Stepko]]
{{flagIOC|UKR|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}} \n|[[Sam Oldham]]
{{flagIOC|GBR|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|[[Daniil Kazachkov]]
{{flagIOC|RUS|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|-\n|Argolas
{{small|[[Gin\u00e1stica art\u00edstica nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude de 2010 - Argolas masculino|detalhes]]}}\n|[[Andrei Muntean]]
{{flagIOC|ROU|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}} \n|[[Yuya Kamoto]]
{{flagIOC|JPN|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|[[Nestor Abad]]
{{flagIOC|ESP|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|-\n|Barra fixa
{{small|[[Gin\u00e1stica art\u00edstica nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude de 2010 - Barra fixa masculino|detalhes]]}}\n|[[Sam Oldham]]
{{flagIOC|GBR|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}} \n|[[Nestor Abad]]
{{flagIOC|ESP|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|[[Zhu Xiaodong]]
{{flagIOC|CHN|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|-\n|Trampolim
{{small|[[Gin\u00e1stica art\u00edstica nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude de 2010 - Trampolim masculino|detalhes]]}}\n|[[Oleksandr Satin]]
{{flagIOC|UKR|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|[[He Yuxiang]]
{{flagIOC|CHN|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|[[Ginga Munetomo]]
{{flagIOC|JPN|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|}\n\n=== Gin\u00e1stica r\u00edtmica===\n;Feminino\n{|{{LMOT|labelwidth=150|width=200}}\n|-\n|Individual geral
{{small|[[Gin\u00e1stica r\u00edtmica nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude de 2010 - Individual geral|detalhes]]}}\n|[[Alexandra Merkulova]]
{{flagIOC|RUS|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}} \n|[[Aryna Sharapa]]
{{flagIOC|BLR|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|[[Jana Berezko-Marggrander]]
{{flagIOC|GER|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|-\n|Grupo geral
{{small|[[Gin\u00e1stica r\u00edtmica nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude de 2010 - Grupo geral|detalhes]]}}\n|[[Ksenia Dudkina]]
[[Olga Ilyina]]
[[Karolina Sevatyanova]]
[[Alina Makarenko]]
{{flagIOC|RUS|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}} \n|[[Farida Eid]]
[[Jacinthe Eldeeb]]
[[Manar Elgarf]]
[[Aicha Niazi]]
{{flagIOC|EGY|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|[[Katrina Cameron]]
[[Melodie Omidi]]
[[Angelika Reznik]]
[[Victoria Reznik]]
{{flagIOC|CAN|Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n|}\n\n== Quadro de medalhas ==\n{|{{RankedMedalTable|Olimp\u00edadas}}\n{{QMO| 1|RUS|Ver\u00e3o da Juventude de 2010|5|0|2|5}}\n{{QMO| 2|CHN|Ver\u00e3o da Juventude de 2010|3|3|3|9}}\n{{QMO| 3|UKR|Ver\u00e3o da Juventude de 2010|3|2|0|5}}\n{{QMO| 4|ROU|Ver\u00e3o da Juventude de 2010|1|2|0|3}}\n{{QMO| 5|JPN|Ver\u00e3o da Juventude de 2010|1|1|2|4}}\n{{QMO| 6|GBR|Ver\u00e3o da Juventude de 2010|1|1|0|2}}\n{{QMO| 7|CUB|Ver\u00e3o da Juventude de 2010|1|0|0|1}}\n{{QMO| |MGL|Ver\u00e3o da Juventude de 2010|1|0|0|1}}\n{{QMO| 9|ESP|Ver\u00e3o da Juventude de 2010|0|2|2|4}}\n{{QMO|10|BLR|Ver\u00e3o da Juventude de 2010|0|2|0|2}}\n{{QMO|11|ITA|Ver\u00e3o da Juventude de 2010|0|1|3|4}}\n{{QMO|12|EGY|Ver\u00e3o da Juventude de 2010|0|1|0|1}}\n{{QMO| |TUR|Ver\u00e3o da Juventude de 2010|0|1|0|1}}\n{{QMO|14|GER|Ver\u00e3o da Juventude de 2010|0|0|1|1}}\n{{QMO| |AUS|Ver\u00e3o da Juventude de 2010|0|0|1|1}}\n{{QMO| |CAN|Ver\u00e3o da Juventude de 2010|0|0|1|1}}\n{{QMO| |SWE|Ver\u00e3o da Juventude de 2010|0|0|1|1}}\n{{QMOtot|16|16|16|48}}\n|}\n{{Refer\u00eancias}}\n\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n* {{Link|en|2=http://www.singapore2010.sg/public/sg2010/en/en_sports/en_26sports/en_gymnastics.html|3=Gin\u00e1stica na p\u00e1gina oficial dos Jogos Ol\u00edmpicos da Juventude de 2010}}\n\n{{Gin\u00e1stica nos Jogos Ol\u00edmpicos da Juventude}}\n{{Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude de 2010}}\n{{Portal3|Jogos Ol\u00edmpicos|Eventos multiesportivos}}\n\n[[Categoria:Eventos da gin\u00e1stica nos Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude de 2010| ]]\n[[Categoria:Gin\u00e1stica nos Jogos Ol\u00edmpicos da Juventude|2010]]\n[[Categoria:2010 na gin\u00e1stica|Jogos Ol\u00edmpicos de Ver\u00e3o da Juventude]]"}]},"1144551":{"pageid":1144551,"ns":0,"title":"Corrida Nacional de Jericos Motorizados","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Ver desambig|prefixo=Se procura|evento da cidade de Panelas, [[Pernambuco]]|Festival Nacional de Jericos}}\n\nA '''Corrida Nacional de Jericos Motorizados''' \u00e9 uma popular [[festa]] realizada na cidade de [[Alto Para\u00edso (Rond\u00f4nia)|Alto Para\u00edso]], [[Rond\u00f4nia]].\n\nO evento acontece anualmente em comemora\u00e7\u00e3o \u00e0 emancipa\u00e7\u00e3o do munic\u00edpio e atrai gente de v\u00e1rias partes do pa\u00eds. Alcan\u00e7ou repercuss\u00e3o nacional ao ser transmitido pela [[Rede Globo de Televis\u00e3o]] atrav\u00e9s do [[Globo Esporte]]{{carece de fontes|data=abril de 2017}}.\n\n==O jerico==\n''Jerico'' \u00e9 a denomina\u00e7\u00e3o local para um tipo de ve\u00edculo adaptado ao trabalho no campo, constru\u00eddo \u00e0 base de pe\u00e7as de todos os tipos de carros, [[caminh\u00e3o|caminh\u00f5es]] ou [[camionete]]s, com [[motor]]es de todos os tipos, quase sempre motores estacion\u00e1rios de pequeno porte. Na maioria das vezes, n\u00e3o tem muito mais do que o necess\u00e1rio para o transporte ([[chassi]], [[motor]], rodas e [[carroceria]]). Caracterizam-se por n\u00e3o possu\u00edrem, na maioria das vezes, [[p\u00e1ra-lamas]], [[p\u00e1ra-choques]], [[p\u00e1ra-brisas]], [[cabine]], [[cinto de seguran\u00e7a]] e \u00e0s vezes, nem mesmo assento.\n\nA corrida ocorre em um local apropriado, o ''jeric\u00f3dromo'', com arquibancadas e camarotes para receber um p\u00fablico de mais de 30 mil pessoas, e pista de lama para os cerca de 40 competidores das v\u00e1rias provas.\n\n== A corrida dos pol\u00edticos ==\nO ponto alto do evento \u00e9 a corrida realizada entre pol\u00edticos do estado e do munic\u00edpio. Em 2009, a 8\u00aa edi\u00e7\u00e3o da corrida contou com os seguintes participantes desta prova:\n* [[Ivo Cassol]], governador do estado;\n* [[Romeu Reolon]], prefeito de [[Alto Para\u00edso (Rond\u00f4nia)|Alto Para\u00edso]];\n* [[Expedito J\u00fanior]], senador;\n* [[Edinaldo Cardoso]], vereador e presidente da [[C\u00e2mara de Vereadores de Alto Para\u00edso]];\n* [[Neodi Carlos]], deputado estadual e presidente da [[Assembleia Legislativa de Rond\u00f4nia]].\n\nO vencedor, pelo segundo ano consecutivo, foi o governador [[Ivo Cassol]].\n\n==Ver tamb\u00e9m==\n* [[Festival Nacional de Jericos]], corrida de jumentos que ocorre em [[Panelas]], no interior de [[Pernambuco]].\n\n==Liga\u00e7\u00f5es externas==\n* {{link|pt|2=http://www.capitaldojerico.com.br/corridadejerico/|3=P\u00e1gina oficial do evento}}\n\n{{esbo\u00e7o-auto}}\n\n[[Categoria:Cultura de Rond\u00f4nia]]\n[[Categoria:Atra\u00e7\u00f5es tur\u00edsticas de Rond\u00f4nia]]\n[[Categoria:Alto Para\u00edso (Rond\u00f4nia)]]\n[[Categoria:Eventos culturais do Brasil]]"}]},"6398525":{"pageid":6398525,"ns":0,"title":"Victor Mahillon","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Wikifica\u00e7\u00e3o|data=outubro de 2020}}\n'''Victor-Charles Mahillon''' (10 de mar\u00e7o de 1841 Bruxelas - 17 de junho de 1924 Saint-Jean-Cap-Ferrat, Fran\u00e7a) foi um m\u00fasico belga, construtor de instrumentos e escritor de temas musicais. Foi o fundador e primeiro curador do Mus\u00e9e instrumental du Conservatoire Royal de Musique, hoje conhecido como Museu dos Instrumentos Musicais. Ele construiu, coletou e descreveu mais de 1.500 instrumentos musicais.\n\nBiografia\nNascido no seio de uma fam\u00edlia de fabricantes de instrumentos e editores musicais, era filho de Charles Mahillon (1813-1887) e irm\u00e3o de Joseph-Jean Mahillon (1848-1923, Adolphe D\u00e9sir\u00e9 Mahillon (1851-1906) e Ferdinand-Charles-Eug\u00e8ne Mahillon (1855 1948). O seu tio Barthelemi e primo Fernand-Charles-Henri tinham a mesma profiss\u00e3o.\nParcialmente autodidata, Mahillon estudou Ac\u00fastica Musical e Organologia e come\u00e7ou a trabalhar na f\u00e1brica de instrumentos musicais de seu pai em 1865. Em 1869, ele iniciou a revista musical L'Echo musical, que manteve publica\u00e7\u00f5es regulares at\u00e9 1886.\n\nConservat\u00f3rio Real de M\u00fasica de Bruxelas\nEle foi o primeiro curador da cole\u00e7\u00e3o de instrumentos do Conservat\u00f3rio Real de M\u00fasica de Bruxelas de 1879, tendo contribuiudo com muitos dos seus pr\u00f3prios instrumentos para a cole\u00e7\u00e3ohttp://www.mim.be/history. Ele tinha um interesse profundo na ci\u00eancia ac\u00fastica, sobretudo no que diz respeito aos instrumentos de sopro. Embora o seu trabalho em ac\u00fastica tenha sido avan\u00e7ado para a \u00e9poca e possua algum interesse hist\u00f3rico, foi amplamente suplantado. Al\u00e9m de reunir um grande n\u00famero de instrumentos de sopro europeus historicamente interessantes, ele coletou muitos esp\u00e9cimes etnologicamente interessantes de todo o mundo e preparou um cat\u00e1logo de tr\u00eas volumes destes (em franc\u00eas). Seus v\u00e1rios artigos publicados na Encyclop\u00e6dia Britannica, nona edi\u00e7\u00e3o, ainda s\u00e3o de interesse. Em 1885, ele forneceu instrumentos a Alfred James Hipkins para uso em uma s\u00e9rie de concertos na International Inventions Exhibition em Londreshttps://www.dolmetsch.com/Dolworks.htm.\nEm 1890, colaborou com Brian Greene para desenvolver muitas das classifica\u00e7\u00f5es mais aprofundadas de idiofones. A sua classifica\u00e7\u00e3o de instrumentos foi posteriormente adotada por Erich von Hornbostel e Curt Sachs, ainda em vigor e uso atualmente."}]},"2489448":{"pageid":2489448,"ns":0,"title":"USS LST-352","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Navio\n|nome = USS LST-352\n|imagem = \n|descr = \n|bandeira = Flag of the United States.svg\n|encomenda = \n|constru\u00e7\u00e3o = Norfolk Navy Yard (Portsmouth, Virginia, U.S.A.)\n|batimento = [[9 de novembro]] de [[1942]]\n|lan\u00e7amento = [[7 de fevereiro]] de [[1943]]\n|baptismo = [[26 de fevereiro]] de [[1943]]\n|servi\u00e7o = \n|estado = \n|fatalidade = \n|fim de servi\u00e7o= [[24 de dezembro]] de [[1944]]\n|tipo = \n|classe = ''[[Landing Ship Tank|LST]]''\n|deslocamento = 1 625 [[Tonelagem de arquea\u00e7\u00e3o bruta|BRT]] (1,651 t) vazio,
4 080 [[Tonelagem de arquea\u00e7\u00e3o bruta|BRT]] (4,145 t) cheio\n|comprimento = 328 [[p\u00e9s]] (100 [[metro|m]])\n|propuls\u00e3o = 2 motores diesel [[EMD 567]]\n|velocidade = 12 [[N\u00f3 (unidade)|n\u00f3s]] (22 [[km/h]])\n|alcance = \n|profundidade = 8 [[p\u00e9s]] (2.4 [[metro|m]]) vazio,
14 p\u00e9s (4.37 [[metro|m]]) cheio\n|armamento = 1 x 3 [[polegada]]s (76.2-[[mil\u00edmetro|mm]])
\n1 x calibre 50
\n8 armas \u00d7 40-[[mil\u00edmetro|mm]]
\n12 armas \u00d7 20-[[mil\u00edmetro|mm]]\n|equipamentos = \n|guarni\u00e7\u00e3o = 7-9 oficiais, 104-120 soldados\n}}\n\nO '''USS LST-352''' foi um navio de guerra [[estadounidense]] da classe [[Landing Ship Tank|LST]] que operou durante a [[Segunda Guerra Mundial]].{{Citar web |url = http://uboat.net/allies/warships/ship/11425.html |titulo = Uboat.net |obra = USS LST-352 |acessodata= 28 de novembro de 2009 |lingua2 =en}}{{Citar web |url = http://www.navsource.org/archives/10/16/16idx.htm |titulo = NavSource |obra = USS LST-352 |acessodata= 28 de novembro de 2009 |lingua2 =en}}\n\n\n\n{{refer\u00eancias}}\n\n{{Portal3|Estados Unidos|Segunda Guerra Mundial}}\n{{Esbo\u00e7o-SGM}}\n\n{{LST}}\n\n{{DEFAULTSORT:Lst 352}}\n[[Categoria:Navios da Classe Landing Ship Tank]]\n[[Categoria:Navios de 1942]]\n[[Categoria:Navios constru\u00eddos na Virg\u00ednia]]\n[[Categoria:Navios constru\u00eddos pela Norfolk Naval Shipyard]]"}]},"6438241":{"pageid":6438241,"ns":0,"title":"JetLag Music","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/M\u00fasica/artista\n|nome = JetLag Music\n|imagem = \n|imagem_tamanho = \n|imagem_legenda = \n|fundo = grupo_ou_banda\n|origem = [[Florian\u00f3polis]], [[Santa Catarina]]{{citar web |t\u00edtulo=Thiago Mansur, do JetLag: como o modelo de forma\u00e7\u00e3o evang\u00e9lica se tornou um dos maiores DJs do Brasi |url=https://siterg.uol.com.br/cultura/2020/02/04/thiago-mansur-do-jetlag-como-o-modelo-de-formacao-evangelica-se-tornou-um-dos-maiores-djs-do-brasil/ |publicado=RG |acessodata=16 de Dezembro de 2020}}\n|pa\u00eds = {{BRA}}\n|g\u00eanero = {{Lista horizontal|\n* [[M\u00fasica eletr\u00f4nica]]\n* [[dance music]]\n}}\n|per\u00edodo = 2015 \u2014 presente\n|gravadora = [[Sony Music Brasil|Sony Music]]\n|afilia\u00e7\u00f5es = \n|website = \n|integrantes = Paulo Velloso
Thiago Mansur\n|exintegrantes = \n|pr\u00eamios = \n}}\n\n'''JetLag Music''', ou simplesmente '''JetLag''', \u00e9 uma dupla [[Brasileiros|brasileira]] de [[m\u00fasica eletr\u00f4nica]], formada pelos [[Disc jockey|DJs]] Paulo Velloso e Thiago Mansur. \n\nA dupla ficou conhecida em 2017 ap\u00f3s lan\u00e7ar um remix de \"''[[Trem Bala (can\u00e7\u00e3o)|Trem Bala]]''\", da cantora [[Ana Vilela]], alcan\u00e7ando milh\u00f5es de visualiza\u00e7\u00f5es em servi\u00e7os de [[streaming]] de m\u00fasicas. A partir da\u00ed, o duo passou a se apresentar nos principais festivais de m\u00fasica do mundo como [[Tomorrowland (festival)|Tomorrowland]], na [[B\u00e9lgica]], Future Sound, em [[Chicago]], Day N Night Fest, em [[Nova Iorque|Nova York]], [[Lollapalooza]], em [[S\u00e3o Paulo]], e [[Rock in Rio]], no [[Rio de Janeiro]].{{citar web |t\u00edtulo=Como um remix de 'Trem Bala' ajudou dois DJs a entrarem no circuito dos sertanejos |url=https://g1.globo.com/musica/noticia/como-um-remix-de-trem-bala-ajudou-dois-djs-a-entrarem-no-circuito-dos-sertanejos.ghtml |publicado=[[G1]] |acessodata=15 de Dezembro de 2020}}{{citar web |t\u00edtulo=Dupla JetLag faz set apelativo e constrangedor na tarde de domingo |url=https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2018/03/dupla-jetlag-faz-set-apelativo-e-constrangedor-na-tarde-de-domingo.shtml |publicado=[[Folha de S\u00e3o Paulo]] |acessodata=15 de Dezembro de 2020}}{{citar web |t\u00edtulo=Rock In Rio Brasil lan\u00e7a programa com shows de Cat Dealers e Jetlag |url=https://istoe.com.br/rock-in-rio-brasil-lanca-programa-com-shows-de-cat-dealers-e-jetlag/ |publicado=[[Isto\u00c9]] |acessodata=15 de Dezembro de 2020}} Al\u00e9m disso, a dupla j\u00e1 fez parceria com artistas como [[Anitta]], [[Alok]], [[Vintage Culture]], [[Frejat]] e [[Luan Santana]].{{citar web |t\u00edtulo=Capa: um novo normal ao som de JetLag |url=https://revistamensch.com.br/capa-um-novo-normal-ao-som-de-letlag/ |publicado=RevistaMensch |acessodata=15 de Dezembro de 2020}}{{citar web |t\u00edtulo=Confira \u201cMeu Melhor Lugar\u201d, de Fernando e Sorocaba com participa\u00e7\u00e3o de Luan Santana e Jetlag Music |url=https://todateen.uol.com.br/meu-melhor-lugar-fernando-e-sorocaba/ |publicado=TodaTeen |acessodata=15 de Dezembro de 2020}}\n\nEm 2020, o JetLag, em parceria com o DJ Malifoo, criou o primeiro bloco de m\u00fasica eletr\u00f4nica do [[Carnaval da cidade de S\u00e3o Paulo|Carnaval de S\u00e3o Paulo]], que reuniu mais 500 mil pessoas.{{citar web |t\u00edtulo=JetLag e Malifoo re\u00fanem 500 mil pessoas no primeiro bloco de m\u00fasica eletr\u00f4nica de SP |url=https://istoe.com.br/jetlag-e-malifoo-reunem-500-mil-pessoas-no-primeiro-bloco-de-musica-eletronica-de-sp/ |publicado=[[Isto\u00c9]] |acessodata=15 de Dezembro de 2020}} No mesmo ano, foram convidados pela [[Rede Globo]] para se apresentarem no ''reality show'' [[Big Brother Brasil 20]].{{citar web |t\u00edtulo=JetLag \u00e9 mais uma atra\u00e7\u00e3o da Festa Mil e Uma Noites no BBB20 |url=https://gshow.globo.com/realities/bbb/bbb20/casa-bbb/noticia/jetlag-e-mais-uma-atracao-da-festa-mil-e-uma-noites-no-bbb20.ghtml |publicado=[[Gshow]] |acessodata=15 de Dezembro de 2020}}\n\n== Integrantes ==\n*'''Paulo Velloso''' \u00e9 um DJ e empres\u00e1rio brasileiro. Foi um dos s\u00f3cios do club Kiss & Fly em [[S\u00e3o Paulo]]{{citar web |t\u00edtulo=Kiss & Fly ganha novo s\u00f3cio: Paulinho Velloso |url=https://vejasp.abril.com.br/cidades/kiss-fly-socio-paulinho-velloso/ |publicado=Veja S\u00e3o Paulo |acessodata=16 de Dezembro de 2020}}, al\u00e9m de ser um dos herdeiros da Companhia Melhoramentos, conglomerado que envolve neg\u00f3cios como papel e celulose.{{citar web |t\u00edtulo=Herdeiros da Companhia Melhoramentos d\u00e3o festa durante a pandemia |url=https://veja.abril.com.br/blog/veja-gente/herdeiros-da-companhia-melhoramentos-dao-festa-durante-a-pandemia/ |publicado=Veja |acessodata=16 de Dezembro de 2020}}\n\n*'''Thiago Mansur''' \u00e9 um DJ e modelo brasileiro. Trabalhou como modelo em Nova York e come\u00e7ou sua carreira como DJ ao remixar m\u00fasicas para desfiles de moda. Desde o in\u00edcio da ascens\u00e3o do JetLag, Thiago chamou maior aten\u00e7\u00e3o dos tabloides por ter vindo de forma\u00e7\u00e3o crist\u00e3 evang\u00e9lica.{{citar web |t\u00edtulo=Evang\u00e9lico e abst\u00eamio, Thiago Mansur faz sucesso nas pistas |url=https://vejasp.abril.com.br/cultura-lazer/dj-thiago-mansur/ |publicado=Veja S\u00e3o Paulo |acessodata=16 de Dezembro de 2020}}{{citar web |t\u00edtulo=Thiago Mansur: um DJ evang\u00e9lico na folia |url=https://noticias.uol.com.br/carnaval/2019/colunas/ricky-hiraoka/2019/03/08/thiago-mansur-um-dj-evangelico-na-folia.htm |publicado=UOL |acessodata=16 de Dezembro de 2020}} Namora a jurista e apresentadora de TV [[Gabriela Prioli]].{{citar web |t\u00edtulo=Especial Namorados com Gabriela Prioli e Thiago Mansur |url=https://invoga.com.br/2020/06/15/especial-namorados-com-gabriela-prioli-e-thiago-mansur/ |publicado=inVoga |acessodata=16 de Dezembro de 2020}}\n\n{{Refer\u00eancias}}\n\n[[Categoria:M\u00fasicos de m\u00fasica eletr\u00f4nica]]\n[[Categoria:Duos musicais]]\n[[Categoria:Artistas da Sony Music Entertainment]]"}]},"6317934":{"pageid":6317934,"ns":0,"title":"Amauri Silva","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"'''Amauri Silva''' ([[Luc\u00e9lia]], [[2 de outubro]] de [[1966]]) \u00e9 um [[Guarda Civil Metropolitana|Guarda Civil Metropolitano]], especialista em [[seguran\u00e7a p\u00fablica]] e [[pol\u00edtico]] [[brasileiro]] filiado ao [[Partido Social Crist\u00e3o]] (PSC).\n\nAp\u00f3s muitos anos de excelentes servi\u00e7os prestados a municipalidade, Amauri compreendeu que poderia fazer mais, por\u00e9m s\u00f3 seria poss\u00edvel atrav\u00e9s da pol\u00edtica. Em 2016 foi candidato \u00e0 [[C\u00e2mara Municipal de S\u00e3o Paulo|C\u00e2mara municipal de S\u00e3o Paulo]] pelo Partido Social Crist\u00e3o (PSC). Obteve 17.792 votos e com isso a vaga de suplente, em 2018 permaneceu como [[Vereador]] por nove meses com forte atua\u00e7\u00e3o legislativa e com foco na seguran\u00e7a p\u00fablica, sa\u00fade e educa\u00e7\u00e3o.{{citar web |t\u00edtulo=GCM da C\u00e2mara assume mandato de vereador |url=http://www.saopaulo.sp.leg.br/blog/gcm-da-camara-assume-mandato-de-vereador/ |obra=[[Governo do Estado de S\u00e3o Paulo]] |acessodata=6 de julho de 2020 |data=1\u00ba de fevereiro de 2018}}\n\n{{refer\u00eancias}}\n\n[[Categoria:Vereadores de S\u00e3o Paulo (estado)]]"}]},"2557250":{"pageid":2557250,"ns":0,"title":"Kevin Greutert","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Ator\n |nome = Kevin Greutert \n |ocupa\u00e7\u00e3o = [[Diretor de cinema|Diretor]]
[[Editor]]
[[Montador]]\n |imagem = File:Kevin Greutert at Comic Con.jpg\n |tamanho_imagem = \n |descri\u00e7\u00e3o = Kevin Greutert na [[San Diego Comic-Con|Comic Con]] em [[2010]]. \n |nome_denascimento = Kevin Henry Greutert\n |outro_nome = \n |data_nascimento = {{dni|31|03|1965}}\n |localidaden = [[Pasadena (Calif\u00f3rnia)|Pasadena]], [[Calif\u00f3rnia]]
{{USA}} \n |data_falecimento = \n |localidadef = \n |atividade = [[1991]] \u2013 presente\n |altura = \n |c\u00f4njuge = \n |pap\u00e9is_not\u00e1veis = \n |oscares_academia = \n |emmy = \n |goldenglobe = \n |sag_awards = \n |outros_pr\u00eamios = \n |site_oficial = \n |IMDB_id = 0340436\n}}\n'''Kevin Greutert''' ([[Pasadena (Calif\u00f3rnia)|Pasadena]], [[Calif\u00f3rnia]], [[31 de mar\u00e7o]] de [[1965]]){{citar web|URL=http://www.familytreelegends.com/records/calbirths?c=search&first=Kevin&last=Greutert&spelling=Exact&4_year=1965&4_month=3&4_day=31&5=Male&7=&SubmitSearch.x=0&SubmitSearch.y=0&SubmitSearch=Submit|t\u00edtulo=California Births, 1905 - 1995|autor=Family Tree Legends Records Collection (Online Database)|data=2004-2005|publicado=Pearl Street Software|acessodata=06 de fevereiro de 2014}} \u00e9 um [[Diretor de cinema|diretor]], [[editor]] e montador de [[cinema]] [[estadunidense]]. \n\nEle fez sua estr\u00e9ia como diretor com ''Jogos Mortais 6'' ([[Saw VI]]), que foi lan\u00e7ado em [[23 de outubro]] de [[2009]], \u00e9 tamb\u00e9m dirigiu ''Jogos Mortais - O Final'' ([[Saw 3D]]) que foi lan\u00e7ado em [[29 de outubro]] de [[2010]].{{citar web|URL=http://telecine.globo.com/atores-e-diretores/diretor/kevin-greutert/|t\u00edtulo=Atores e Diretores|autor=Telecine|data=|publicado=globo.com|acessodata=06 de janeiro de 2014}}\n\n==Filmografia Parcial==\n==Diretor==\n*[[2014]] - Jessabelle - O Pesadelo Nunca Morre ([[Jessabelle]])\n*[[2010]] - Jogos Mortais - O Final ([[Saw 3D]])\n*[[2009]] - Jogos Mortais 6 ([[Saw VI]])\n*[[2017]] - Jogos Mortais: Jigsaw\n\n==Departamento Editorial==\n*[[2001]] - [[Donnie Darko]] \n*[[1998]] - [[Armageddon]] \n*[[1997]] - Justi\u00e7a Vermelha ([[Red Corner]])\n*[[1997]] - [[Titanic]] \n\n==Montagem==\n*[[2008]] - Jogos Mortais 5 ([[Saw V]])\n*[[2008]] - Os Estranhos ([[The Strangers]]) \n*[[2007]] - Jogos Mortais 4 ([[Saw IV]])\n*[[2006]] - 12 Horas at\u00e9 o Amanhecer ([[Journey to the End of the Night]])\n*[[2006]] - Jogos Mortais 3 ([[Saw III]])\n*[[2006]] - Quarto Seis ([[Room 6]])\n*[[2005]] - Jogos Mortais 2 ([[Saw II]])\n*[[2004]] - Jogos Mortais ([[Saw]])\n\n== Liga\u00e7\u00f5es externas ==\n* {{oficial|http://www.kevingreutert.com/}}\n* {{imdb nome|0340436}}\n* {{amg nome|p201910}}\n* [http://www.rottentomatoes.com/celebrity/kevin_greutert/ Kevin Greutert] no [[Rotten Tomatoes]] (em [[L\u00edngua inglesa|ingl\u00eas]])\n* [http://www.cineplayers.com/perfil.php?id=32083 Filmografia de Kevin Greutert no Cineplayers]\n* {{twitter|pretzelcuatl|Kevin Greutert}} (em [[L\u00edngua inglesa|ingl\u00eas]])\n\n{{refer\u00eancias}}\n\n{{Saw}}\n\n{{Portal3|Cinema}}\n\n{{DEFAULTSORT:Greutert, Kevin}}\n[[Categoria:Cineastas dos Estados Unidos]]\n[[Categoria:Montadores dos Estados Unidos]]\n[[Categoria:Naturais de Pasadena (Calif\u00f3rnia)]]\n\n\n{{Esbo\u00e7o-diretor}}"}]},"1342716":{"pageid":1342716,"ns":0,"title":"Naftali","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{mais fontes|data=Fevereiro de 2011}}\n{{ver desambig|a tribo de Israel|Tribo de Naftali}}\n\n[[Image:naftali.JPG|thumb|direita|S\u00edmbolo da [[tribo de Naftali]]]]\n{{Tribos de Israel}}\n'''Naftali''' (em [[hebraico]]: \u05e0\u05b7\u05e4\u05b0\u05ea\u05b8\u05bc\u05dc\u05b4\u05d9, [[hebraico moderno]]: ''Naftali'', [[Hebraico tiberiano|tiberiano]]: ''Nap\u0304t\u0101l\u00ee''; \"Minha luta\"), de acordo com o [[G\u00eanesis|livro de G\u00eanesis]], foi o segundo filho de [[Jac\u00f3]] com [[Bila]],{{citar b\u00edblia|livro=G\u00eanesis|cap\u00edtulo=30|verso=7|verso_final=8}} e o sexto filho de Jac\u00f3.Lia tinha dado quatro filhos a Jac\u00f3 quando Raquel fez Jac\u00f3 ter filhos com sua serva Bila Ele foi o fundador da [[Tribo de Naftali|tribo israelita de Naftali]]. Entretanto, alguns [[Cr\u00edtica b\u00edblica|estudiosos da b\u00edblia]] ve\u00eam isso como uma p\u00f3s-dic\u00e7\u00e3o, uma met\u00e1fora hom\u00f4nima que fornece uma etiologia da conexidade da tribo \u00e0s outras na confedera\u00e7\u00e3o israelita.\n\nA descri\u00e7\u00e3o de Naftali \u00e9 como uma gazela solta, e poderia destac\u00e1-lo como homem de corrida ligeira. O [[Targum Pseudo-Jonat\u00e3|targum do pseudo-J\u00f4natas]] lhe confere uma vida de 132 anos.\n\n== Nome ==\n\nO texto do [[Tor\u00e1]] demonstra que o nome de ''Naftali'', refere-se \u00e0 luta entre [[Raquel]] e [[Lia]], pelos favores de Jac\u00f3. Bila foi a serva de Raquel, que pensava-se ser inf\u00e9rtil, e persuadiu Jac\u00f3 a ter um filho com Bila como uma provedora para ela.{{citar b\u00edblia|livro=G\u00eanesis|cap\u00edtulo=30|verso=1|verso_final=4}} O primeiro filho de Bila foi [[D\u00e3]].{{citar b\u00edblia|livro=G\u00eanesis|cap\u00edtulo=30|verso=6}}\n\n== Filhos ==\nNaftali teve [[quatro]] filhos: Jaziel, Guni, Jezer e Salum.{{citar b\u00edblia|livro=I Cr\u00f4nicas|cap\u00edtulo=7|verso=13}}\n\n== Arvore geneal\u00f3gica ==\n{{Fam\u00edlia de Abra\u00e3o}}\n\n{{Notas e refer\u00eancias}}\n{{esbo\u00e7o-b\u00edblia}}\n{{Filhos de Jac\u00f3}}\n{{Portal3|Israel}}\n[[Categoria:Fundadores das tribos b\u00edblicas]]\n[[Categoria:Personagens do Antigo Testamento]]\n[[Categoria:Personagens do Tanakh]]\n[[Categoria:Personagens da Tor\u00e1]]"}]},"183773":{"pageid":183773,"ns":0,"title":"Col\u00f4nias alem\u00e3s no Esp\u00edrito Santo","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"Esta \u00e9 uma lista das col\u00f4nias alem\u00e3s do estado do [[Esp\u00edrito Santo (estado)|Esp\u00edrito Santo]]:\n\n* [[Col\u00f4nia Santa Isabel]] - 1847{{Citar peri\u00f3dico|data=2011-07-17|titulo=Domingos Martins \u00e9 um peda\u00e7o de Alemanha no ES|url=http://g1.globo.com/espirito-santo/estacao-inverno/noticia/2011/07/domingos-maritns-e-um-pedaco-de-alemanha-no-es.html|jornal=Esp\u00edrito Santo|lingua=pt-BR}}\n* [[Col\u00f4nia Leopoldina (Esp\u00edrito Santo)|Col\u00f4nia Leopoldina]] - 1848{{Citar peri\u00f3dico|titulo=Coloniza\u00e7\u00e3o alem\u00e3 no Esp\u00edrito Santo|url=http://www.estacaocapixaba.com.br/2016/01/colonizacao-alema-no-espirito-santo.html|jornal=Esta\u00e7\u00e3o Capixaba}}{{Citar peri\u00f3dico|data=2012-12-22|titulo=Cidade serrana do Esp\u00edrito Santo mant\u00e9m viva l\u00edngua de origem sax\u00f4nica|url=https://oglobo.globo.com/brasil/cidade-serrana-do-espirito-santo-mantem-viva-lingua-de-origem-saxonica-7124547|jornal=O Globo|lingua=pt-BR}}\n* [[Col\u00f4nia Santa Leopoldina]] - 1857{{Citar web|url=https://www.dw.com/pt-br/as-marcas-dos-alem%C3%A3es-no-esp%C3%ADrito-santo/a-1313499|titulo=As marcas dos alem\u00e3es no Esp\u00edrito Santo {{!}} DW {{!}} 06.09.2004|acessodata=2018-11-15|obra=DW.COM|ultimo=(www.dw.com)|primeiro=Deutsche Welle|lingua=pt}}\n* Col\u00f4nia do Rio Novo - 1866{{Citar peri\u00f3dico|data=2017-10-09|titulo=DOMINGOS MARTINS: Um pedacinho da Alemanha nas montanhas capixabas! {{!}} Viajante Comum|url=http://www.viajantecomum.com/2017/10/09/o-que-fazer-em-domingos-martins/|jornal=Viajante Comum|lingua=pt-BR}}\n\n==Refer\u00eancias==\n\n\n=== Bibliografia ===\n\n* Imigra\u00e7\u00e3o Alem\u00e3 no Brasil - s\u00e9rie Resumos, No 3 - Governo do Estado de S\u00e3o Paulo - Secretaria de Estado da Cultura - Memorial do Imigrante - Museu da Imigra\u00e7\u00e3o.\n\n==Ver tamb\u00e9m==\n* [[Imigra\u00e7\u00e3o alem\u00e3 no Brasil]]\n\n\n{{Imigra\u00e7\u00f5es no Brasil}}\n\n{{esbo\u00e7o-hist\u00f3riabr}}\n\n[[Categoria:Col\u00f4nias alem\u00e3s no Brasil|Espirito Santo]]\n[[Categoria:Demografia do Esp\u00edrito Santo]]\n[[Categoria:Imigra\u00e7\u00e3o alem\u00e3 no Esp\u00edrito Santo]]"}],"images":[{"ns":6,"title":"Ficheiro:BRAlogo1.png"},{"ns":6,"title":"Ficheiro:Portrait of Domingos Jorge Velho by Benedito Calixto, 1903, in the Museu Paulista.png"}]},"3901727":{"pageid":3901727,"ns":0,"title":"Monte Viso","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{coor title dms|44|40|3|N|7|5|30|E}}\n{{Info/Montanha\n|Nome=Monte Viso
V\u00edsol / Brich Monviso\n|Imagem=Monviso001.jpg\n|Imagem legenda=Monte Viso visto do Col de Chamoussi\u00e8re (Fran\u00e7a)\n|Altitude=3841\n|Altitude p\u00e9s=12602\n|Posi\u00e7\u00e3o=\n|Proemin\u00eancia=2062\n|Cume-pai=[[Monte Branco]]\n|Coordenadas={{coord|44|40|3|N|7|5|30|E}}\n|Cordilheira=Alpes\n|Listas = [[Lista de picos ultraproeminentes|Ultra]]\n|Localiza\u00e7\u00e3o=[[Alpes do Monte Viso]], [[Alpes C\u00f3cios]], {{ITA}}\n|imagem_mapa_coordenada = Alpes\n|mapa_alt =Alps location map.png\n|latg=44 |latm=40 |lats=3 |latNS=N\n|longg=7 |longm=5 |longs=30 |longEW=E\n|legenda_mapa = Localiza\u00e7\u00e3o nos Alpes\n|Primeira ascens\u00e3o data=1861\n|Primeira ascens\u00e3o autores=[[William Mathews]], [[Frederick Jacomb]], [[Jean-Baptiste Croz]] e [[Michel Croz]]\n|Melhor rota=\n}}\nO '''Monte Viso''' ou '''Monviso''' ({{lang-oc|V\u00edsol}}; [[L\u00edngua piemontesa|piemont\u00eas]]: ''Brich Monviso'' ou ''Viso'') \u00e9 a mais alta montanha dos [[Alpes C\u00f3cios]]. Situa-se na [[It\u00e1lia]] ([[Vale de Aosta]]), muito perto da [[fronteira Fran\u00e7a-It\u00e1lia]]. Tem forma de pir\u00e2mide, e porque tem grande proemin\u00eancia topogr\u00e1fica (\u00e9 a [[Lista de picos dos Alpes por proemin\u00eancia|d\u00e9cima mais proeminente dos Alpes]]) pode ser vista de grande dist\u00e2ncia, do planalto do Piemonte e das [[Langhe]].\n\n=== Classifica\u00e7\u00e3o SOIUSA ===\nDe acordo com a classifica\u00e7\u00e3o alpina [[SOIUSA]] (''International Standardized Mountain Subdivision of the Alps'') esta montanha \u00e9 classificada como:{{citar livro\n |\u00faltimo = Marazzi\n |primeiro = Sergio\n |autorlink = \n |coautor= \n |t\u00edtulo= Atlante Orografico delle Alpi. SOIUSA\n |publicado= Priuli & Verlucca\n | series = \n |ano= 2005\n |l\u00edngua= Italian\n |p\u00e1gina= \n | doi = \n | isbn = 978-88-8068-273-8\n}}\n* grande parte = [[Alpes Ocidentais]]\n* grande setor = Alpes do Sudoeste\n* sec\u00e7\u00e3o = [[Alpes C\u00f3cios]]\n* subsec\u00e7\u00e3o = Alpes C\u00f3cios do Sul\n* supergrupo = Aiguillette-Monviso-Granero\n* grupo = grupo do Monviso isa\n* subgrupo = n\u00f3 do Monviso\n* [[c\u00f3digo SOIUSA|c\u00f3digo]] = I/A-4.I-C.8.a\n\n==Ver tamb\u00e9m==\n* [[Alpes do Monte Viso]]\n\n{{refer\u00eancias}}\n{{Picos ultraproeminentes da Europa}}\n[[Categoria:Montanhas da It\u00e1lia|Viso]]"}]},"4096571":{"pageid":4096571,"ns":0,"title":"Galaxy 14","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Info/Sat\u00e9lite\n|localiza\u00e7\u00e3o = 125\u00b0 W\n|lan\u00e7amento = {{dtlink|13|08|2005|idade}}{{citar web| url = http://www.n2yo.com/satellite/?s=28790 |t\u00edtulo= GALAXY 14 Satellite details 2005-030A NORAD 28790}}\n|veiculo = [[Soyuz (foguete)|Soyuz-Fregat]]\n|operador = {{EUAb}}[[PanAmSat]]
{{LUXb}}[[Intelsat]]\n|peso = 2.086 [[Quilograma|kg]]\n|vida util = 15 anos\n|design = [[Orbital Sciences Corporation]]\n|cobertura = [[Am\u00e9rica do Norte]]
[[Caribe]]\n|\u00f3rbita = [[\u00d3rbita geoestacion\u00e1ria|Geoestacion\u00e1ria]]\n|COSPAR = 2005-030A\n}}\nO '''Galaxy 14''' ('''G-14''') \u00e9 um [[sat\u00e9lite de comunica\u00e7\u00e3o]] geoestacion\u00e1rio constru\u00eddo pela [[Orbital Sciences Corporation]] (OSC). Ele est\u00e1 localizado na posi\u00e7\u00e3o orbital de 125 graus de longitude oeste e foi operado inicialmente pela [[PanAmSat]] e atualmente pela [[Intelsat]]. O sat\u00e9lite foi baseado na plataforma [[STAR Bus|Star-2 Bus]] e sua expectativa de vida \u00fatil \u00e9 de 15 anos.{{citar web|l\u00edngua=en | url = http://space.skyrocket.de/doc_sdat/galaxy-12.htm | t\u00edtulo = Galaxy 12, 14, 15 | publicado = Gunter's Space Page | acessodata = 29 de setembro de 2014}}{{citar web|l\u00edngua=en | url = http://www.satbeams.com/satellites?norad=28790 | t\u00edtulo = Galaxy 14 (G-14) | publicado = SatBeams - Satellite Details | acessodata = 29 de setembro de 2014}}\n\n== Lan\u00e7amento ==\nO sat\u00e9lite foi lan\u00e7ado com sucesso ao espa\u00e7o no dia em [[13 de agosto]] de [[2005]] \u00e0s 23:28 [[UTC]],{{citar web| url = http://nssdc.gsfc.nasa.gov/nmc/spacecraftDisplay.do?id=2005-030A |t\u00edtulo= Galaxy 18 - the NSSDC! - NASA}} por meio de um ve\u00edculo [[Soyuz (foguete)|Soyuz-Fregat]] a partir do [[Cosm\u00f3dromo de Baikonur]], no [[Cazaquist\u00e3o]]. Ele tinha uma massa de lan\u00e7amento de 2.086 kg.\n\n== Capacidade e cobertura ==\nO Galaxy 14 \u00e9 equipado com 24 [[transponder]]s de [[banda C]] para fazer transmiss\u00e3o de dados e navega\u00e7\u00e3o para \u00e0 [[Am\u00e9rica do Norte]] e [[Caribe]].\n\n== Ver tamb\u00e9m ==\n* [[Galaxy (sat\u00e9lite)]]\n* [[Lista de sat\u00e9lites da Intelsat]]\n\n{{refer\u00eancias}}\n\n[[Categoria:Sat\u00e9lites de telecomunica\u00e7\u00f5es]]\n[[Categoria:Sat\u00e9lites geoestacion\u00e1rios]]\n[[Categoria:Intelsat]]"}]},"2920923":{"pageid":2920923,"ns":0,"title":"Academia Americana de Pediatria","revisions":[{"contentformat":"text/x-wiki","contentmodel":"wikitext","*":"{{Fontes prim\u00e1rias|data=junho de 2012| angola=| arte=| Brasil=| ci\u00eancia=| geografia=| m\u00fasica=| Portugal=| sociedade=|1=|2=|3=|4=|5=|6=}}\nA '''Academia Americana de Pediatria''' ('''AAP''') foi fundada em [[1930]] por 35 m\u00e9dicos [[pediatra]]s para trabalhar sobre as normas de sa\u00fade pedi\u00e1tricas. Tem atualmente 60 mil membros nos cuidados prim\u00e1rios e \u00e1reas sub-especialistas. Pediatras qualificados podem se tornar membros da Academia.\n\nA AAP \u00e9 baseada em [[Elk Grove Village]], [[Illinois]], com um escrit\u00f3rio em [[Washington, DC]], a AAP tem aproximadamente 390 empregados que trabalham em prol da sa\u00fade das [[crian\u00e7a]]s.\n\n==Liga\u00e7\u00f5es externas==\n* {{oficial|https://www.aap.org/}}\n\n{{esbo\u00e7o-sa\u00fade}}\n\n[[Categoria:Pediatria]]"}]}}}}